Clique e assine por apenas 5,90/mês

Nova Ferrari F8 Tributo resgata componente da lendária F40

Substituta da 488 GTB tem motor poderoso e aerodinâmica otimizada

Por Henrique Rodriguez - Atualizado em 6 mar 2019, 07h43 - Publicado em 6 mar 2019, 07h00
Tomada de ar no meio do capô é novidade Divulgação/Ferrari

A Ferrari usou o Salão de Genebra, na Suíça, para revelar nesta semana a F8 Tributo. O novo superesportivo substitui a 488 GTB, lançada em 2015.

Na prática, a Ferrari F8 Tributo está mais para uma atualização profunda da 488.

Seu motor V8 3.9 twin-turbo, por exemplo, gera 720 cv a 8.000 rpm e 78,5 mkgf de torque a 3.250 rpm: são 50 cv e 1 mkgf a mais que a 488 GTB, mas praticamente os mesmos números da 488 Pista.

Mecânica se assemelha com a 488 Pista Divulgação/Ferrari

A performance anunciada também é próxima, embora inferior, ao que a 488 Pista consegue fazer.

A F8 Tributo vai de zero a 100 km/h em 2,9 s – contra 2,85 s da mais antiga – e alcança os 200 km/h em 7,8 s (contra 7,6 s). A velocidade máxima é igual, de 340 km/h.

É fácil encontrar semelhanças com a 488 Divulgação/Ferrari

Essa diferença vem principalmente do peso. A F8 Tributo tem 1.330 kg, ou 50 kg a mais que a antiga versão de alto desempenho.

A Ferrari não fala no câmbio usado no novo esportivo, o que nos leva a crer que o automatizado de dupla embreagem e sete marchas da 488 Pista segue em uso.

Continua após a publicidade
Interior foi completamente renovado Divulgação/Ferrari

Mas a Ferrari F8 tem seus méritos.

Há um ganho de 10% na aerodinâmica por conta da adoção de uma nova versão do Ferrari Dynamic Enhancer (FDE+), que pode, pela primeira vez, ter seus modos de atuação controlados pelo manettino no volante.

O sistema de esterçamento das rodas traseiras também foi atualizado e permite um ganho discreto no esterçamento do conjunto.

Cobertura do motor é de Lexan, como na F40 Divulgação/Ferrari

Tem mais: a Ferrari afirma que a F8 Tributo representa uma nova linguagem de design que adotará em seus próximos produtos.

Isso também envolve a adoção do S-duct, usado na F-1. Trata-se de um duto de ar que faz com que o ar admitido pela frente saia pelo meio do capô, aumentando o downforce em até 15% frente ao 488 GTB.

Os novos faróis de led estão mais estreitos e se moldam às tomadas de ar que refrigeram os freios. Atrás, a cobertura do motor é feita de Lexan, mesmo composto transparente que era usada na F40.

Além de todo o simbolismo, ajuda a dar vazão ao ar quente do motor sem prejudicar a eficiência do spoiler traseiro.

Toda a linhagem da F8 Tributo Reprodução/Internet

Para completar, o interior da F8 foi completamente redesenhado, com direito a novos comandos, nova central multimídia com tela de 7 polegadas e novos comandos para os faróis.

Continua após a publicidade
Publicidade