Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Audi A4 se atualiza e vira híbrido para tentar superar Classe C e Série 3

Sedã alemão chega à linha 2021 com mudanças no visual, no conteúdo e com um motor híbrido leve de olho nos rivais líderes de mercado

Por Isadora Carvalho Atualizado em 25 mar 2021, 12h07 - Publicado em 25 mar 2021, 08h00
Audi A4 2021
As mudanças na dianteira deixaram o sedã com visual mais esportivo Fernando Pires/Quatro Rodas

O Audi A4 já teve dias melhores em nosso mercado. Em 2020, foram 176 unidades comercializadas, contra 5.170 unidades do rival BMW Série 3, que é o líder da categoria. A razão para essa participação tão discreta está relacionada a diversos fatores, como tudo o que acontece no mercado de automóveis.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 7,90

Mas um motivo relevante é o fato de o A4 estar defasado diante de concorrentes como o Série 3 e o próprio Mercedes Classe C, que está perto de ganhar uma nova geração, mas recebeu atualizações recentes e teve 2.164 unidades vendidas em 2020. A atual geração do A4 é de 2015.

 

Audi A4 2021
As saídas de escapamento agora são embutidas no para-choque Fernando Pires/Quatro Rodas

Agora, o Audi está chegando reestilizado e com novos equipamentos. As mudanças não foram profundas, mas precisas e são alterações que lhe dão um respiro até a chegada de uma nova geração.

O visual dianteiro foi o que mais rejuvenesceu, recebeu novos faróis e a assinatura de led. Para completar o design externo, as linhas de toda a carroceria seguem o DNA da marca – com grade hexagonal maior e mais proeminente.

 

Audi A4 2021
O sedã conta com suspensão que filtra bem as imperfeições do piso e traz estabilidade em curvas Fernando Pires/Quatro Rodas

O para-choque também cresceu e foi redesenhado para abrigar entradas de ar maiores, que agora têm a função de acolher os radares dos assistentes de condução.

A traseira traz alterações mais sutis, pois as lanternas mantêm o mesmo formato retangular, apenas ganharam novas lentes e lâmpadas full-led com luzes de apresentação. E, para finalizar, as saídas de escapamento ficaram retangulares e foram incorporadas ao para-choque.

Audi A4 2021
Motor híbrido leve gera 249 cv de potência Fernando Pires/Quatro Rodas

A versão mostrada aqui é a topo de linha Performance Black (substituta da Ambiente), que traz de série o kit S-Line, que inclui para-choques mais esportivos, detalhes em preto na grade e rodas aro 18 (com o mesmo desenho da versão anterior), na parte externa, e frisos e assentos esportivos, no interior.

Todas as três versões (Prestige, Prestige Plus e Performance Black) são equipadas com o motor 2.0 turbo e câmbio automatizado de dupla embreagem S Tronic de sete marchas.

Audi A4 2021
A Audi aposentou o seletor da central multimídia, que ficava no console Fernando Pires/Quatro Rodas

Porém, nas de entrada o propulsor rende 190 cv de potência e 32,6 kgfm de torque, enquanto na topo de linha gera 249 cv e 37,7 kgfm graças à assistência de um motor elétrico auxiliar (sistema híbrido leve).

Essa tecnologia alivia a carga do motor térmico em razão da substituição do alternador por um motor elétrico mais robusto (mas incapaz de movimentar as rodas como em um híbrido pleno).

Audi A4 2021
Bancos de couro e Alcantara são exclusivos da versão mais cara Performance Black Fernando Pires/Quatro Rodas

O objetivo desse sistema híbrido leve não é melhorar o desempenho. Sua função está em ajudar no consumo e nas emissões, principalmente. Embora isso não tenha ficado claro em nossa pista de testes, comparando o modelo atual com o anterior (que tinha motor 2.0 de 252 cv e 37,7 kgfm).

Os números de aceleração foram praticamente os mesmos, com o tempo de 6,1 s para ir 0 a 100 km/h. E o consumo teve uma ligeira piora de 11 km/l para 10 km/l, na cidade, e de 14,9 km/l para 13,4 km/l, na estrada.

  • Audi A4 2021
    Túnel central elevado atrapalha a vida a bordo do 5° passageiro Fernando Pires/Quatro Rodas

    Além do motor mais potente, a versão Performance Black oferece a conhecida tração integral quattro da Audi, que identifica a falta de aderência das rodas dianteiras e ativa a tração do eixo traseiro como forma de compensar a tração.

    Continua após a publicidade

    Essa característica torna a condução mais confiante e agradável, somando-se a isso a elevada rigidez torcional da carroceria e a suspensão equilibrada (McPherson na frente e multilink atrás), que filtra bem as imperfeições do piso ao mesmo tempo que segura a carroceria nas curvas.

    Audi A4 2021
    Fernando Pires/Quatro Rodas

    A atualização contemplou melhorias no que diz respeito à conectividade. Ao contrário do SUV Q3, por exemplo, o sedã não conta com duas telas touch para a central multimídia. No lugar, há apenas uma tela de 10,1” flutuante.

    Mas esta é de fácil operação, que está bem mais intuitiva e facilitada – principalmente pelo fato de que deixou de ser comandada pelo botão seletor que ficava em frente ao câmbio. Há conexão com Android Auto e Apple CarPlay.

    Audi A4 2021
    Fernando Pires/Quatro Rodas

    O painel de instrumentos digital perdeu os mostradores de nível de combustível e temperatura, que foram para dentro das funções do computador de bordo – mudança que deixou o visual mais limpo. Há três estilos de mostradores que podem ser configurados.

    A versão Performance Black traz um pacote de equipamentos completo, que inclui ar-condicionado de três zonas, bancos dianteiros elétricos com memória para o motorista, piloto automático adaptativo, alerta de saída de faixa e teto solar.

    Audi A4 2021
    Fernando Pires/Quatro Rodas

    Destaque também para o volante de base reta com boa empunhadura, os bancos esportivos revestidos de Alcantara, que apoiam bem o corpo, e para o carregador de celular por indução.

    O preço é R$ 304.990 – isso sem os opcionais que seriam bem-vindos, como head-up display (R$ 7.500), sistema de som Bang & Olufsen (R$ 8.000), pacote Assistance City (pre sense traseiro e alerta de ponto cego, R$ 8.000) e os faróis full-led Matrix (R$ 12.000) – chegando a R$ 332.490.

    Fotos do Audi A4 Performance Black 2021

    Nessa faixa de preço, ele briga com modelos como o Volvo S60 T8 Polestar (R$ 336.950) e o BMW 330e M Sport (R$ 319.950), e é aí que mora o perigo. Dois rivais que são híbridos e têm projetos mais modernos. Portanto, talvez apenas uma renovação não seja o suficiente para reconquistar o público brasileiro.

    VEREDICTO
    A atualização lhe fez bem, mas o A4 ainda precisa evoluir em alguns aspectos para enfrentar os rivais.

    Teste – Audi A4 Performance Black

    Aceleração

    • 0 a 100 km/h: 6,1 s
    • 0 a 1.000 m: 26,2 s – 203,2 km/h
    • Velocidade máxima: 250 km/h*

    Retomadas

    • D 40 a 80 km/h: 2,6 s
    • D 60 a 100 km/h: 3,4 s
    • D 80 a 120 km/h: 4,1 s

    Frenagens
    60/80/120 km/h a 0: 16,6/24,3/56,3 m

    Consumo

    • Urbano: 10 km/l
    • Rodoviário: 13,4 km/l

    Preço
    R$ 304.990

    Ficha técnica

    Motor: gasolina, dianteiro, transversal, 16V, turbo, 1.984 cm3; 249 cv a 5.000 rpm, 37,7 kgfm a 1.600 rpm
    Câmbio: 7 marchas, tração integral (quattro)
    Direção: elétrica
    Suspensão: McPherson (dianteira) / multilink (traseira)
    Freios: disco ventilado (dianteiro e traseiro)
    Pneus: 245/40 R18
    Peso: 1.660 kg
    Dimensões: comprimento, 477 cm; largura, 184,7 cm; altura, 142,9 cm; entre-eixos, 282,2 cm; tanque, 58 l; porta–malas, 460 l

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    capa 743
    Arte/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade