Clique e assine por apenas 8,90/mês

Troca de óleo por sucção ou por drenagem?

Apesar das recomendações dos fabricantes, cada método possui seus prós e contras

Por Redação - Atualizado em 2 jan 2017, 17h32 - Publicado em 9 jun 2016, 16h35

Troca de óleo por sucção numa oficina especializada da cidade

Faço a troca de óleo em um local onde há uma máquina que suga o óleo pela vareta de verificação do nível, em vez de deixá-lo escorrer pelo cárter. Isso pode causar algum dano? — Lafaele Araújo, por e-mail.

Quando bem executado, o sistema a vácuo (ou de sucção) não causa dano. Prova disso é que ele é amplamente difundido nos Estados Unidos. Mas o método não é recomendado por algumas montadoras e técnicos porque exige um funcionário bem treinado e experiente, além de um nível de pressão adequado ao tipo de motor. Segundos seus detratores, ao retirar o óleo por drenagem, temos a certeza de que ele se esgotou por completo. Já no método que faz a aspiração, o técnico pode ter deixado um pouco de lubrificante velho em algum canto do cárter, dependendo do desenho interno.

Seus críticos argumentam ainda que, se houver uma partícula metálica depositada no fundo, por ser mais pesada, ela pode não ser puxada pela mangueira de pressão. Mas o processo de sucção também tem suas vantagens: é bem mais rápido e não há o risco de danificar o bujão (parafuso que veda o cárter) ou o próprio cárter, especialmente quando ele é feito de alumínio.

Publicidade