Clique e assine por apenas 5,90/mês

Novo Citroën C4 mostra ao VW Nivus como se faz um hatch cupê

Nova geração do hatch médio mantém filosofia de design na dianteira, mas inova na traseira com caimento inspirado nos SUVs cupês alemães

Por Renan Bandeira - Atualizado em 16 jun 2020, 16h50 - Publicado em 16 jun 2020, 16h47
Divulgação/Citroën

A linha 2021 do Citroën C4 mostra que o hatch médio recebeu forte inspiração dos SUVs cupês do mercado europeu em sua terceira geração, tal qual o nosso VW Nivus.

A apresentação oficial do modelo será no dia 30 de junho, mas a marca francesa já divulgou fotos que adiantam alguns detalhes do veículo, que substituirá o C4 Cactus na Europa.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Observando apenas o balanço dianteiro, poderíamos pensar que essa seria uma reestilização do C4 Cactus.

No entanto, a queda acentuada do teto na coluna C e a traseira inspirada nos SUVs cupês vendidos na Europa entregam que se trata de uma nova geração.

Divulgação/Citroën

De acordo com as imagens divulgadas pela marca, o visual do modelo segue a mesma filosofia dos outros veículos da gama, com luzes de condução diurna alinhadas ao limite do capô e faróis alojados no pára-choque.

Continua após a publicidade

Na traseira está a principal mudança, com lanternas horizontais dividas entre carroceria, tampa do porta-malas e coluna C.

Traseira tem inspiração clara nos SUVs cupês premium alemães Divulgação/Citroën

Além disso, há uma queda acentuada do teto, que inicia a formação do spoiler sobre a tampa do porta-malas, entregando a inspiração do modelo em BMW X6 e Mercedes GLE Coupé.

Divulgação/Citroën

Nas laterais, um pequeno hexágono completa o acabamento em plástico, enquanto os vincos encorpam os detalhes da carroceria.

No espaço entre pára-brisas e teto solar foi utilizado acabamento em preto piano para passar a impressão de continuidade do vidro frontal.

Divulgação/Citroën

O interior segue minimalista, como no C4 Cactus, mas não conta com alavanca de câmbio – que foi substituída por um pequeno seletor – e possui uma central multimídia com tela flutuante.

Ainda não há informações sobre o motor que equipará o modelo, no entanto, sabe-se que haverá opções a gasolina, diesel e elétrica – que será chamada de ë-C4.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da nova edição de Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Fernando Pires/Quatro Rodas
Continua após a publicidade
Publicidade