Segredo: novos Sandero e Logan chegam em julho com mesmas versões do Kwid

Hatch e sedã terão versões Life, Zen e Intense; Logan Stepway é outra das novidades

Visual atualizado será acompanhado de câmbio CVT e novas versões

Visual atualizado será acompanhado de câmbio CVT e novas versões (INPI/Internet)

Se está pensando em comprar um Renault Sandero ou um Logan, melhor esperar alguns meses.

Mesmo que os compactos tenham acabado de ganhar linha 2020, com menos versões e central multimídia com novas funções, a reestilização dos dois está programada para chegar às lojas em julho.

A produção em São José dos Pinhais (PR), porém, começa um mês antes.

Nova frente tem grade com filetes cromados

Nova frente tem grade com filetes cromados (INPI/Internet)

As mudanças da linha “2020.2”, se é que podemos chamá-la assim, não serão radicais. Na frente, estarão concentradas nos novos para-choques, nos faróis com elementos internos diferentes e nas grades com filetes cromados.

A traseira do Logan receberá apenas lanternas com novos elementos internos, mas a do Sandero ganhará nova personalidade, similar à do Fiat Argo, com lanternas bipartidas  que avançam sobre a tampa do porta-malas.

O Sandero Stepway seguirá em linha com sua suspensão elevada, as molduras nas caixas de roda e rack no teto.

Sandero terá nova tampa traseira por causa das novas lanternas

Sandero terá nova tampa traseira por causa das novas lanternas (INPI/Internet)

A novidade é que desta vez o sedã seguirá a mesma receita: o Logan Stepway, semelhante ao vendido na Rússia, também será vendido no Brasil.

Com esta reestilização, as versões de Logan e Sandero seguirão a mesma nomenclatura de Kwid e Captur. No lugar da versão de entrada Authentique, entra a Life. A Zen substitui a Expression. A topo de linha será a Intense, em vez da Dynamique.

Sandero Stepway também será atualizado

Sandero Stepway também será atualizado (INPI/Internet)

Novos equipamentos também serão adotados. Entre eles estarão controle de estabilidade, que hoje se limita à versão esportiva R.S. (as com câmbio automatizado Easy´R, descontinuado, também tinham) e airbags laterais.

Na oferta de motores, nada muda. Serão mantidos o 1.0 de três cilindros e 82 cv e o 1.6 16V e 118 cv. A novidade será o câmbio automático CVT de origem Nissan como opcional para o motor maior.

Logan Stepway já existe na Rússia e também estreará no Brasil

Logan Stepway já existe na Rússia e também estreará no Brasil (Divulgação/Renault)

Fontes de QUATRO RODAS afirmam que as concessionários da marca francesa já foram avisados que restam apenas as unidades de Logan e Sandero que já estão em estoque.

A Renault negou a informação, afirmando que os dois modelos seguem em produção na fábrica paranaense.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Lúcio Alves

    Bizarro!

  2. Gustavo Silva

    A Renault brasileira está fazendo o mesmo que fez com o Clio por décadas. Essa acochambração na lanterna traseira é uma bizarrice sem tamanho. Obviamente, ou o parachoque teria que sofrer alterações ou a lataria teria que ter um complemento, e não a lanterna manter o mesmo formato da anterior e acrescentar aquela cópia da lanterna do Cronos, que invade a mala. Hor-rí-vel! Modelo novo: um cromadinho aqui, um plástico preto acolá e temos um modelo novo. É brincadeira, né?! Toda a concorrência se atualizou, motores menores sobrealimentados, câmbios CVT, direção elétrica, híbridos desembarcando em breve, e a Renault acha que conseguirá manter vendas com isso aí?!?! Não mesmo…