Clique e assine por apenas 8,90/mês

Brasileiro está preparado para o carro elétrico? Pesquisa inédita mostra

Especial QUATRO RODAS: estudo ouviu a opinião de milhares de brasileiros sobre carros elétricos; veja o resultado

Por Redação - Atualizado em 13 Maio 2020, 18h13 - Publicado em 14 Maio 2020, 07h00

Os motoristas brasileiros são privilegiados por terem à disposição, e com certa folga, diferentes tecnologias de propulsão: motores a gasolina, flex, diesel, GNV e mais recentemente híbridos e elétricos.

Nem todos, porém, conhecem as vantagens e as desvantagens de cada alternativa, principalmente quando se fala das novas tecnologias de eletrificação.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Para conferir o conhecimento e a opinião dos brasileiros em relação a esse tema, fizemos a pesquisa QUATRO RODAS Carros Elétricos.

O estudo foi realizado pela Inteligência Abril em parceria com a empresa Mind Miners e ouviu 3.000 pessoas (homens e mulheres maiores de 18 anos) via web, entre os dias 13 de dezembro de 2019 e 12 de janeiro de 2020.

Continua após a publicidade

Top of Mind

Arte/Quatro Rodas

Tesla e Toyota alternam o primeiro lugar na mente do consumidor

Os pesquisadores quiseram saber qual a primeira marca de automóveis que vem à mente do consumidor quando ele pensa em carro elétrico e o nome que surgiu foi o da Tesla, empresa que não atua no Brasil e nem é a maior fabricante de carros elétricos do mundo, mas se tornou referência quando o assunto é eletromobilidade graças a produtos inovadores como a recém-apresentada picape Cybertruck.

A Tesla foi lembrada por 26% dos entrevistados. Em segundo lugar, com 18%, veio a Toyota, que é reconhecida mundialmente, e no Brasil também, como fabricante de modelos híbridos como o Prius. Em terceiro, ficou a Fiat, com 6% das citações.

Arte/Quatro Rodas

Qual é a primeira marca que vem à sua mente quando pensa em carros elétricos?

Homens Tesla (41%)
Mulheres Toyota (17%)
Pessoas em geral de 18 a 44 anos Tesla (28%)
Pessoas em geral com mais de 44 anos Toyota (23%)

Comparativo

A pesquisa apontou as principais diferenças percebidas pelos internautas entre os carros elétricos e os modelos convencionais equipados com motores que queimam gasolina, etanol ou diesel, sob diversos aspectos como desempenho, rendimento, vida a bordo, custos e impacto ambiental.

Continua após a publicidade

O aspecto em que houve maior concordância entre o público foi o nível de ruído do carro elétrico, reconhecido como menor por 93% dos entrevistados.

Acreditam que:

Carros elétricos reduzem a emissão de gases no perímetro urbano, deixando
a cidade mais limpa
80%
É preciso tomar mais cuidado ao dirigir um carro elétrico, pois pedestres e ciclistas podem não ouvir a aproximação do veículo 43%
Carros elétricos podem poluir mais do que os movidos a combustível 9%

Comparado ao carro movido a gasolina, etanol ou diesel:

Carros elétricos são mais silenciosos 93%
Carros elétricos trazem mais conectividade e tecnologia embarcada 78%
O gasto com a manutenção de carros elétricos é menor 49%
Carros elétricos alcançam a velocidade desejada mais rápido 47%

Os entrevistados acreditam que:

Carros elétricos têm melhor aceleração que um convencional equivalente 31%
Carros elétricos NÃO gastam bateria quando estão parados ou no trânsito 19%
Carros elétricos têm isenção de rodízio na minha cidade

(São Paulo)

16%
Carros elétricos têm desconto do IPVA na minha cidade (estados com desconto) 20%

 

Cidade e estrada

Onze por cento dos comentários espontâneos foram relacionados às baterias e à autonomia dos carros elétricos.

“Os modelos atuais estão projetados praticamente para utilização urbana, esquecendo que em feriados prolongados e férias a maioria tem por hábito viajar de carro com a respectiva família”, disse um dos entrevistados.

Continua após a publicidade

“Acredito que híbridos sejam a melhor alternativa para uso urbano e em viagens longas, podendo usar o motor como gerador e propulsor”, afirmou outro.

A pesquisa detectou também que os motoristas se sentem inseguros quanto à infraestrutura das cidades. Os mais confiantes são os moradores do Ceará, estado em que 16% afirmaram que sua cidade oferece suporte adequado (postos de recarga, oficinas especializadas etc.).

E os mais descrentes são os motoristas de Goiás, onde apenas 1% considera a infraestrutura pronta. De modo geral, a maior preocupação dos motoristas recai sobre as viagens mais longas, nas estradas.

E 94% dos motoristas consideram uma autonomia de 300 km suficiente para carros elétricos no uso diário, mas 79% acreditam que esse rendimento fica aquém do necessário nas viagens.

Os entrevistados declaram que:

Diariamente, rodam menos que a autonomia dos elétricos* 94%
Em viagens, rodam mais que a autonomia dos elétricos* 79%

Os entrevistados acreditam que:

Carros elétricos ainda NÃO têm autonomia suficiente 35%
Demoram muito para carregar 32%
Não é possível viajar com
um carro elétrico
16%
Não atendem às necessidades atuais 12%

Acreditam que a cidade oferece suporte adequado para carros elétricos (postos de recargas, mecânicos especializados etc.)

Arte/Quatro Rodas

Preço

O alto valor de compra dos carros elétricos foi o tema mais comentado espontaneamente pelos entrevistados. Pensando na intenção de compra, a pesquisa levantou qual seria a pretensão dos consumidores em dois cenários: No primeiro, o carro elétrico figurava com preço ao menos 60% mais caro que seu similar convencional.

Continua após a publicidade

O resultado foi que mais da metade do universo dos entrevistados não compraria um carro elétrico. No segundo caso, com o carro elétrico tendo preço equivalente ao de um modelo convencional, 75% dos entrevistados mudaram de ideia, respondendo que provavelmente comprariam.

                   CARRO ELÉTRICO 60% MAIS CARO                COMPRARIAM UM ELÉTRICO        PREÇO EQUIVALENTE: ELÉTRICO VS CONVENCIONAL

Arte/Quatro Rodas

Conclusão

A pesquisa dividiu os motoristas em quatro grupos. O grupo Baixo Conhecimento é formado por dois sub-grupos: os que se julgam desinformados, mas acreditam que o carro elétrico será bom para o meio ambiente, e os que desconfiam não haver interesse das empresas e do governo nesse tema.

O grupo Futuro inclui motoristas que entendem que a tecnologia ainda não está consolidada. Entre eles há alguns que são apaixonados pelos roncos dos motores a combustão.

Os Entusiastas são os que gostam de tecnologia e uma parte deles espera ter um carro assim um dia.

Continua após a publicidade

E entre os Pessimistas há os que acreditam que os carros elétricos não são a solução ideal e os que apostam em outras tecnologias. Os dois primeiros, Baixo Conhecimento e Futuro, são os que reúnem o maior contigente de pessoas, enquanto Entusiastas e Pessimistas são minoria.

Baixo Conhecimento
  • Não é a solução ideal devido a infraestrutura, matriz energética ou sustentabilidade das baterias
  • Apostam em outras alternativas como híbrido ou hidrogênio
Futuro
  • Julgam-se desinformados. Em geral, acreditam que será bom para o meio ambiente
  • Julgam que não existe informação por interesse de grandes empresas e governo. São desconfiados e inseguros
Entusiastas
  • Valor investido precisa diminuir
  • Tecnologia e infraestrutura precisam evoluir
  • Apaixonados por barulho
Pessimistas
  • Experiência aprovada com elétrico ou híbrido
  • Aguardam a oportunidade para ter o seu elétrico

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da edição de maio da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Publicidade