Clique e assine por apenas 5,90/mês

Toro, Spin, Civic e mais: carros que bateram os R$ 100.000 com a pandemia

QUATRO RODAS listou cinco modelos que atingiram os R$ 100.000 durante a pandemia de Covid-19, que fez o preço do dólar disparar

Por Daniel Telles - Atualizado em 19 set 2020, 10h05 - Publicado em 7 set 2020, 13h47
Versão de entrada da Toro atingiu os R$ 100.000 com a pandemia Fernando Pires/Quatro Rodas

A pandemia de Covid-19 vem causando duros efeitos para a economia mundial. No Brasil, um dos principais reflexos sentidos foi a valorização do dólar.

A moeda americana bateu seu recorde nominal no dia 13 de maio, quando fechou a sessão sendo negociada a R$ 5,90.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Um dos ramos mais atingidos pela oscilação da moeda é a indústria automotiva. Isso porque, além de muitos carros serem importados, outros que têm produção nacional chegam a receber até 40% de suas peças de outros países.

Linha de montagem da Volkswagen: carros da marca ficaram mais caros com a pandemia Divulgação/Volkswagen

No fim das contas, é o consumidor final quem sente o reajuste no preço dos carros. E isso tem acontecido nos últimos meses.

QUATRO RODAS listou cinco carros, nas suas versões de entrada ou topo de linha, que atingiram a faixa dos R$ 100.000 durante a pandemia de Covid-19.

1. Chevrolet Spin Activ 7 – R$ 101.730

Chevrolet Spin recebeu melhoria internas e alguns retoques no visual, mas também está mais cara Divulgação/Chevrolet

A Chevrolet Spin passou por uma espécie de recauchutagem no mês de junho. Agora toda a linha tem controle eletrônico de estabilidade e tração de série, além de outros itens como piloto automático e assistente de partida em aclive, a partir de versões intermediárias.

Os preços, no entanto, aumentaram. A configuração aventureira, Activ, para sete passageiros, foi de R$ 98.290, para R$ 101.730.

2. Fiat Toro Endurance 1.8 flex manual – R$ 100.990

Mesmo em modo Sport, Toro sente a falta de um motor mais forte Fernando Pires/Quatro Rodas

A versão de entrada da Toro, equipada com motor 1.8 flex de até 139 cv, era vendida a R$ 96.990 até o mês de junho, quando recebeu um reajuste e passou a valer R$ 99.990. Depois, ainda teve aumento de R$ 1.000, passando a R$ 100.990.

Continua após a publicidade

Também em junho, a Fiat tirou de linha a versão com motor 2.4 flex de 186 cavalos. Para 2021 espera-se que a picape passe a ser vendida em uma variante com motor 1.3 turbo de 180 cv e câmbio CVT.

3. Honda Civic LX – R$ 103.200

Honda Civic LX 2.0 CVT: versão de entrada quebrou a barreira dos R$ 100.000 Honda/Divulgação

É bem verdade que em fevereiro a versão de entrada do Honda Civic já estava próxima dos R$ 100.000 (R$ 99.200), mas ainda era possível negociar um desconto e tentar arrancar o sedã por um pouco menos.

Agora, esta tarefa está mais complicada. Isso porque no fim do mês de junho a Honda realizou um reajuste em toda sua linha e aumentou a etiqueta do Civic LX para R$ 103.200.

4. JAC T60 – R$ 108.990

Visual Divulgação/JAC

O SUV chinês chegou ao mercado brasileiro em dezembro do ano passado custando R$ 99.990 e mirando rivais como, por exemplo, o Jeep Compass.

O modelo ainda não emplacou (não aparece nem entre os 50 mais vendidos do ano), mesmo assim o preço subiu R$ 9.000, e agora está em R$ 108.990.

5. VW Polo GTS – R$ 107.190

Versão esportiva do Polo é equipada com motor 1.4 TSI do Jetta Fernando Pires/Quatro Rodas

A versão esportiva do Polo foi lançada oficialmente em janeiro deste ano custando R$ 99.470.

Mas demorou só três meses para a VW realizar um reajuste em toda a linha, que fez com que o hatch alcançasse os R$ 102.500. Com a chegada da linha 2021, porém, o hatch passou a custar R$ 107.190, que passa a R$ 108.680 com as rodas aro 17 opcionais.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da nova edição de quatro rodas? clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade
Publicidade