Clique e assine por apenas 8,90/mês

Com o passar dos anos, o motor perde sua potência original?

A longo prazo, desgaste das peças pode gerar folgas e excesso de carbonização, reduzindo sua performance

Por Da Redação - Atualizado em 25 nov 2016, 15h06 - Publicado em 25 nov 2016, 15h04

É verdade que, com o passar dos anos, o motor do carro vai perdendo sua potência original? – Augusto Redusino, por e-mail.

Questões desse tipo variam muito conforme o uso e a manutenção feita pelo proprietário. No geral, porém, a resposta é sim. Com o tempo, os motores perdem o rendimento original devido ao desgaste natural das peças, como cilindros, camisas e anéis de pistão, mancais de virabrequim, ou mesmo pela falta de manutenção.

Esse desgaste favorece tanto o surgimento de folgas entre as peças internas como o acúmulo de depósitos de carbonização, que pode aumentar o atrito entre os componentes móveis ou alterar o fluxo da mistura ar/combustível. Outro efeito colateral da idade é a degradação do sistema de refrigeração (radiador, mangueiras, válvulas), que pode fazer o motor trabalhar em temperaturas maiores do que a ideal.

Por outro lado, num intervalo mais curto de tempo, o inverso também pode acontecer. Nos testes de Longa Duração, onde os carros cumprem rigorosamente suas rotinas de manutenção, é comum que os veículos demonstrem números de desempenho e consumo melhores após 60.000 km rodados graças ao assentamento das peças móveis do motor.

Continua após a publicidade
Publicidade