Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Tesla registra limpador de para-brisa a laser que transforma tudo em vapor

O sistema funciona por um conjunto de feixe óptico que emite um raio laser para irradiar o vidro; a tecnologia não deverá substituir as velhas palhetas

Por Guilherme Fontana Atualizado em 11 set 2021, 18h47 - Publicado em 10 set 2021, 13h08
Tesla Cybertruck vista de frente
Tesla Cybertruck Divulgação/Tesla

Se depender da Tesla, a necessidade de água para limpar o vidro dianteiro dos carros acabará em breve. A marca recebeu, nesta semana, a aprovação de uma patente registrada há dois anos para um inédito limpador de para-brisa a laser. O primeiro modelo a usar o sistema poderá ser a picape Cybertruck.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Obtida pelo site Electrek, a patente indica que o sistema utiliza um conjunto óptico para emitir feixes de laser para detectar e irradiar sujeiras e detritos no vidro. Assim, mediante pulsação e ângulo específicos, transforma os detritos em vapor.

Patente de sistema de limpeza de para-brisa a laser
Electrek/Reprodução

Um sistema de limpeza para um veículo que inclui conjunto de feixe óptico que

emite um raio laser para irradiar uma região numa peça de vidro do veículo, circuito de detecção de sujeira, que detecta sujeira acumulada na área, e circuito de controle”, diz o registro de patente.

  • “O circuito de controle calibra um conjunto de parâmetros associados com o raio laser emitido do conjunto de feixe óptico, baseados na detecção de sujeira acumulada sobre a região da peça de vidro, controla o nível de exposição do raio laser na sujeira acumulada, baseada na calibragem do conjunto de parâmetros associados com o raio laser, enquanto o nível de exposição é controlado baseado nos pulsos do raio laser numa frequência calibrada, que limita a penetração numa profundidade que é menor que a espessura da peça de vidro, e remova a sujeira acumulada sobre a região da peça de vidro, usando o raio laser”, conclui.

    Patente de sistema de limpeza de para-brisa a laser
    Electrek/Reprodução

    A proposta é interessante para a limpeza corriqueira, mas não substituiria as palhetas convencionais, ao contrário do que sugere a Cybertruck, que não os possui. Isso porque o laser pode ter obstáculos para cruzar o ar, como poeira ou chuva. Além disso, o feixe de luz não seria capaz de remover a água acumulada ou corrente do vidro durante as chuvas.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Capa quatro rodas 748 agosto 2021
    Continua após a publicidade
    Publicidade