Clique e assine por apenas 8,90/mês

Guia de usados: Toyota Camry tem espaço e reputação em doses cavalares

O sedã best-seller americano é grande, confortável, potente e desfruta da elevada reputação da marca japonesa

Por Felipe Bitu - Atualizado em 23 ago 2019, 16h02 - Publicado em 3 nov 2017, 19h38
Camry de quinta geração: o irmão maior e mais luxuoso do Corolla
Camry de quinta geração: o irmão maior e mais luxuoso do Corolla Marco de Bari/Quatro Rodas

Conforto, potência e confiabilidade. Essas são as palavras-chave para quem escolhe o Toyota Camry, o automóvel de passeio mais vendido nos EUA nos últimos 15 anos – e 90% deles ainda rodando por lá.

No Brasil, ele foi alçado à categoria de sedã executivo, com imponência suficiente para brigar com o triunvirato alemão Audi A4, BMW Série 3 e Mercedes Classe C. Importado na linha 2003, o Camry de quinta geração é pouco maior que o Corolla atual: 2,72 metros de entre-eixos, 4,8 de comprimento e 1,79 de largura.

A atmosfera é requintada: o acabamento apresenta a qualidade de construção típica dos japoneses, com bancos de couro e apliques imitando madeira.

Apliques de madeira no console central dão o toque de sofisticação ao interior
Apliques de madeira no console central dão o toque de sofisticação ao interior Marco de Bari/Quatro Rodas

A diferença a favor do Camry é o V6 3.0 e 186 cv, bem casado com o câmbio automático de quatro marchas. Traz freios ABS, ESP e suspensão traseira multilink, tudo por uma fração do valor do Corolla novo.

A sexta geração estreou em 2006, com mais espaço graças ao aumento em largura e entre-eixos (5,5 maior). Tinha ar bizona e o banco traseiro com regulagem de inclinação do encosto.

Continua após a publicidade

O V6 virou um 3.5 com comandos de válvulas e coletor de admissão variáveis. Seus 284 cv são mais que suficientes para seus 1.610 kg. O câmbio passou a ser de seis marchas e sequencial, e a suspensão e a direção foram calibradas para um rodar mais preciso e comunicativo, sem abrir mão do conforto.

Motor V6 oferece 186 cv
Motor V6 oferece 186 cv Marco de Bari/Quatro Rodas

Ganhou ABS com distribuição eletrônica e auxílio de emergência, além de airbags laterais e de cortina. Trazia ainda xenônio, teto solar, piloto automático e sensor de chuva e faróis. Repleta de retas e vincos, a sétima geração chegou em 2012 com um ar trizona e uma multimídia com tela sensível ao toque, mas perdeu o desejado teto solar.

Porta-malas conta com 518 litros
Porta-malas conta com 518 litros Marco de Bari/Quatro Rodas

O perfil maduro dos donos facilita a procura, sendo comum achar um Camry pouco rodado e com bom histórico de manutenção – cuidado só com os blindados. Qualquer oficina bem aparelhada pode fazer serviços básicos e suas peças são facilmente encontradas na rede autorizada e em importadores independentes.

Onde o bicho pega

Marco de Bari/Quatro Rodas

Lavador de farol

Em geral é danificado em colisões, mas nem sempre é reparado. Ele é imprescindível para o correto funcionamento do farol de xenônio. O conserto pode chegar a R$ 700.

Continua após a publicidade

Teto solar

Procure por infiltração de água, provocada por falha na vedação ou obstrução nos drenos de escoamento. Trincas no vidro ou ruídos anormais no mecanismo são maus indícios.

Câmbio

Verifique se funciona sem patinar demais e se há trancos ou retenções no modo sequencial. A inspeção do fluido deve ser a cada 40.000 km ou 24 meses.

Suspensão

Continua após a publicidade

Grande e pesado, o Camry não raro apresenta desgaste em componentes como batentes, buchas, bieletas e amortecedores.

Recall 1

Uma falha na lubrificação dos interruptores dos vidros elétricos na porta dianteira esquerda pode provocar um incêndio. Para carros produzidos de janeiro de 2006 a novembro de 2008 com chassis de 3001147 a 3045580.

Recall 2

Os Camry produzidos de março de 2011 a agosto de 2014 apresentaram falha no pivô da suspensão dianteira, o que pode provocar desgaste prematuro da peça. Engloba os números de chassi entre os intervalos 3052672 a 3003499.

Continua após a publicidade

A voz do dono

Nome: Alexandre Bianchini

Idade: 39 anos

Profissão: bancário

Cidade: São Paulo (SP)

O que eu adoro

Continua após a publicidade

“Muito conforto e espaço para cinco adultos grandes. Motor V6 e câmbio sempre em sintonia, o que faz dele um carro rápido, veloz e até econômico. Mecânica sem surpresas para oficinas bem equipadas.”

O que eu odeio

“É tipicamente americano: não cabe em qualquer vaga e se não tiver cuidado raspa a frente, a traseira e o assoalho em lombadas. Apesar de rápido e veloz, não é esportivo: a direção é toda anestesiada.”

Preço médio dos usados (FIPE)

Modelo 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
XLE 3.5 24V  38.984  40.863  46.269  48.577  58.205 70.929 86.420

Preço das peças

Original Paralelo
Para-choque (dianteiro) 1.568 550
Farol (cada um) 3.752 1.300
Pastilhas de freio (par diant.) 841 280
Discos de freio (par diant.) 2.188 600
Amortecedores 4.359 2.500

 

Publicidade