Clique e assine por apenas 8,90/mês

Por que o nível de combustível não é mostrado em litros?

Ao longo do tempo, convencionou-se indicar o total no tanque mostrando o nível por quartos de volume

Por Da Redação - 19 set 2018, 14h55
Painel-Maserati-Sebring
Marcação do combustível sem litros: prática antiga, mas há uma razão Christian Castanho/Quatro Rodas

A resposta é simples: para você ver a informação mais rápido.

“Ao longo do tempo, convencionou-se indicar o total de combustível no tanque mostrando o nível por quartos de volume. Portanto, trata-se de uma informação meramente indicativa do volume aproximado”, explica Francisco Satkunas, conselheiro da SAE Brasil.

Atualmente, alguns modelos indicam em seu computador de bordo a quantidade em litros aproximada que foi gasta pelo carro, como o Renault Kwid.

Uma das exceções era o Smart ForTwo de segunda geração, que mostrava quantos litros restavam no tanque quando ele entrava na reserva.

Continua após a publicidade

Ao contrário

Não importa se é gás ou líquido que há no tanque: na maioria dos carros precisamos nos contentar com barrinhas para saber quanto resta Christian Castanho/Quatro Rodas

Nos carros que indicam o combustível usado em cada rodagem é possível ter uma ideia de quanto resta no compartimento.

Mas sua praticidade é limitada. Para que a informação divulgada tenha utilidade é necessário encher o tanque do carro, zerar o computador de bordo e saber de cabeça o volume do compartimento de combustível.

No caso do Kwid, são 38 litros até o carro encarar a pane seca. Mas mesmo essa quantidade é relativa – é comum que o os veículos comportem mais combustível do que o indicado pela fábrica.

Entre os motivos desta discrepância estão o tamanho do cano que conecta o bocal de reabastecimento do tanque, o formato do compartimento e até mesmo o momento em que a bomba do posto é desarmada.

Publicidade