Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Por que alguns carros só ligam com a embreagem pressionada?

Não, você não estará aliviando o motor de partida ao fazer isso

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 11 Maio 2021, 11h31 - Publicado em 13 dez 2017, 20h14
Honda Civic Si Coupé
Exigência de alguns carros não tem a ver com durabilidade do motor de partida Divulgação/Honda

Em alguns carros não basta girar a chave para acordar o motor. O motorista precisa apertar a embreagem para então acionar a partida. Mas por que isso é necessário?

Para descobrir a razão, perguntamos para Ford e Hyundai – ambas fabricantes que exigem o procedimento em seus carros equipados com câmbio manual. Não são as únicas, claro, e outras empresas também adotaram essa prática em um ou outro modelo, como o Volkswagen Polo da geração anterior.

De acordo com a empresa coreana, “trata-se de um procedimento de segurança para evitar que o motorista dê a partida no motor com o veículo engatado, o que poderia causar acidentes”.

A Ford segue o mesmo princípio: “se o motor de partida for acionado com a marcha engatada, essa ação pode gerar um movimento brusco no veículo, e assim causar algum dano ou machucar alguém.

Por esse motivo, a Ford adicionou um dispositivo que só permite o acionamento do motor de partida com a embreagem acionada, evitando que o movimento do motor seja transmitido às rodas, no caso de alguma marcha estar engatada”.

Continua após a publicidade

embreagem manual hyundai
Hyundai é uma das fabricantes que exigem que o motorista pise na embreagem antes da partida Henrique Rodriguez/Hyundai

Na verdade, essa é uma forma de impor uma atitude recomendada em manuais de veículos de outros fabricantes – também motivados pela segurança que isso proporciona.

O que não há é vantagem mecânica. Pisar na embreagem com o intuito de desacoplar o câmbio do motor não fará diferença na durabilidade do motor de arranque ou da bateria. A não ser que seu carro tenha mais de 50 anos – e a prática permanece no processo de aprendizagem dos motoristas mais novos até hoje.

Essa recomendação vem do tempo que o sistema elétrico dos carros era de 6 volts. Não girar algumas engrenagens durante a partida era uma economia, bem-vinda, da carga da bateria.

Desde os anos 60 os sistemas elétricos são de 12 volts e os motores de arranque, mais eficientes. O uso de reduções planetárias internas também ajudou a tornar essa prática desnecessária do ponto de vista mecânico.

Continua após a publicidade

Publicidade