Clique e assine por apenas 8,90/mês

Correio Técnico: onde fica o sensor de temperatura externa do carro?

Localização do dispositivo varia de acordo com o modelo, mas todos seguem uma mesma lógica

Por Rodrigo Ribeiro - Atualizado em 21 nov 2019, 08h00 - Publicado em 21 nov 2019, 07h00
Sensor de temperatura do Sonic fica “camuflado” na grade do radiador Divulgação/Chevrolet

Onde normalmente se localiza o sensor de temperatura externa? Antonio Carlos Wosgrau, Brasília (DF)

Geralmente na dianteira, próximo ao solo. O ideal seria que o sensor ficasse na sombra, sempre distante de qualquer fonte de calor.

Como isso é quase impossível em um carro, a maioria das fabricantes escolhe pontos perto da parte de baixo do para-choque dianteiro.

Isso permite que o sensor não seja afetado pelo calor do motor, mas acaba sendo exposto a temperaturas elevadas próximas do asfalto, especialmente em dias ensolarados e com o veículo parado.

Continua após a publicidade

Por conta disso, é comum o carro indicar temperaturas até 10º Celsius acima da real após ele ficar estacionado em um local descoberto. Alguns minutos depois da rodagem, porém, ela tende a baixar.

Controle rigoroso

A cortina do teto solar se fecha automaticamente se o XC90 estiver parado em locais quentes Volvo/Divulgação

A medição da temperatura externa em modelos de luxo não é usada somente para o ar-condicionado. Nos modelos mais recentes da Volvo, como o XC90, a cortina do teto-solar pode se fechar automaticamente caso a temperatura externa esteja elevada.

Modelos elétricos também possuem um monitoramento rigoroso de temperatura, já que suas baterias de íon-lítio são sensíveis à grandes variações térmicas.

E a maioria dos veículos possui ao menos um sensor de temperatura do ar, pois essa informação ajuda a injeção eletrônica a fazer o ajuste ideal de ponto de ignição, fase do comando de válvulas e mistura ar-combustível.

Continua após a publicidade

Este sensor, entretanto, fica bem mais escondido, e normalmente é posicionado ao longo da admissão, próxima à borboleta.

Tem outras dúvidas? Envie sua pergunta para correiotecnico@abril.com.br!

Publicidade