Guia de usados: Hyundai i30 CW

Pouco lembrada, a perua coreana é uma excelente opção para as famílias que não simpatizam com utilitários esportivos

Não parece, mas a perua é 23 cm maior que a versão hatch

Não parece, mas a perua é 23 cm maior que a versão hatch (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Em 2009, o Hyundai i30 chegou à liderança dos hatches médios prometendo a tecnologia, o design, a esportividade e o luxo dos melhores alemães e ingleses. Exageros à parte, o que cativou o público foi o nível de itens de série, o comportamento dinâmico e o motor 2.0 de 145 cv.

E foi nessa fórmula que a marca se baseou para lançar em 2010 a i30 CW(Crossover Wagon). A perua coreana era basicamente um i30 com 5 cm a mais entre os eixos e 23 a mais no comprimento, que resultaram num porta-malas de 415 litros (75 maior).

O resultado agradou: os 44 kg extras quase não alteraram o desempenho, consumo e estabilidade. A diferença mais marcante no estilo estava nas lanternas, alongadas até o teto.

Com 415 litros, ele leva 55 a mais de bagagem que o i30

Com 415 litros, ele leva 55 a mais de bagagem que o i30 (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Tendo a Mégane Grand Tour como rival exclusiva, a i30 VW veio na versão única GLS, diferenciada só pelo pacote de opcionais. O básico (chamado pela Hyundai de intermediário) traz câmbio manual de cinco marchas (ou automático de quatro), airbag duplo, ar-condicionado, ABS com EBD, computador de bordo, piloto automático, som com MP3 e entrada USB e iPod e as rodas aro 17 do hatch.

Cabine é bem construída, mas iluminação azulada do painel cansa em longas viagens

Cabine é bem construída, mas iluminação azulada do painel cansa em longas viagens (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Acima, havia o Completo (adicionava teto solar), Completíssimo (ar digital, couro e airbags laterais e de cortina) e Top (ESP, sensor de ré e disqueteira para seis discos), sempre com o limitado câmbio automático. Atenção: nem todas têm as úteis barras longitudinais no teto e a cobertura retrátil do porta-malas, que eram acessórios de concessionária.

A baixa liquidez das peruas facilita a vida de quem aprecia um carro familiar sem as desvantagens dos SUVs: a i30 CW oferece maior espaço interno quando comparada ao ix35 ou Tucson, sem perder porta-malas, embora o acesso à bagagem seja favorecido pela plataforma mais baixa.

Interior transmite solidez de construção e bom acabamento

Interior transmite solidez de construção e bom acabamento (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Espaço para quem vai no banco traseiro é bom

Espaço para quem vai no banco traseiro é bom (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Além dos valores abaixo da tabela, outra vantagem é a mecânica já bem conhecida dos mecânicos. E todos os componentes de desgaste normal são oferecidos a pronta entrega pela rede autorizada e facilmente encontrados no mercado paralelo. Só não espere revender uma CW facilmente.

O motor 2.0 de 145 cv e 19 mkgf garante bom desempenho

O motor 2.0 de 145 cv e 19 mkgf garante bom desempenho (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Onde o bicho pega

Motor – Fique atento a ruídos estranhos após uma partida a frio. Um erro comum é a troca do óleo 5W20 ou 5W30 pelo 10W40 – o que já foi feito até pelas autorizadas.

Câmbio – Robusta, a caixa automática pode apresentar trancos ou retenções desnecessárias. Em geral, a causa é o corpo de válvulas, que custa R$ 2.289, mais quatro horas de serviço (R$ 1.084).

Rodas – Como sofrem com a buraqueira, cheque se há amassados, denunciados também por vazamento de ar do pneu. Uma nova custa mais de R$ 2.900.

Suspensão – Ruídos anormais podem ser causados pelo desgaste excessivo de buchas, batentes e bieletas, chegando a comprometer o conforto e a vida útil dos amortecedores. Uma revisão geral pode chegar a mais de R$ 1.500.

Retrovisores – Os externos são retráteis e, por isso, é necessário testar a regulagem elétrica e o rebatimento elétrico. Um espelho novo sai por mais de R$ 1.350.

Teto solar – Mofo na forração é indício de infiltração de água. Confira se ele abre e fecha de modo progressivo e sem estalos, problemas causados por acúmulo de detritos e lubrificação incorreta do trilho.

A voz do dono

  • Nome: Gustavo Bellan
  • Idade: 35 anos
  • Profissão: funcionário público
  • Cidade: Americana (SP)

O que eu adoro – “Gosto do motor: não decepciona nem com o câmbio automático de só quatro marchas. Dirigibilidade excelente, com muito conforto e estabilidade. Espaçoso e com ótimo acabamento.”

O que eu odeio – “Acho o consumo urbano alto. Provavelmente seria menor com uma transmissão CVT ou com mais marchas. E como a oferta foi pequena, certas peças exclusivas da perua são difíceis de encontrar.”

Preço médio dos usados (tabela Fipe)

Modelo 2011 2012
Hyundai i30 CW GLS 2.0 manual    R$ 34.608    R$ 36.967
Hyundai i30 CW GLS 2.0 automático    R$ 34.948    R$ 38.798

Preço das peças

Original Paralelo
Para-choque (dianteiro) R$ 1.040 R$ 550
Farol (cada um) R$ 1.468 R$ 840
Discos de freio (par) R$ 942 R$ 370
Pastilhas de freio (jogo) R$ 467 R$ 130
Amortecedores (quatro) R$ 2.648 R$ 1.500
Embreagem R$ 1.734 R$ 1.200
Veja também
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Tem que ser muito mula pra comprar um Mico desse!!!

  2. Excelente carro melhor que esses mini”SUV” da moda, pena que foi descontinuada…

  3. Linda! Para os amantes de peruas dá dó quase não vê-las mais pelas ruas. Outro dia um Golf Variant azul passou por mim no trânsito e quando reparei disse para mim mesmo: Que carro lindo!