Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Sucesso do Mustang Mach-E derruba participação da Tesla entre elétricos

Boas vendas do Mach-E foram fizeram participação da Tesla cair de 81% em fevereiro de 2020 para 69% no último mês

Por Igor Macario Atualizado em 13 Maio 2021, 14h58 - Publicado em 8 mar 2021, 17h52
mach e
March-E chega às lojas dos Estados Unidos no final de 2020 Divulgação/Ford

Parece que finalmente a hegemonia da Tesla no mercado de elétricos nos Estados Unidos pode começar a ser arranhada. E o responsável por essa mudança vem sendo o Ford Mustang Mach-E, que vem galgando posições no ranking de vendas a cada mês no mercado americano.

Em fevereiro, foram vendidos 3.739 unidades do Mach-E, aparentemente pouco para os padrões dos EUA, mas suficientes para derrubar a participação de mercado da Tesla dos 81% de fevereiro de 2020 para 69% no último mês. Os dados são de um relatório da consultoria Morgan Stanley. O Mustang foi o principal responsável pela queda da Tesla.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 7,90

A marca de Elon Musk ainda é dominante no mercado e também vê suas vendas crescerem, a despeito da queda na participação. No entanto, o crescimento acompanha o aumento geral nas vendas de elétricos, que já registra salto de 34% em fevereiro em relação ao mesmo mês de 2020.

tesla
Tesla/Divulgação

Enquanto as vendas de elétricos crescem, as de veículos com motor a combustão já caíram 5,4% nos Estados Unidos entre 2020 e 2021.

Continua após a publicidade

Ainda assim, as vendas de elétricos ainda são concentradas em alguns estados norte-americanos. Um quinto dos Mach-E foram vendidos apenas na Califórnia, onde os incentivos fiscais são maiores e as regras antipoluição mais rígidas do que em outros estados. Em 2019, metade dos Tesla Model 3 foram emplacados lá.

Claro, há várias outras marcas também tentando abocanhar uma fatia desse mercado, de startups como Lucid Motors e Rivian, a marcas tradicionais como GM e Volkswagen, que vem investindo pesado em novos modelos elétricos.

  • Isso leva a crer que a dominância da Tesla nesse mercado pode ter prazo de validade. Embora o desempenho da empresa seja considerado formidável, é questão de tempo até outras marcas atingirem o mesmo nível de participação de mercado.

    Por isso, a Tesla vem se movimentando para ao menos atenuar a tendência de queda. A marca ainda pretende lançar um novo modelo elétrico de entrada, com preço na faixa dos US$ 25.000, e vem avançando na expansão da fábrica da China, a Gigafactory.

    O mercado chinês, aliás, é crucial para a Tesla. Em 2020, a marca dobrou seus rendimentos por lá, lucro que deve continuar subindo.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    QR - CAPA 742 - FEVEREIRO
    Arte/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade