Clique e assine por apenas 5,90/mês

Mustang Mach-E: um SUV elétrico adepto da comida de rua

De acordo com a Ford, modelo tem um compartimento vedado e fácil de limpar que pode ser usado como geladeira portátil ou caixa de alimentos

Por Paulo Campo Grande - Atualizado em 4 fev 2020, 11h35 - Publicado em 4 fev 2020, 11h34
Segundo a Ford, compartimento tem capacidade para 1.000 asinhas de frango de tamanho médio Divulgação/Ford

Inspirado no lendário Ford Mustang, o novo SUV elétrico Mustang Mach-E nasceu com espaço de sobra nos locais que eram tradicionalmente reservados aos sistemas próprios de um carro à combustão.

Na dianteira, por exemplo, foi possível criar um segundo porta-malas onde deveria ser instalado o motor à explosão. Assim, além dos 402 litros de capacidade de bagagem, na traseira, o Mach-E conta com mais 136 litros, sob o capô na dianteira. Total: 538 litros.

O SUV elétrico chega às lojas dos Estados Unidos no final de 2020 Divulgação/Ford

Os projetistas da Ford, porém, encontraram uma solução mais criativa do que simplesmente o aproveitamento do espaço. Eles fizeram na dianteira um compartimento vedado que pode transportar praticamente qualquer tipo de carga que o usuário pensar.

Para demonstrar a utilidade desse porta-malas vedado, a empresa produziu um material de divulgação em que menciona alguns tipos de cargas insólitas como frutos do mar (devidamente mantidos congelados) e frango frito (em temperatura ambiente).

Segundo a Ford, em uma base de gelo é possível manter frutos do mar prontos para consumo Divulgação/Ford

Segundo a Ford, enchendo o porta-malas com gelo ele se transforma em uma geladeira capaz de manter alimentos como camarões, por exemplo, e bebidas por longo tempo. Na hora de esvaziar, basta abrir o dreno que fica na base do compartimento.

No caso dos alimentos prontos, a fábrica pensou nas hot wings, asas de frango temperadas, que poderiam ser servidas diretamente do porta-malas, em um piquenique na praia ou no campo.

Além do nome, Mustang Mach-E herdou o visual inspirado no lendário esportivo Divulgação/Ford

Nas contas da Ford, cabem 1.000 asas de frango de tamanho médio, na dianteira do Mach-E.

Continua após a publicidade

Adaptando ao gosto brasileiro, o porta-malas poderia levar a carne para o churrasco e a cerveja, quando estivesse preparado com gelo, ou sanduíches, pães de queijo e bolos, estando seco.

De acordo com a fábrica, como a material da peça é lavável, não existe nenhuma dificuldade adicional para a limpeza.

Recipiente possui um dreno que facilita a limpeza Divulgação/Ford

O Mach-E foi apresentado no final de 2019 e deve chegar às lojas no final de 2020, mas os interessados já podem reservar o modelo na rede Ford americana.

O SUV cupê tem visual que remete ao Mustang esportivo, que está na sétima geração, com faróis estreitos e lanternas traseiras seccionadas.

Haverá diferentes versões em oferta resultantes da combinação de dois pacotes de baterias (75,7 kWh e 98,8 kWh), dois tipos de tração (4×2 e 4×4) e a opção de um ou dois motores com quatro especificações de potência (258 cv, 285 cv, 337 cv e 465 cv).

Segundo fontes, o Mach-E está nos planos da Ford para o Brasil mas não é para já. Primeiro, a fábrica atenderá a demanda dos mercados já mais familiarizados com os carros elétricos, ao mesmo tempo em que aguarda a oportunidade de comercializá-lo por aqui.

Nos Estados Unidos, a versão de entrada, Select com motor traseiro, tração 4×2 e bateria de 75,7 kWh, parte de 43.895 dólares. É quase o preço de 44.000 dólares pedidos pelo Mustang GT Premium com motor V8 5.0 e câmbio de 10 marchas, vendido no Brasil por R$ 315.900.

Lá, o Mustang mais barato, versão Ecoboost manual, sai por 26.670 dólares, o equivalente à R$ 112.940, com o dólar cotado a R$ 4,22. Ou seja: na mesma faixa de um Toyota Corolla XEi, no Brasil.

Continua após a publicidade
Publicidade