VW é condenada a pagar R$ 1 bilhão a 17 mil donos de Amarok

Cada proprietário vai receber até R$ 64 mil por danos morais e materiais

17 mil unidades da picape teriam sido vendidas no Brasil com software fraudulento

17 mil unidades da picape teriam sido vendidas no Brasil com software fraudulento (Divulgação/Divulgação)

Dois anos após o início do Dieselgate (o escândalo mundial no qual o grupo Volkswagen manipulou resultados de emissões de diversos motores diesel, que acabavam poluindo mais que o permitid0), o juiz Alexandre de Carvalho Mesquita, da 1ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, condenou a VW do Brasil a pagar R$ 1.092.648.000 em danos materiais e morais.

O montante será quase todo destinado a 17.057 proprietários da picape Amarok 2.0 TDI, produzidas na Argentina e vendidas no Brasil entre 2009 e 2013. Cada um deles receberá R$ 54 mil por danos materiais e outros R$ 10 mil por danos morais.

O juiz também determinou um valor de R$ 1 milhão a serem destinados ao Fundo Nacional de Defesa do Consumidor.

A VW do Brasil já havia sido condenada pelo Ibama em R$ 50 milhões por ter vendido no Brasil o mesmo motor considerado fraudulento na Europa e nos EUA. As mais de 17 mil unidades da Amarok, aliás, já foram convocadas para um recall em abril.

A montadora ainda pode recorrer da decisão, mas o assunto não deve ser encerrado tão cedo. O Ibama ainda investiga se unidades recentes da Amarok (após 2013) também foram equipadas com o software fraudulento.

Após a publicação, a Volkswagen divulgou a seguinte nota:

A Volkswagen do Brasil vai recorrer desta decisão judicial, que considera incorreta.

Em junho de 2017, a Volkswagen já recorreu da decisão do Ibama referente ao tema, uma vez que medidas técnicas provaram que o software não altera os níveis de emissão da Amarok comercializada no mercado brasileiro. Portanto, os carros envolvidos atendem a legislação brasileira mesmo antes dos referidos softwares serem removidos destes carros.

A Volkswagen convocou os modelos Amarok para substituir o software da unidade de comando eletrônico do motor, com objetivo de recuperar a confiança de seus consumidores. O recall teve início no dia 3 de maio de 2017 e envolve um total de 17.057 veículos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Este juiz deveria obrigar o governo a fornecer assistência médica para população, conglomerados que devem para receita Federal pagar sua dívidas ao invés de fazer demagogia mediática, com atitudes como está.

  2. Sergio Augusto

    A VW vai recorrer ate o supremo, e os proprietarios podem esperar ate as camionetes enferrujarem, nunca vão receber, aqui e Brazuca !!!

  3. Francisco oliveira

    Aí eu vou querer receber também