Clique e assine por apenas 8,90/mês

Longa Duração: qual marca ofereceu o melhor serviço de revisão?

No último mês, a frota de Longa visitou a rede para um pit-stop. GM, Audi, Nissan e Fiat: quem cuidou melhor de seu cliente?

Por Péricles Malheiros - Atualizado em 26 jan 2017, 14h02 - Publicado em 26 jan 2017, 14h00

Os quatro integrantes da frota de Longa atingiram no último mês uma quilometragem de revisão: Cruze e Kicks, com 10.000 km; Mobi, com 20.000 km; e Audi A3, com 40.000 km. Veja, a seguir, como foi o atendimento dado a cada um.

Longa duração: revisão geral
Will

Cruze: confusão em Brasília

Como o Chevrolet Cruze estava em viagem em Brasília (DF), elegemos a concessionária Pedragon para a primeira manutenção do nosso sedã. Foi uma confusão só. Primeiro, disseram que a revisão levaria cerca de 45 minutos no boxe de serviço rápido.

Mas… “Vai demorar, chefe. O carro ainda não aparece no nosso sistema e não fizeram os kits das peças necessárias. Na verdade, nem sei o que essa revisão inclui. É o primeiro Cruze dessa geração que aparece aqui”, desculpou-se o técnico. O nó só foi desatado quando o editor Péricles Malheiros sugeriu que seguissem o plano mostrado no site da GM e as especificações que estão no manual do proprietário.

Outro deslize foi notado durante a remontagem das rodas no carro, balanceadas enquanto óleo e filtros eram trocados. “Avisei ao técnico que o rodízio estava errado, mas ele só se convenceu a corrigir depois que eu mostrei o modo certo no manual”, diz Péricles.

Continua após a publicidade

Ao fechar a conta, a Pedragon tentou cobrar R$ 750 pela revisão. O editor discordou e, de novo, o site da GM foi consultado. No fim, deram até um descontinho sobre o preço sugerido de R$ 256: R$ 251.

Audi A3: filtro sujo

A Audi lançou o Airport Service, uma miniconcessionária na área VIP do estacionamento do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Deixamos o nosso A3 lá, para a revisão de 40.000 km.

Por telefone, o técnico disse: “Vou abater o valor do filtro de cabine, ainda em bom estado, e do fluido de freio, cuja troca é indicada somente a cada dois anos”, explicou. No fim, a conta caiu dos sugeridos R$ 1.700 para R$ 1.050. Como o Airport Service não tem alinhamento, partimos para a Audi Center de Jundiaí (SP), que cobrou R$ 280 pelo serviço.

Ao verificar os serviços, nosso consultor Fabio Fukuda, disse: “Uma das duas autorizadas trocou o filtro de cabine, pois a peça que está no carro não tem a nossa marcação, feita após a revisão anterior. Para piorar, colocaram um filtro bem sujo”.

Continua após a publicidade

O estagiário Guilherme Fontana, que levou o A3 até a Audi de Jundiaí, garante: “O erro foi da unidade do aeroporto. Em Jundiaí, estava ao lado do técnico quando ele tirou e recolocou o filtro. Ele ainda comentou que, naquele estado, deveria ter sido trocado”.

Longa duração: revisão geral
Will

Kicks: sem rastro

Na Itavema, deixamos o Nissan Kicks para a primeira revisão (R$ 411) junto com um pedido de verificação da partida a frio, pois em dias com temperatura baixa o motor apagava logo após ser ligado – conforme já foi relatado aqui.

Dispensamos a lavagem, mas mesmo assim o SUV foi devolvido limpo. Sobre a partida a frio, a Itavema disse ter passado o scanner na central eletrônica, mas nada foi detectado. “Estava tudo certo, inclusive o rodízio de pneus”, disse Fabio Fukuda.

Mobi: empurroterapia

A segunda revisão do nosso Fiat Mobi foi feita na Destaque, de Mogi das Cruzes (SP). Primeiro, tentaram vender serviços que elevariam a conta para R$ 1.300 (219% mais que os R$ 408 sugeridos pela Fiat), como descarbonização do motor e limpeza de bicos.

Continua após a publicidade

Depois, devolveram o carro sem fazer o rodízio. Dispensamos ainda um kit de lubrificação de maçanetas e fechaduras, que, se fosse mesmo necessário, deveria estar incluso no valor da revisão.

Publicidade