Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Por R$ 264.900, JAC E-J7 quer ser alternativa elétrica a Mercedes e Audi

Chinês elétrico, o e-J7 tenta superar modelos consagrados com motores a combustão. Mas a comparação não é tão simples assim

Por Isadora Carvalho Atualizado em 3 fev 2022, 13h05 - Publicado em 21 jan 2022, 16h32

A JAC tem se segurado no mercado brasileiro graças a sua ofensiva elétrica e pode ser considerada a marca mais versátil, nesse segmento. Afinal, vende desde hatch compacto (o E-JS1 é o elétrico mais barato do país) até SUV médio e acaba de lançar o primeiro sedã grande, o JAC E-J7.

Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 9,90

A proposta desse modelo, tanto pelo porte quanto pelo desempenho, é mostrar o que a marca chinesa tem de melhor em casa. O E-J7 foi construído em plataforma própria, mas quem assina o desenvolvimento é a alemã Volkswagen, dona de 75% da divisão de elétricos da JAC.

Além da parte da engenharia, a VW também influenciou no design. É indiscutível a semelhança da sua traseira com a do SUV elétrico ID.4, graças às lanternas interligadas por uma elegante régua reflexiva. Ainda na traseira, uma outra inspiração no grupo VW são as setas dinâmicas, assim como os Audi.

JAC e-J7
Lanterna interligada é inspirada no SUV médio elétrico ID.4, da Volkswagem Divulgação/JAC

O estilo fastback da carroceria, com a abertura da tampa do porta-malas junto com o vidro traseiro (assim como nos hatchs, peruas e SUVs), é um dos destaques do design.

A linha de teto não forma nenhum ângulo com o porta-malas. A lateral ganha evidência ao por um vinco em alto relevo que eleva a linha de cintura do modelo, a qual, combinada com a área envidraçada reduzida, confere uma sensação de robustez ao carro.

JAC e-J7
Linha de cintura elevada dá ares de imponência e câmbio com seletor giratório Divulgação/JAC

A grade frontal fechada, como em todo elétrico, ganhou uma portinhola que dá acesso às tomadas de recarga.

 

E nesse ponto, a JAC comete um equivoco, porque os plugues do E-J7 (assim como de outros modelos da linha) são compatíveis com o padrão chinês GB/T, que é raro de achar nos carregadores públicos disponíveis no Brasil. O padrão mais utilizado em nosso país é o chamado Tipo 2 e isso torna necessário o uso de um adaptador (fornecido pela marca).

JAC e-J7
Há material que imita couro com costuras aparentes e câmbio com seletor giratório Divulgação/JAC

QUATRO RODAS teve a experiência de utilizar adaptador para recarga no teste com o E-JS1 e verificou que esse recurso limita a potência do sistema, aumentando o tempo necessário para a recarga das baterias.
A JAC garante que na tomada convencional ou wallbox, o dono do sedã precisará de pouco mais de seis horas para carregá-lo (20% a 100%). E, em um sistema de carga rápida, seriam necessários somente 30 minutos.

Segundo a fábrica, o grande trunfo do sedã está no fato de ser relativamente leve e isso contribui para uma autonomia maior. De fato, isso é bom. Mas não compensa a dificuldade criada pelos plugues chineses. O E-J7 pesa 1.650 kg e pode rodar até 402 km, de acordo com a JAC.

Continua após a publicidade

JAC e-J7
Volante tem comandos para central e para o computador de bordo. Há freio elêtronico com função auto-hold Divulgação/JAC

O conjunto de baterias de fosfato de ferro de lítio totalizam 50,1 kWh de capacidade – a mesma oferecida pelo Peugeot 208 e-GT que pesa apenas 120 kg a menos e tem autonomia de 340 km.

Custando R$ 264.900, a fábrica tem a ambição de posicionar o JAC E-J7 como alternativa aos sedã médios alemães de luxo, equipados com motor a combustão. Com esse objetivo, na apresentação que fez para a imprensa, em um circuito fechado, a JAC organizou uma prova de arrancada alinhando o elétrico com Audi A4, BMW Série 3 e Mercedes Classe C.

JAC e-J7
Divulgação/JAC

De fato, o E-J7 sai na frente de todos, mas isso já era esperado, afinal, nos elétricos o torque máximo disponível é imediato, enquanto nos carros equipados com motores térmicos essa força só é alcançada em uma faixa de giro específica.

JAC e-J7
Divulgação/JAC

O motor elétrico do chinês oferece 193 cv e o torque é de 34,7 kgfm. O BMW 320i, que é o líder do segmento, proporciona 184 cv e 30,6 kgfm. Assim, enquanto o E-J7 acelerou de 0 a 100 km/h em 5,9 segundos, o BMW precisou de 7,6 segundos.

JAC e-J7
Volante não tem ajuste de profundidade Divulgação/JAC

Só tivemos a oportunidade de dirigi-lo em circuito fechado, mas foi possível observar que em curvas mais acentuadas a carroceria rola mais do que deveria e os pneus perdem aderência com facilidade. E esse ruído também foi percebido em frenagens mais bruscas, apesar do ABS. Essa perda de aderência pode ser creditada aos pneus ou à suspensão ineficiente, embora o E-J7 tenha suspensão multilink na traseira.

JAC e-J7
Na traseira, assoalho é plano Divulgação/JAC

Na cabine, o JAC se aproxima dos sedãs de luxo com o uso de materiais de boa qualidade no acabamento. A tela central de 13” tem formato vertical, assim como os elétricos da BYD, com conexão com Apple CarPlay e Android Auto, por cabo.

O pacote de equipamentos é completo, há airbags frontais, laterais e de cortina e sistemas de auxílio à condução como ESP, assistente de partida em rampas e monitoramento de pressão de pneus. Porém, não espere tecnologias mais avançadas como piloto automático adaptativo e frenagem autônoma de emergência – presentes nos sedãs alemães.

JAC e-J7
Teto solar vem como equipamento de série Divulgação/JAC

O JAC é mais barato que os sedãs premium, os quais nas diferentes versões custam entre R$ 280.000 e R$ 380.000. Para conquistar o público das marcas de luxo, no entanto, não bastam preço e desempenho e eficiência.

Veredicto – Primeiro sedã elétrico de luxo da JAC, o E-J7 é mais rápido e barato que os alemães, mas falta conteúdo tecnológico e de segurança.

Ficha técnica – JAC E-J7

  • Preço: R$ 264.900
  • Motor elétrico: 193 cv, 34,7 kgfm; baterias de fosfato de ferro de lítio, 50,1 kWh
  • Câmbio: automático, 1 m., tração dianteira
  • Direção: elétrica Suspensão: McPherson (diant.), multilink (tras.)
  • Freios: disco ventilado (diant.), sólido (tras.)
  • Pneus: 215/55 R17
  • Dimensões: comprimento,477 cm; largura, 182 cm; altura, 151 cm; entre-eixos, 276 cm; peso, 1.650 kg; porta-
    -malas, 590 l;

Desempenho:
0 a 100 km/h –
5,9 s
Velocidade máxima – 150 km/h

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

A edição 754 de QUATRO RODAS já está nas bancas!

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

Impressa + Digital

Plano completo da QUATRO RODAS! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

App QUATRO RODAS para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês