Clique e assine por apenas 8,90/mês

VW Golf GTE: mais econômico que um Up! TSI, mais caro que um Tiguan R-Line

Modelo híbrido plug-in é lançado em lote único de 99 unidades por R$ 199.990

Por Rodrigo Ribeiro - Atualizado em 5 dez 2019, 19h32 - Publicado em 4 nov 2019, 14h40
Hatch combina motor 1.4 TSI com um elétrico que pode trabalhar sozinho Rodrigo Pinto Ribeiro/Quatro Rodas

O Volkswagen Golf não é mais fabricado no Brasil e ainda não se sabe se a marca trará a nova geração ao País – oficialmente, diz que ainda nem começou a estudar a importação do modelo. Mesmo assim, a marca promoveu uma despedida em grande estilo do hatch, com a inédita versão GTE por R$ 199.990.

O modelo será vendido em lote único de 99 unidades, com apenas a opção de cor Azul Atlantic e vendido em três concessionárias, em São Paulo, Curitiba (PR) e Brasília (DF).

Conjunto híbrido soma os mesmos 35,7 mkgf de torque do GTI Divulgação/Volkswagen

O GTE usa um motor 1.4 TSI de 150 cv e 25,5 mkgf associado a outro, elétrico, de 102 cv e 33,6 mkgf. Como na maioria dos híbridos, a potência combinada não é a soma dos motores, e totaliza 204 cv e 35,7 mkgf no modo esportivo GTE.

Segundo a Volkswagen, o esportivo acelera de 0 a 100 km/h em 7,6 s, com velocidade máxima de 222 km/h.

Continua após a publicidade
Autonomia elétrica é de 50 km Rodrigo Pinto Ribeiro/Quatro Rodas

O diferencial do GTE, porém, é a capacidade de rodar a até 130 km/h somente com o motor elétrico. Nesse modo ele tem autonomia de 50 km.

A bateria de íon-litio de 380V tem potência nominal de 8,8 kWh (6,9 kWh efetivo) e pode ser recarregada em até 3h45 em um carregador doméstico, incluso no carro.

Bancos têm tecido xadrez à moda dos GTI Rodrigo Pinto Ribeiro/Quatro Rodas

O pacote de equipamentos tem itens ausentes no antigo Golf nacional, como o freio de estacionamento eletrônico com auto-hold e sistema multimídia com controle por gestos. Controlador de velocidade adaptativo, painel digital, faróis em leds com facho alto automático e teto solar panorâmico estão entres os principais itens de série.

Tem, mas (quase) acabou

Segundo a Volkswagen, o GTE chega como um projeto piloto para a marca, daí o limite de três concessionárias homologadas para vendas e reparos.

Continua após a publicidade
O freio de estacionamento elétrico com função auto-hold voltou Rodrigo Pinto Ribeiro/Quatro Rodas

O GTE ainda é produzido na Europa, para abastecer o mercado local enquanto a nova geração do híbrido não chega às lojas.

Mesmo assim, a Volkswagen não tem a intenção de trazer mais unidades do esportivo. Segundo Gustavo Schmidt, vice-presidente de vendas e marketing da Volkswagen, isso foi feito para reduzir os custos de homologação do modelo.

Além do GTE, a Volkswagen lançou dois outros modelos elétricos no Brasil: um patinete, por R$ 3.399 e uma bicicleta, por R$ 11.499. Ao contrário do GTE, a dupla será ofertada em todas as concessionárias da marca.

A VW também confirmou que lançará mais cinco modelos híbridos ou elétricos na América Latina até 2023.

Divulgação/Volkswagen
Publicidade