Aceleramos a incrível lancha com visual e motor V8 de 505 cv do Corvette

Embarcação feita à imagem e semelhança do superesportivo leva até oito passageiros e tem até o icônico propulsor de 7 litros sob o capô

Estável, a lancha transmite segurança para realizar manobras

Estável, a lancha transmite segurança para realizar manobras (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Paixões não medem limites. Existem fãs de determinados automóveis que não se contentam em ter seu objeto de adoração na garagem. Eles compram tudo associado ao modelo: camisetas, fotos, miniaturas, acessórios.

Pensando nisso, a fabricante de barcos americana Malibu Boats construiu uma lancha à imagem e semelhança do Chevrolet Corvette, um dos carros mais admirados do planeta.

A lancha Corvette mostra que o nome que vai bem no asfalto, também domina a água

A lancha Corvette mostra que o nome que vai bem no asfalto, também domina a água (Fernando Pires/Quatro Rodas)

A Malibu Chevrolet Corvette Limited Edition Sport-V é de 2008, e o Corvette que lhe serviu de inspiração foi o modelo da sexta geração (C6), fabricada entre 2005 e 2013.

A Malibu fez praticamente um Corvette em forma de lancha. Seu design reproduz as linhas do esportivo nas laterais (com os mesmos vincos paralelos e um corte vertical que simula uma tomada de ar) e na traseira (incluindo o contorno das lanternas e a presença dos escapamentos).

O Corvette carrega o vermelho desde as suas primeiras edições

O Corvette carrega o vermelho desde as suas primeiras edições (Fernando Pires/Quatro Rodas)

E não faltam os emblemas com o nome do carro e as bandeiras cruzadas que identificam o esportivo da Chevrolet.

Na cabine, a Malibu tem peças comuns ao esportivo como painel, volante e bancos dianteiros. E a referência ao Corvette chega à oferta de equipamentos como vidros elétricos, volante com ajuste de altura, aquecimento dos bancos e porta-copos.

Do visual ao ronco do motor, passando pelos equipamentos a bordo, como o volante, a lancha traz características típicas do Corvette

Do visual ao ronco do motor, passando pelos equipamentos a bordo, como o volante, a lancha traz características típicas do Corvette (Fernando Pires/Quatro Rodas)

O revestimento usa um tipo de vinil próprio para barcos, alumínio anodizado e apliques de fibra de carbono.

A cabine é espaçosa e confortável, incluindo os bancos traseiros, que parecem espreguiçadeiras. Segundo o fabricante, cabem até oito ocupantes.

Motor fica em compartimento coberto e com iluminação de led

Motor fica em compartimento coberto e com iluminação de led (Fernando Pires/Quatro Rodas)

O painel de instrumentos tem o mesmo design do Corvette, mas os mostradores são próprios do barco. E o sistema de som é da marca Rockford Fosgate (com oito alto-falantes).

Até a carreta para transportar a lancha foi inspirada no Corvette, usando rodas com o mesmo design e freios a disco.

Até a carreta recebeu rodas iguais às usadas pelo Corvette

Até a carreta recebeu rodas iguais às usadas pelo Corvette (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Mas o elemento de maior conexão com o esportivo é o motor: um autêntico Chevrolet V8, devidamente convertido para aplicação náutica. Para isso, o motor precisa ser recalibrado e recebe um novo sistema de refrigeração (que usa água do meio em que navega), entre outros componentes.

A lancha foi feita em duas versões: Coupe (com motor 5.7 de 400 cv) e Z06 (7.0 de 505 cv). Sob licença da GM, foram fabricadas apenas 50 unidades, 25 de cada versão.

Motor fica sob o solário

Motor fica sob o solário (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Segundo colecionadores, apenas duas Z06 (vendidas na época por US$ 124.000) teriam chegado ao Brasil. A unidade que avaliamos pertence à empresária paulista Regina Gutierrez.

Pilotar a lancha Corvette é uma experiência sem igual. Assim que se dá a partida no motor, ouve-se um ronco grave e encorpado característico do V8, acompanhado do borbulhar da água.

Bancos iguais aos do carro são revestidos de vinil próprio para embarcações

Bancos iguais aos do carro são revestidos de vinil próprio para embarcações (Fernando Pires/Quatro Rodas)

O volante, localizado do lado direito da cabine, como é comum nas embarcações, é bastante leve. Segundo a proprietária, é bem mais leve que a maioria das lanchas. O acelerador fica em uma alavanca do lado direito.

No começo, precisei dosar a força ao deslocar esse comando para não acelerar demais. Nas arrancadas, a lancha levanta a proa, prejudicando a visão à frente. Mas depois a dianteira assenta e a lancha continua avançando com vigor.

O volante é igual ao do esportivo, mas não há pedais

O volante é igual ao do esportivo, mas não há pedais (Fernando Pires/Quatro Rodas)

A alavanca do acelerador também serve para acionar o reverso do motor. Para isso, basta puxar o comando para trás. Entre uma posição e outra, há um ponto neutro. Esse comando substitui o câmbio do carro, que no caso do Z06 era sempre manual de seis marchas.

Apesar do casco plano, a lancha Corvette é bem estável. Depois de algum tempo ao volante, já me sentia seguro para fazer curvas mais fechadas.

O sistema de som é da marca Rockford Fosgate

O sistema de som é da marca Rockford Fosgate (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Sem os limites físicos impostos pelas ruas, acelerar a lancha provoca uma grande sensação de liberdade, reforçada pelo vento no rosto.

O único cuidado necessário era ficar atento a outras embarcações que eventualmente se aproximavam e às ondas que elas criavam – eu precisava cortá-las na diagonal para evitar desagradáveis batidas do casco na água.

Os bancos são aquecidos

Os bancos são aquecidos (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Em contraste com um carro, em vez de interagir com asfalto, pneus e suspensão, sentir o casco deslizar na superfície da água dava a impressão de que eu estava flutuando.

A Malibu é uma embarcação de 18 pés (5,48 m de comprimento) projetada para a prática de wakesurf, modalidade em que o praticante surfa na marola provocada pelo barco.

A partida tem código de segurança

A partida tem código de segurança (Fernando Pires/Quatro Rodas)

A prancha, no caso, é como as usadas na prática de snowboard, com botas. E o surfista é puxado pelo barco por meio de um cabo, como no esqui aquático. A onda permanece alta enquanto a lancha estiver em movimento.

O que caracteriza os barcos de wakesurf é a presença do motor no centro da popa com a hélice instalada por meio de um suporte que os especialistas chamam de pé de galinha (em razão de seu formato), que ajuda na formação das ondas e mantém a hélice fora do alcance de quem está dentro d’água, garantindo maior segurança.

Painel de instrumentos segue o estilo Chevrolet

Painel de instrumentos segue o estilo Chevrolet (Fernando Pires/Quatro Rodas)

No caso da Malibu, o V8 fica em uma divisão (com tampa transparente de policarbonado e iluminado por lâmpadas de led) ladeado por dois compartimentos de bagagem (que também podem acomodar lastro, que favorece a criação das ondas). Tudo isso sob as tampas do solário da embarcação.

A lancha Corvette não possui torre, outro componente típico dos barcos desenvolvidos para wakesurf, que serve para fixar os cabos que puxam os surfistas. Na Corvette, os cabos são amarrados em uma peça de apoio no centro do solário.

Alavanca comanda o acelerador

Alavanca comanda o acelerador (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Esportivo de dois lugares, motor dianteiro e tração traseira, o Chevrolet Corvette é um dos carros de maior sucesso da história da GM, tornando-se sinônimo de liberdade e aventura desde a apresentação, em 1953.

Este ano, ele chegou à oitava geração, lançado como linha 2020. Seu nome foi escolhido por meio de um concurso que a GM promoveu, recebendo cerca de 300.000 sugestões.

Peça onde se amarram os cabos

Peça onde se amarram os cabos (Fernando Pires/Quatro Rodas)

O vencedor foi Myron Scott, funcionário de relações públicas da fábrica: Corvette era o nome em inglês da corveta, um barco pequeno e ágil usado na Segunda Guerra, que ficou popular entre os americanos que lutaram no conflito.

Veredicto

Gostosa de pilotar, a lancha presta homenagem ao lendário Corvette Z06 com muito estilo, conforto e acabamento de qualidade.

Ficha técnica – lancha Corvette

  • Preço: US$ 124.000 (no lançamento)
  • Motor: traseiro, V8, 7.011 cm3, 505 cv a 6.200 rpm, 65,7 mkgf a 4.800 rpm
  • Cabine: fibra de vidro, oito lugares
  • Dimensões: comprimento, 548,6 cm; largura, 237,5 cm; peso, 1.361 kg; tanque, 140 l

Um esportivo inovador

O Corvette Z06 foi usado como base para a criação da lancha

O Corvette Z06 foi usado como base para a criação da lancha (Arquivo/Quatro Rodas)

A sexta geração do Corvette chegou em 2005 e a versão Z06 foi apresentada um ano depois, equipada com o V8 LS7 que rendia 505 cv, enquanto seu par, o LS2, gerava 400cv.

Para a redução de peso, seu chassi de alumínio era 62 kg mais leve que o similar de aço.

Leve e potente, o Z06 tinha um câmbio manual de seis marchas

Leve e potente, o Z06 tinha um câmbio manual de seis marchas (Arquivo/Quatro Rodas)

Na carroceria, além de fibra de vidro (reforçada com polímeros), o esportivo trazia diversos componentes de outros materiais compostos, como fibra de carbono, largamente aplicados na nova geração C8.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s