Vale a pena comprar carro seminovo de locadora? Veja prós e contras

Locadoras de carros investem pesado no mercado de venda de seminovos. Conheça os riscos e as vantagens de comprar esse tipo de usado

Locadoras de carros investem pesado no mercado de venda de seminovos. Conheça os riscos e as vantagens de comprar esse tipo de usado

Locadoras de carros investem pesado no mercado de venda de seminovos. Conheça os riscos e as vantagens de comprar esse tipo de usado (Ilustração/ Índio San/Quatro Rodas)

Já reparou na quantidade de carros com placa de Belo Horizonte (MG) circulando pelos grandes centros? Não, não são os mineiros passeando pelo país.

Pode apostar que quase todos são de locadoras, que costumam emplacar seus veículos lá devido ao IPVA menor.

Segundo a Abla (Associação Brasileira de Locadoras de Automóveis), a frota de carros de aluguel alcançou 826.000 unidades em 2018, 16% mais que no ano anterior e deve crescer mais 15% neste ano, em boa parte estimulada pelo boom dos motoristas de aplicativos.

Com esse aumento, cresceu o mercado de usados de locadora.

Um bom exemplo é a Unidas Seminovos, que possui 100 lojas no Brasil e viu suas vendas subirem 153% em 2018, assim como a Seminovos Localiza (111 lojas em 72 cidades), que cresceu 43% no primeiro semestre de 2019.

Como o consumidor tem demorado mais tempo para trocar de carro, faltam seminovos no mercado.

Se você procura um modelo com um ou dois anos de uso, baixa quilometragem e preço abaixo da tabela, o veículo de locadora é uma opção interessante. No entanto, o consumidor ainda tem bastante preconceito.

Afinal, carro de locadora é um bom negócio?

Pouco rodado e barato

Com o mercado de locação aquecido, as empresas do setor passaram a renovar suas frotas constantemente e acabaram inundando suas lojas de seminovos com veículos de baixa quilometragem.

Como compram direto da montadora com desconto e lucram com a locação, conseguem vender o seminovo por preços menores.

Exemplo: um Nissan Sentra SV 2018 com 35.000 km era oferecido numa loja de locadora de São Paulo por R$ 69.790 contra R$ 94.700 do modelo novo – redução de 26,3%. A diferença é ainda maior num Duster Expression 1.6 X-Tronic.

Enquanto a locadora oferecia o modelo 2018 com 29.000 km por R$ 54.300, a Renault pedia R$ 76.190 pelo mesmo carro em seu site, ou quase 30% a mais.

Outra vantagem desses carros é a garantia de que o hodômetro não foi adulterado, pois é um risco que as grandes locadoras não querem correr.

Os riscos

O maior medo de quem vai comprar esse tipo de usado é o estado geral. Afinal, ele foi utilizado por diferentes pessoas ao longo da sua vida e nenhuma delas cuidou do automóvel como se fosse seu.

Isso é verdade, mas a boa notícia é que o veículo maltratado dá sinais claros, mesmo pouco rodado.

Como interior e porta-malas muito sujos e riscados, faróis e lanternas com sinais de poeira e protetor de cárter e braços de suspensão cheios de riscos.

A embreagem com acionamento duro também indica que encarou trabalho pesado em estradas ruins.

“Em geral, veículos de locadora são bem cuidados, mas às vezes eu conserto carros maltratados, que sofreram pancadas na parte inferior ou receberam retoques malfeitos na pintura”, explica Henrique Macchi Jorge, dono de uma oficina de Campinas (SP).

Mas as locadoras garantem que só veículos em perfeito estado vão para a venda.

“Nossos carros seguem à risca a manutenção recomendada pelo manual do proprietário durante o período de locação e passam por uma revisão completa antes de seguirem para a venda”, diz Heros Di Jorge, diretor executivo da Seminovos Localiza.

Veículos de locadora se tornam boa opção de compra entre usados

Veículos de locadora se tornam boa opção de compra entre usados (Ilustração/ Índio San/Quatro Rodas)

Garantia de fábrica? Talvez!

Se você faz questão de um usado com o aval da fábrica, olho aberto: revisão nas concessionárias é raro.

Para reduzir os custos, as locadoras costumam fazer a manutenção indicada no manual do proprietário em oficinas independentes, o que invalida a garantia. Entretanto, é possível achar carros com manual carimbado.

É o caso do educador físico Fernando Dias da Silva Júnior, de Monte Mor (SP), que comprou um Renault Logan de locadora ainda dentro da garantia de três anos e precisou usá-la quando a caixa de direção apresentou defeito.

“Fui atendido normalmente na concessionária, que instalou uma peça nova e ainda me disponibilizou um carro reserva durante o reparo”, afirma Silva.

Variedade de modelos

Ao contrário do que se pensa, há grande variedade de marcas e modelos nas lojas de locadoras.

É verdade que a maior parte é de compactos de entrada, porém há sedãs médios, SUVs, minivans, picapes, furgões e até modelos de luxo de Audi, BMW, Jaguar e Mercedes, em geral usados por diretores de grandes empresas.

Outra vantagem é encontrar modelos recentes no mercado, que ainda têm pouca oferta nas lojas multimarcas.

Como fica a revenda?

Se há consumidor que tem preconceito, o mesmo não ocorre com a maioria dos lojistas independentes, que compram e vendem usados de locadora sem problemas.

Para manter o estoque alto e ter variedade de modelos, muitos recorrem às locadoras e compram grandes lotes para revendê-los.

“Se depender só de clientes que chegam à porta da loja, meu negócio não gira. Preciso captar carros no mercado e as locadoras oferecem boas oportunidades”, explica o diretor de uma rede de lojas de usados de São Paulo, que pediu para não ser identificado.

“O mesmo vale para o cliente que possui um carro que já foi de locadora. Se for bem cuidado e um bom negócio, coloco para dentro da loja como qualquer outro e pago o mesmo”, concluiu.

Como comprar

A compra de um seminovo deve seguir o mesmo ritual de um usado qualquer. É preciso analisar o interior à procura de riscos em plásticos e de manchas e rasgos nos bancos, verificar se todos os equipamentos funcionam e exigir manual do proprietário e chave reserva.

A carroceria não deve ter riscos profundos e peças com cor ou textura da tinta diferente. Veja se os vãos estão uniformes e se os parafusos de fixação não estão descascados, o que significa que a peça foi retirada.

É comum as locadoras trocarem pneus e rodas entre carros do mesmo modelo na sua frota. Confira se são da mesma marca e medida, inclusive estepe.

Se levar o carro ao mecânico, observe no elevador se há vestígios de terra e marcas no assoalho, o que significa uso em estradas de terra.

Na parte de documentos, solicite o número do Renavam e a placa do veículo escolhido e consulte o Detran em busca de multas ou restrições.

Também é interessante passar os dados do veículo a um corretor de seguros para ver se o valor da apólice não é muito alto e se o modelo tem aceitação pelas seguradoras.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s