Clique e assine por apenas 6,90/mês

Toda picape precisa ter capacidade de carga mínima para poder ser diesel?

Uso do combustível conta com uma série de restrições para seu uso em automóveis de passeio e comerciais leves

Por Rodrigo Ribeiro - Atualizado em 2 fev 2019, 09h07 - Publicado em 27 dez 2018, 09h09
A antiga versão Freedom tinha tração 4×2, mas motor diesel Divulgação/Fiat

Toda picape precisa ter capacidade de carga mínima de 1.000 kg para poder ter motor diesel? – Sandro Alves, Santo André (SP)

Sim, por conta de uma restrição legal. As picapes são isentas das imposições exigidas por veículos de uso misto, como SUVs, mas devem ter capacidade de carga mínima de 1 tonelada – como a antiga Fiat Toro Freedom 2.0 4×2.

Turbodiesel 6.7: consumo de 5,3 km/l na cidade
Os motores a diesel têm diversas diferenças técnicas para os propulsores a gasolina ou flex Christian Castanho/Quatro Rodas

Já para os SUVs a legislação exige que, para usar motor diesel, o veículo atenda a determinados requisitos para o fora de estrada (como ângulos mínimos de entrada e saída e suporte para reboque), tração nas quatro rodas e reduzida.

Só que este último quesito tem sido contornado pelas marcas por meio de sistemas eletrônicos de tração ou uso de uma primeira marcha muito curta, como no Jeep Renegade.

Continua após a publicidade

Esses modelos, que trilham um caminho aberto pelo antigo Mercedes ML, defendem que os modos de condução diferenciados compensam a ausência da reduzida.

Discussão antiga

A proibição do uso do diesel em carros no Brasil começou na década de 70 e perdura até os dias atuais.

Por conta disso, apenas caminhões e ônibus, em geral, podem usar o diesel — que é subsidiado pelo governo.

Continua após a publicidade

As exceções são, além das picapes supracitadas, veículos off-road e carros de embaixada.

Uma série de projetos do governo estuda a liberação do combustível, que é mais eficiente que a gasolina.

No entanto, o custo cada vez mais elevado para fazer motores diesel que atendam às normas de emissões fez com que esse combustível tenha perdido participação até mesmo na Europa, maior região consumidora desse tipo de carro.

Soma-se a isso o escândalo do Grupo Volkswagen e o futuro para carros de passeio a diesel está mais incerto do que nunca.

Publicidade