Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Audi RS 6 Avant

Perua é um veículo familiar, mais voltado para o conforto... Bem, diga isso à Audi!

Por Péricles Malheiros | Fotos Christian Castanho Atualizado em 9 nov 2016, 00h45 - Publicado em 7 nov 2013, 00h20
testes

Em 1994, a Audi surpreendeu o mundo com uma receita inusitada. Os alemães uniram um motor de alta performance a uma carroceria de perua (station wagon), dando origem à mítica Avant RS 2, um canhão com freios desenvolvidos pela Porsche para segurar o ímpeto dos 315 cv do motor turbo de cinco cilindros em linha. Desde então, a mistura foi copiada pela concorrência (a Mercedes com Touring AMG e a BMW com M Touring) – e, claro, aprimorada pela Audi. Aperte o cinto e prepare-se para conhecer a RS 6 Avant 2014 e todo o sentido da palavra evolução. Esta perua esportiva destrói todos os números de suas antecessoras RS 2, RS 4 e da primeira RS 6, apresentada em 2008. Mesmo a comparação com esta última revela um desempenho bem mais empolgante do modelo 2014. O V10 5.0 de 580 cv cedeu lugar para um motor menor: V8 4.0 de 560 cv. A transmissão também é nova: em vez da automática de seis marchas, há agora uma de oito velocidades, também com conversor de torque e fornecida pela ZF.

Ou seja, num primeiro momento, os números decepcionam, mas você está lembrado do que foi dito sobre evolução? Mesmo com a perda de dois cilindros e de 1 litro de deslocamento volumétrico, a nova RS 6 faz mais bonito na hora de acelerar. De acordo com a Audi, sua station vai de 0 a 100 km/h em 3,9 segundos, contra 4,6 da anterior. Em nossos testes, porém, a RS 6 2014 não conseguiu baixar da casa dos 4 segundos, ficando com a média de 4,4 segundos – e uma melhor passagem de 4,3. Outro claro sinal de evolução está no consumo de gasolina. Com média de 6,8 km/l no ciclo urbano e 10,5 km/l no rodoviário, o mais recente membro da família RS desbanca a geração anterior, avaliada na versão sedã em janeiro de 2010, com 5,9 km/l (na cidade) e 8,9 km/l (na estrada).

Boa parte dessa evidente evolução deve ser atribuída à transmissão automática ZF de oito marchas. Com funcionamento rápido, o novo câmbio é ainda corresponsável por conferir à perua uma retomada de velocidade alucinante: para ir de 40 a 80 km/h, por exemplo, basta 1,6 segundo.

O fato que mais chama atenção nesse carro, porém, é sua versatilidade. Ainda que calçado com rodas gigantescas (aro 21, com pneus 285/30), ele é macio e confortável. Para isso, basta que o seletor do modo de condução esteja em Comfort. Mas confesso: na pista, só passei por ele enquanto avaliava o lado Avant (nome das peruas da Audi). Na hora de analisar o quanto ela justificava o sobrenome RS, deixei ativo o perfil Dynamic. E aí, nada de maciez, suavidade ou discrição: a suspensão enrijece e o motor passa a obedecer os parâmetros mais violentos da central eletrônica. O ronco que sai pelos dois escapamentos acompanha a metamorfose e fica encorpado, parecido com o de carros de corrida. Na pista, a tarefa de buscar os limites da RS 6 permite que se sintam ainda os efeitos de uma dieta rigorosa: ela tem portas e capô de alumínio e volante de magnésio. Tudo em nome do perfeito equilíbrio entre performance e consumo.

O mesmo painel digital que no fim da reta de 1 800 metros da nossa pista, em Limeira (SP), chegou a registrar 264 km/h também serve para indicar o funcionamento do sistema COD (cilindro sob demanda), que desativa os cilindros 2, 3, 5 e 8, transformando o V8 num V4 para poupar combustível. O COD é automaticamente ativado quando a aceleração é constante e o motor gira abaixo de 3 500 rpm. Segundo a Audi, o dispositivo permite uma economia de combustível de 12%.

Quanto aos equipamentos, a Audi traz da Alemanha a RS 6 com o pacote mais completo, com faróis integrais de led, rodas aro 21 e sistema multimídia Bang & Olufsen. O modelo estreia nas lojas em setembro, por cerca de 550 000 reais.

DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO

A vibração em altas velocidades e os longos espaços nas provas de frenagem podem até significar que algo estava errado com a unidade avaliada. De qualquer forma, são pontos que não combinam com um esportivo desse calibre.

★★★★

MOTOR E CÂMBIO

O conjunto é excelente e assina como responsável pela versatilidade da perua.

★★★★★

CARROCERIA

Elegante como cabe a uma perua. Provocante como deve ser um esportivo.

Continua após a publicidade

★★★★☆

VIDA A BORDO

A cabine da RS 6 tem acabamento de primeira e um rico pacote de itens de conforto.

★★★★☆

SEGURANÇA

O desempenho abaixo do esperado nas provas de frenagem e a instabilidade em altas velocidades também comprometeram a nota de segurança.

★★★★☆

SEU BOLSO

Até o fechamento desta edição, a Audi não havia confirmado o preço oficial de seu lançamento, mas a própria marca estimou em 550 000 reais.

★★★★

A RIVAL CLS 63 AMG Shooting Brake

648_audi_10.jpeg

Chega ainda este ano. É menor do que a E Touring AMG, a ser renovada em 2014. Traz um motor V8 biturbo 5.5 de 585 cv.

VEREDICTO

A Audi RS 6 Avant é um esportivo que honra sua linhagem e eleva ainda mais o prestígio da família RS. Sinal claro de evolução é o seu nível de eficiência, que alia desempenho, consumo e conforto.

Continua após a publicidade

Publicidade