Clique e assine por apenas 8,90/mês

Qual a utilidade do modo neve de condução em países tropicais?

Ele pode ser útil ao enfrentar lama ou grama molhada. Mas não serve para economizar combustível

Por Redação - Atualizado em 2 jan 2017, 16h44 - Publicado em 20 set 2016, 16h08

Seletor de modo de condução do Jeep Cherokee

O modo neve do câmbio automático pode ser usado para ajudar o carro a sair de terrenos mais escorregadios, como a lama? – Kauê Pereira Longo Salvador, por e-mail.

Os câmbios automáticos com o botão de neve acionado na cidade não deveriam ser mais econômicos, já que eles arrancam em segunda marcha? – Rodrigo Jacomelli Simas, Porto Alegre (RS).

As duas perguntas estão relacionadas, portanto vamos respondê-las juntas.

Continua após a publicidade

O modo neve oferecido em alguns carros com câmbio automático geralmente é acionado por um botão que ostenta o símbolo de um floco de neve. Nos casos de veículos com seletor de modo de condução, ele pode ser identificado pela palavra “snow”.

Na prática, ele altera a programação do câmbio automático para fazer com que o veículo saia da imobilidade em segunda marcha, com aceleração mais suave. Esse recurso reduz a tendência de a roda girar em falso na partida, mas assim que entra em movimento as mudanças de marcha passam a ser feitas no modo tradicional.

O modo deve ser acionado apenas quando o veículo está parado sobre pisos de baixa aderência. No Brasil e em países onde a neve é raríssima, ele também pode ser usado na lama ou em superfícies escoregadias, como a grama molhada.

Sobre a possível economia de combustível, a resposta é não. Como a caixa da transmissão recorre a uma marcha mais alta (segunda ou terceira) para permitir que ele saia de situações de baixa aderência sem patinar, em condições normais (como na cidade) isso apenas deixaria o arranque mais lento.

Continua após a publicidade

Além disso, poderia instigar o motorista a pressionar mais o acelerador para compensar a falta de vigor no arranque, o que forçaria mais o motor fora de sua faixa de rotação ideal, consumindo mais combustível do que se a saída fosse feita em primeira marcha.

Publicidade