Clique e assine com até 75% de desconto

Melhor Compra 2019: carros novos até R$ 65.000

As indicações de QUATRO RODAS de carros novos: até R$ 40.000; até R$ 48.000; até R$ 56.000; até R$ 65.000; aventureiros

Por Redação Atualizado em 20 ago 2019, 10h51 - Publicado em 2 ago 2019, 10h47
(Acervo/Quatro Rodas) Acervo Quatro Rodas/Quatro Rodas

Todos os anos, QUATRO RODAS seleciona as melhores compras de cada segmento para você levar para casa o carro ideal. É o Melhor Compra.

A seguir, os melhores carros compactos do Brasil. Eles estão separados em categorias: até R$ 40.000; até R$ 48.000; até R$ 56.000; até R$ 65.000; aventureiros. Consideramos custos de peças, seguro e revisões:

Carros até R$ 40.000

1 – Renault Kwid Zen 1.0 – R$ 38.790

O tricampeonato do Kwid representa bem o que a categoria pede: custo/benefício. Verdade que o subcompacto da Renault ficou mais caro e a versão Zen passou de R$ 37.490 para R$ 38.790.

Porém, como o mercado em geral também inflacionou, o Kwid se beneficiou com o corte mais alto da categoria inicial do Melhor Compra 2019, R$ 40.000.

O modelo tem um pós-venda interessante, com as revisões mais baratas do grupos – as três primeiras visitas com preço fixo ficam em R$ 400, cada uma– e a maior parte da cesta de peças tem valores medianos.

O consumo, como observado no nosso Longa Duração, permanece como um dos destaques do carrinho, e o seguro também é barato.

Está convencido? Então prepare-se para conhecer o K-Commerce, sistema de venda exclusivo do Kwid.

Por meio dele, você configura o carro, escolhe a cor, a concessionária onde será feita a retirada e até contrata o plano de funcionamento diretamente com o Banco Renault.

A versão Zen continua sendo a intermediária da linha Kwid. Mantém os quatro airbags que ajudaram o carro a obter três estrelas no Latin NCAP, além de ar-condicionado, direção elétrica, travas e vidros elétricos, Isofix e som com Bluetooth e USB.

O excesso de vibração do motor, o acabamento sofrível e a economia na aplicação de material fonoabsorvente explicam a cabine ruidosa.

Bolsa de Valores

  • Desvalorização -15,95%
  • Seguro – R$ 1.074
  • Rede – 295/95,8
  • Reparabilidade –
  • Equipamentos – AR, DIR, VID

Peças

  • Amortecedores dianteiros – R$ 400
  • Pastilhas de freio – R$ 400
  • Kit de embreagem – R$ 400
  • Farol esquerdo -R$ 652
  • Para-choque dianteiro –R$ 418
  • Retrovisor esquerdo – R$ 418
  • Total – R$ 2.688

Revisões

  • 10.000 kmR$ 400
  • 20.000 km – R$ 400
  • 30.000 kmR$ 400
  • 40.000 km – R$ 652
  • 50.000 km – R$ 418
  • 60.000 km – R$ 418
  • Total – R$ 2.688

2 – Fiat Mobi Easy Comfort 1.0 – R$ 37.690

Os R$ 2.000 de queda média no preço do Mobi entre 2017 e 2018 voltaram em 2019 na versão Easy Comfort, que vem equipada com ar-condicionado, banco rebatível e rodas aro 14.

O modelo é embalado pelo motor 1.0 Fire Evo de quatro cilindros, que nada tem a ver com as configurações mais caras, que usam o tricilíndrico FireFly – e passam dos R$ 40.000.

O seguro do Mobi é um dos mais em conta do segmento e a desvalorização baixa faz com que o mercado de usados o veja com bons olhos.

Além disso, é econômico e tem o amparo da ampla rede de concessionárias da Fiat. Pena que o total das revisões fixas até 60.000 km e a cesta de peças não acompanhem essa lógica e sejam as mais caras da categoria.

Bolsa de valores

  • Desvalorização- 4,55%
  • Seguro – R$ 1.032
  • Rede521/-
  • Reparabilidade
  • EquipamentosAR

Peças

  • Amortecedores dianteiros – R$ 818
  • Pastilhas de freio – R$ 244
  • Kit de embreagem – R$ 369
  • Farol esquerdo – R$ 521
  • Para-choque dianteiro -R$ 1.939 
  • Retrovisor esquerdo – R$ 770
  • Total – R$ 4.661

Revisões

  • 10.000 km – R$ 208
  • 20.000 km – R$ 448
  • 30.000 km – R$ 768
  • 40.000 km – R$ 592
  • 50.000 km – R$ 492
  • 60.000 km – R$ 895
  • Total – R$ 3.403

3 – Caoa Chery QQ ACT 1.0 – R$ 36.590

O fato de ainda ser o carro mais barato do país dá aquela forcinha para o QQ. Porém, o subcompacto ganha um up – sem trocadilhos com o VW, que esteve aqui na categoria de entrada em 2017 – por estar agora sob a guarda do Grupo Caoa.

São 80 revendas até o momento, além da companhia de modelos modernos e mais competitivos, como os SUVs Tiggo 5X e 7.

A versão ACT tem ar, trio, sensor de ré, Isofix, regulagem de altura dos faróis, DRL, rodas de liga leve aro 14 e som com Bluetooth e USB. Suas cestas de peças e revisões custam menos do que as do Mobi, mas o seguro é caro.

A suspensão não impede o balanço exagerado da carroceria, sobretudo em velocidades elevadas e com incidência de ventos laterais.

Bolsa de valores

  • Desvalorização – 5,41%
  • Seguro – R$ 1.629
  • Rede80/-
  • Reparabilidade16
  • Equipamentos – AR, DIR, VID, EST

Peças

  • Amortecedores dianteiros – R$ 566
  • Pastilhas de freio – R$ 283
  • Kit de embreagem – R$ 779
  • Farol esquerdo – R$ 724
  • Para-choque dianteiro – R$ 149
  • Retrovisor esquerdo – R$ 205
  • Total – R$ 2.706

Revisões

  • 10.000 km – R$ 352
  • 20.000 km – R$ 447
  • 30.000 km – R$ 583
  • 40.000 km – R$ 447
  • 50.000 km – R$ 488
  • 60.000 km – R$ 719
  • Total – R$ 3.036

Carros até R$ 48.000

1 – Ford Ka SE 1.0 – R$ 46.290

O compacto da Ford impediu o pentacampeonato do HB20 graças ao bom equilíbrio, conjunto mecânico e pós-venda.

O acerto a reboque do facelift de 2018 resultou em um carro muito melhor, com consumo mais contido e dirigibilidade convidativa. Some a isso o seguro mais baixo da categoria e desvalorização normal.

O modelo também garantiu o primeiro lugar pela cesta de peças mais barata perante o rival da Hyundai e até mesmo o Renault Sandero, o que compensou as revisões menos atraentes que as dos concorrentes.

A versão SE vem com o eficiente e bem disposto motor 1.0 três-cilindros. O trato no conjunto resultou em um desempenho condizente com os 85cv.

Para muitos, é o melhor três-cilindros aspirado do mercado brasileiro, tanto pela força em baixas rotações e reduzido nível de vibração como pelo baixo consumo de combustível: 10,8 km/l na cidade e 13,3 km/l na estrada – números aferidos nos testes da QUATRO RODAS, com gasolina.

O modelo escolhido é mais interessante que o basicão S, vice-líder de 2018, que custa R$ 45.590. Recebe a mais o som My Connection com comandos de voz e maçanetas e capas dos retrovisores na cor do veículo.

Além disso, a SE já chega com ar-condicionado, direção elétrica, travas e vidros dianteiros elétricos, computador de bordo, Isofix e ajuste de altura do volante, entre outros.

Bolsa de Valores

  • Desvalorização -8,06%
  • Seguro – R$ 916
  • Rede – 317/93,9
  • Reparabilidade
  • Equipamentos – AR, DIR, VID

Peças

  • Amortecedores dianteirosR$ 640
  • Pastilhas de freio – R$ 311
  • Kit de embreagem – R$ 706
  • Farol esquerdo – R$ 933
  • Para-choque dianteiro – R$ 761
  • Retrovisor esquerdo – R$ 505
  • Total – R$ 3.916

Revisões

  • 10.000 km -R$ 359
  • 20.000 km – R$ 447
  • 30.000 km – R$ 574
  • 40.000 km – R$ 659
  • 50.000 km – R$ 482
  • 60.000 km – R$ 933
  • TotalR$ 3.454

2 – Hyundai HB20 Unique 1.0 – R$ 44.490

O segundo carro mais vendido do país também foi o vice na categoria.

O compacto continua a atrair pelo design ousado, nível de acabamento superior à média do segmento e imagem de modernidade que a Hyundai emplacou por aqui, o que foi suficiente para deixá-lo à frente do Sandero.

O pentacampeonato só escapou por fatores dentro e fora de campo. Uma nova geração bate à porta do HB20, prevista para setembro. O seguro tradicionalmente mais caro e a cesta de peças com o custo elevado também jogam contra.

A Unique é mais barata que a Unique blueMedia, a versão campeã na categoria em 2018. No mais, vem com o trivial ar-condicionado, direção hidráulica, travas e vidros dianteiros elétricos, Isofix e computador de bordo.

Bolsa de valores

  • Desvalorização- 3,87%
  • Seguro – R$ 1.147
  • Rede 209/91,6
  • Reparabilidade
  • EquipamentosAR, DIR, VID

Peça

  • Amortecedores dianteiros – R$ 746
  • Pastilhas de freio – R$ 262
  • Kit de embreagem – R$ 849
  • Farol esquerdo – R$ 2.456
  • Para-choque dianteiro – R$ 715
  • Retrovisor esquerdo – R$ 412
  • Total – R$ 5.440

Revisões

  • 10.000 km – R$ 201
  • 20.000 km – R$ 460
  • 30.000 km – R$ 447
  • 40.000 km – R$ 603
  • 50.000 km – R$ 420
  • 60.000 km – R$ 596
  • Total – R$ 2.727

3 – Renault Sandero Zen 1.0 – R$ 46.440

O hatch da Renault garantiu a terceira posição com as cestas de peças e revisões mais em conta da categoria, mas é preciso lembrar: todos os valores são da versão Expression 2019, já que a Renault só liberou algumas informações da linha 2020 já às vésperas do fechamento.

Com o motor três-cilindros SCe, tem suavidade no rodar e o espaço interno continua como um dos diferenciais.

A desvalorização acentuada, o acabamento ruim e a posição de dirigir estranha frearam ainda mais qualquer chance de o Sandero almejar algo acima do terceiro lugar.

Dentre as alterações da linha 2020, airbags laterais, teto preto e banco traseiro com Isofix e cintos de três pontos e apoio de cabeça para todos os ocupantes.

Bolsa de valores

  • Desvalorização-15,26%
  • Seguro – R$ 1.173
  • Rede295/96,1
  • Reparabilidade – 20
  • EquipamentosAR, DIR

Peças

  • Amortecedores dianteiros – R$ 505
  • Pastilhas de freio – R$ 227
  • Kit de embreagem – R$ 402
  • Farol esquerdo – R$ 850
  • Para-choque dianteiro – R$ 890
  • Retrovisor esquerdo – R$ 617
  • Total – R$ 3.491

Revisões

  • 10.000 km – R$ 400
  • 20.000 km – R$ 400
  • 30.000 km – R$ 400
  • 40.000 km – R$ 652
  • 50.000 km – R$ 418
  • 60.000 km – R$ 418
  • Total – R$ 2.688

Carros até R$ 56.000

1 – Fiat Argo Drive 1.3

O Argo desbancou o Polo – vencedor de 2018 – e superou Ka Sedan e Fox ao beliscar um pouco de cada quesito. A começar pelo reposicionamento da linha 2020.

A versão Drive 1.3 ficou R$ 2.800 mais barata e saiu da categoria de até R$ 60.000 – onde ficou em terceiro no ano passado.

De lá para cá, o compacto ultrapassou a marca de 100.000 unidades vendidas, ganhou versão aventureira e até série da Seleção Brasileira.

A Drive 1.3 tem lista de equipamentos interessante, com ar, direção elétrica, chave canivete, monitoramento dos pneus, sinalização de frenagem de emergência e travas e vidros dianteiros elétricos.

Com a diferença de preço da gama 2020, é possível levar a central com tela de 9 polegadas.

O motor 1.3 é o melhor da linha: desenvolve mais que o 1.0 e tem rodar menos áspero e beberrão que o 1.8. O modelo garantiu o posto mais alto do pódio com seguro dentro do esperado e depreciação reduzida.

Ainda se vale do pacote de revisões competitivo e só perde para o do sedã da Ford – a de 60.000 km não tem preço fixo e foi calculada a partir da média apurada em concessionárias de São Paulo.

Isso assegurou ao Argo a liderança, mesmo a despeito da cesta de peças mais cara da categoria. E também com algumas correções que o hatch ainda pede, como câmbio com engates mais precisos e sistema de direção com atuação mais direta.

Bolsa de valores

  • Desvalorização – 1,83%
  • Seguro – R$ 1.319
  • Rede – 521/98,2
  • Reparabilidade  
  • Equipamentos – AR, DIR, VID

Peças

  • Amortecedores dianteiros – R$ 701
  • Pastilhas de freio – R$ 251
  • Kit de embreagem – R$ 483
  • Farol esquerdo – R$ 1.475
  • Para-choque dianteiro– R$ 1.801
  • Retrovisor esquerdo – R$ 540
  • Total – R$ 5.251

Revisões

  • 10.000 km – R$ 264
  • 20.000 km – R$ 504
  • 30.000 km – R$ 428
  • 40.000 km – R$ 1.132
  • 50.000 km – R$ 448
  • 60.000 km – R$ 635
  • Total – R$ 3.411

2 – Ford Ka Sedan SE 1.5 – R$ 56.530

Continua após a publicidade

O três-volumes traz as mesmas melhorias que a Ford fez no hatch. Suspensão firme e bem calibrada, direção precisa e conjunto mecânico eficiente.

Ainda mais nesta versão com o 1.5 três-cilindros com disposição de sobra em altos giros e que casa quase que perfeitamente com a transmissão manual de cinco marchas.

O Ford perdeu a primeira posição especialmente pelas revisões salgadas e por ser o mais caro – entrou na categoria pela regra de tolerância do MELHOR COMPRA, com margem de R$ 1.000 para menos ou para mais.

O conjunto de peças mais barato da categoria assegurou o vice-campeonato. A versão SE oferece o básico: ar, direção elétrica, travas e vidros dianteiros elétricos, Isofix e som com USB e Bluetooth.

Bolsa de valores

  • Desvalorização3,27%
  • Seguro – R$ 1.213
  • Rede317/-
  • Reparabilidade
  • Equipamentos – AR, DIR, VID

Peças

  • Amortecedores dianteiros – R$ 485
  • Pastilhas de freio – R$ 311
  • Kit de embreagem – R$ 454
  • Farol esquerdo – R$ 516
  • Para-choque dianteiro – R$ 761
  • Retrovisor esquerdo – R$ 505
  • Total – R$ 3.032

Revisões

  • 10.000 km – R$ 359
  • 20.000 km – R$ 447
  • 30.000 km – R$ 574
  • 40.000 km – R$ 840
  • 50.000 km – R$ 482
  • 60.000 km – R$ 632
  • Total – R$ 3.334

3 – VW Fox Connect 1.6 – R$ 50.990

O hatch altinho da Volkswagen já está cansado, mas encontra na Connect um recheio muito atraente para a categoria, o que contribuiu para um honroso terceiro lugar.

Como o nome da versão sugere, vem com sistema multimídia com Android Auto e Apple CarPlay, entrada USB, leitor de SD Card e conexão Wi-Fi.

A lista também inclui sensor de ré, ar, direção elétrica, chave canivete, rodas de liga leve aro 15, trio, controle de cruzeiro e ajustes de altura e profundidade do volante multifuncional.

O Fox só não foi melhor porque ainda conta com um motor datado: o velho EA111. As revisões são muito caras e o plano com itens de desgaste (como filtro de ar, por exemplo) destacados do pacote principal gera confusão na hora da manutenção.

Bolsa de valores

  • Desvalorização – 1,23%
  • Seguro –  R$ 936
  • Rede – 500/94,3
  • Reparabilidade – 17
  • Equipamentos – AR, DIR, VID, EST, MUL

Peças

  • Amortecedores dianteiros – R$ 680
  • Pastilhas de freio – R$ 280
  • Kit de embreagem – R$ 600
  • Farol esquerdo – R$ 626
  • Para-choque dianteiro – R$ 1.050
  • Retrovisor esquerdo – R$ 273
  • Total – R$ 3.515

Revisões

  • 10.000 km – R$ 526
  • 20.000 km – R$ 599
  • 30.000 km – R$ 656
  • 40.000 km – R$ 708
  • 50.000 km – R$ 526
  • 60.000 km – R$ 1.314
  • Total – R$ 4.329

Carros até R$ 65.000

1 – Toyota Etios Sedan X 1.5 aut. – R$ 61.490

A categoria ficou mais cara e o hatch da Toyota, segundo colocado em 2018, deu lugar à configuração sedã, que assumiu a primeira posição este ano.

O três-volumes assegurou o título por ter custos de pós-venda dentro da média. E, apesar de em nenhum quesito ser o melhor em termos de preço, goza da boa reputação da marca japonesa.

O Etios Sedan, por exemplo, tem a segunda cesta de peças mais barata, e também o segundo pacote de revisões mais em conta.

O seguro está dentro do previsto para a categoria, mas se vale de um índice baixo de reparabilidade. Destaque ainda para sua boa posição na pesquisa Os Eleitos 2018.

O conteúdo de segurança da versão X também contribuiu para o título.

O modelo tem controles de estabilidade e tração e assistente de partida em rampa. No mais, não sai do previsível: leva ar, direção elétrica, trio e computador de bordo. As rodas são de aço e só há preparação para som.

Além do espaço interno generoso e de um dos maiores porta-malas do segmento, a mecânica é outro ponto a favor do Etios Sedan.

Seu motor 1.5 16V é competente para a cidade e para a estrada – já que este é um carro que pesa menos de uma tonelada. Mesmo assim, merecia um câmbio mais moderno que a defasada caixa automática de quatro marchas.

Desagradam o acabamento de aparência simples e a carroceria com desenho controverso.

Bolsa de valores

  • Desvalorização – 8,76%
  • Seguro – R$ 1.538
  • Rede – 263/97,1
  • Reparabilidade – 20
  • Equipamentos – AR, DIR, VID, AUT, ESP

Peças

  • Amortecedores dianteiros – R$ 536
  • Pastilhas de freio – R$ 320
  • Kit de embreagem
  • Farol esquerdo – R$ 610
  • Para-choque dianteiro – R$ 1.045
  • Retrovisor esquerdo – R$ 570
  • Total – R$ 3.081

Revisões

  • 10.000 km – R$ 248
  • 20.000 km – R$ 498
  • 30.000 km – R$ 399
  • 40.000 km – R$ 780
  • 50.000 km – R$ 399
  • 60.000 km – R$ 732
  • Total – R$ 3.056

2 – Ford Ka Sedan SE Plus 1.5 aut. – R$ 64.850

Assim como na categoria anterior (Carros até R$ 56.000), aqui outro Ka Sedan estacionou na segunda posição. De novo, por mérito principal de seus baixos custos de manutenção.

A cesta de peças, com itens de desgaste e também os mais comumentes atingidos em acidentes de pequena monta, é a mais barata da categoria, assim como o seguro e a desvalorização.

Só não beliscou o campeonato porque as seis revisões programadas ficam mais caras que as do Etios Sedan – mas são mais competitivas que as do Voyage.

A versão escolhida oferece ar, direção, trio, central multimídia, sensor de ré, Isofix e piloto automático. Usa o eficiente motor 1.5 com a bem escalonada transmissão automática de seis velocidades.

Bolsa de valores

  • Desvalorização- 3,41%
  • Seguro – R$ 1.314
  • Rede – 317/-
  • Reparabilidade
  • Equipamentos – AR, DIR, VID, EST, AUT, MUL

Peças

  • Amortecedores dianteiros – R$ 640
  • Pastilhas de freio – R$ 311
  • Kit de embreagem
  • Farol esquerdo – R$ 516
  • Para-choque dianteiro – R$ 761
  • Retrovisor esquerdo – R$ 530
  • Total – R$ 2.758

Revisões

  • 10.000 km – R$ 359
  • 20.000 km – R$ 447
  • 30.000 km – R$ 574
  • 40.000 km – R$ 840
  • 50.000 km – R$ 482
  • 60.000 km – R$ 632
  • Total – R$ 3.334

3 – VW Voyage 1.6 aut. – R$ 63.870

A adoção de câmbio automático com um motor mais moderno deu um sopro de vida ao cansado sedã da Volkswagen.

O conjunto com o motor 1.6 16V MSI de 120/110 cv e transmissão Tiptronic é (muito) mais bem resolvido que a problemática caixa automatizada i-Motion com o velho motor 1.6 EA111 de 104/101 cv.

Contribuiu também para o Voyage conquistar a terceira posição a cesta de peças que, apesar de mais cara que a de Etios e Ka, é praticamente a metade da do Cronos – que ficou de fora do pódio da categoria.

O Voyage só não avançou na classificação por causa das revisões caras e da versão ser bem comedida em equipamentos: há apenas ar, direção hidráulica, travas e vidros dianteiros elétricos e computador de bordo.

Bolsa de valores

  • Desvalorização-7,73%
  • Seguro – R$ 1.633
  • Rede – 500/-
  • Reparabilidade – 26
  • Equipamentos – AR, DIR, VID, AUT

Peças

  • Amortecedores dianteiros – R$ 720
  • Pastilhas de freio – R$ 278
  • Kit de embreagem
  • Farol esquerdo – R$ 658
  • Para-choque dianteiro – R$ 999
  • Retrovisor esquerdo – R$ 714
  • Total – R$ 3.369

Revisões

  • 10.000 km – R$ 539
  • 20.000 km – R$ 599
  • 30.000 km – R$ 656
  • 40.000 km – R$ 828
  • 50.000 km – R$ 527
  • 60.000 km – R$ 1.231
  • Total – R$ 4.380
  • Carros aventureiros

      1 – Fiat Argo Trekking 1.3 – R$ 58.990

      Mal estreou e o Trekking já levanta a taça na categoria que também é estreante no Melhor Compra. A seu favor, a base bem resolvida, com boa posição de dirigir, motor 1.3 eficiente e dinâmica equilibrada.

      Seguindo a receita clássica dos aventureiros, tem molduras de plástico sem pintura, suspensão elevada e pneus de uso misto.

      Completam o recheio a pintura bicolor, ar, central multimídia, sensor de estacionamento, direção elétrica, trio, chave canivete e faróis de neblina. Mas as rodas de liga leve e a câmera de ré são opcionais e encarecem o carro em R$ 2.290.

      Entre os rivais, se destaca por ter a maior rede de concessionárias e a melhor pontuação em Os Eleitos.

      Bolsa de valores

      • Desvalorização
      • Seguro – R$ 1.868
      • Rede521/98,2
      • Reparabilidade
      • EquipamentosAR, DIR, VID, EST, MUL

      Peças

      • Amortecedores dianteiros – R$ 701
      • Pastilhas de freio – R$ 251
      • Kit de embreagem – R$ 643
      • Farol esquerdo – R$ 1.077
      • Para-choque dianteiro – R$ 1.801
      • Retrovisor esquerdo – R$ 479
      • Total – R$ 4.952

      Revisões

      • 10.000 km – R$ 264
      • 20.000 km – R$ 504
      • 30.000 km – R$ 428
      • 40.000 km – R$ 1.132
      • 50.000 km – R$ 448
      • 60.000 km – R$ 635
      • Total – R$ 3.411

      2 – Ford Ka FreeStyle 1.0

      A Ford tenta repetir o sucesso da versão do Eco no Ka. O destaque fica para o acerto firme da suspensão e o motor 1.0 três-cilindros de pronta resposta.

      A cesta de peças é a que menos maltrata a carteira do dono, mas as revisões mais caras o deixaram atrás do Argo.

      A configuração ainda chama a atenção pelo nível de equipamentos, com controles de estabilidade e tração, sensor de ré, central multimídia, ar e direção.

      Bolsa de valores

      • Desvalorização
      • Seguro – R$ 1.579
      • Rede – 317/93,9
      • Reparabilidade
      • Equipamentos – AR, DIR, VID, EST, ESP, MUL

      Peças

      • Amortecedores dianteiros – R$ 485
      • Pastilhas de freio – R$ 311
      • Kit de embreagem – R$ 516
      • Farol esquerdo – R$ 538
      • Para-choque dianteiro – R$ 643
      • Retrovisor esquerdo – R$ 489
      • Total – R$ 2.982

      Revisões

      • 10.000 km – R$ 359
      • 20.000 km – R$ 447
      • 30.000 km – R$ 574
      • 40.000 km – R$ 659
      • 50.000 km – R$ 482
      • 60.000 km – R$ 933
      • Total – R$ 3.454

      3 – Renault Kwid Outsider 1.0

      Mais um novato no pódio. Em nossos testes, o Outsider parou melhor que os primeiros Kwid. Mérito do novo sistema de freio, agora com discos dianteiros ventilados, em vez  de sólidos.

      Garantiu lugar entre os finalistas, com preços de tabela, revisões e seguro baixos, consumo de gasolina contido e bom pacote de itens de série. Mas o espaço é mínimo e a posição de dirigir, grudada à porta, é das piores do mercado.

      Bolsa de valores

      • Desvalorização
      • Seguro – R$ 1.494
      • Rede – 295/95,8
      • Reparabilidade
      • Equipamentos – AR, DIR, VID, EST, MUL

      Peças

      • Amortecedores dianteiros – R$ 457
      • Pastilhas de freio – R$ 421
      • Kit de embreagem – R$ 350
      • Farol esquerdo – R$ 620
      • Para-choque dianteiro – R$ 940
      • Retrovisor esquerdo – R$ 713
      • Total – R$ 3.501

      Revisões

      • 10.000 km – R$ 400
      • 20.000 km – R$ 400
      • 30.000 km – R$ 400
      • 40.000 km – R$ 652
      • 50.000 km – R$ 418
      • 60.000 km – R$ 418
      • Total – R$ 2.688
        Continua após a publicidade
        Publicidade