Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Jeep quer ser marca off-road mais “verde”, mas confirma Wrangler V8

Nova versão Rubicon com motor 6.4 será a resposta da Jeep aos Ford Bronco mais potentes

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 17 nov 2020, 00h14 - Publicado em 16 nov 2020, 17h58
Jeep Wrangler Rubicon 392 Concept Divulgação/Jeep

Chefão da Jeep, Christian Meunier declarou em uma conferência que a ambição da empresa é “se tornar a marca de SUVs mais verde do mundo”, conta o Automotive News. Isso soa curioso vindo da mesma marca que anunciou para breve o lançamento do Wrangler Rubicon com motor V8 a gasolina. 

A Black Friday já começou na Quatro Rodas! Clique aqui e assine por apenas R$ 5,90.

Mas, acredite: não é tão absurdo quanto parece. Na verdade, basta ver a quantidade de fabricantes se voltando para os grandes SUVs e picapes elétricos, como Rivian, Bollinger, Tesla e a própria General Motors, que está trazendo a Hummer de volta apenas com foco em veículos elétricos. E a Jeep vende mais de 1,5 milhão de carros em todo o mundo anualmente.

Divulgação/Jeep

A Jeep já está no caminho da eletrificação. As versões híbridas de Renegade e Compass já foram apresentadas e chegam ao Brasil em 2021 e o Grand Wagoneer também terá mecânica híbrida, com motor elétrico dando suporte ao a combustão.

Contudo, uma das novidades mais aguardadas por fãs da Jeep para o ano que vem é o Jeep Wrangler Rubicon 392, que foi apresentado como conceito bem no dia que a Ford apresentou os novos Bronco e Bronco Sport e que agora está com lançamento confirmado.

Continua após a publicidade
Divulgação/Jeep

Se mantiver a mesma mecânica do conceito, seu motor será o V8 6.4 de 457 cv e 62,2 kgfm compartilhado com o Grand Cherokee e que está longe de ser um motor econômico e “verde”. 

No conceito, esse motor era combinado com câmbio automático de oito marchas e tração 4×4. Com essa mecânica, a Jeep declarou que seria capaz de chegar aos 100 km/h em menos de 5 segundos.

Divulgação/Jeep

Componentes voltados para o off-road, como o eixos Dana 44, bloqueios nos diferenciais dianteiro e traseiro, e melhorias na suspensão também têm chance de permanecer no carro de produção.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade
Publicidade