Clique e assine por apenas 8,90/mês

Imposto de Renda: veja passo a passo como declarar o seu carro

Prazo para envio da declaração vai até o dia 30 de abril. Entenda os diferentes tipos de declaração de um automóvel

Por Daniel Telles - Atualizado em 5 mar 2020, 09h04 - Publicado em 5 mar 2020, 07h00
Prazo para envio da declaração começou na última segunda-feira (2) e vai até 30/4 Mauricio Pierro/Quatro Rodas

Caso você esteja entre os contribuintes que devem fazer a declaração do Imposto de Renda em 2020, saiba que entre os bens a serem declarados estão os veículos automotores.

Todos os automóveis devem estar na declaração, independentemente do valor. O prazo para entrega do documento vai até o dia 30 de abril.

QUATRO RODAS preparou o passo a passo de como declarar seu carro no IR 2020.

1º passo: baixar o programa

Primeiramente é necessário fazer o download do programa do Imposto de Renda 2020 em seu computador ou smartphone. Feito isso, encontre a ficha “Bens e Direitos” no formulário. É lá que serão preenchidas as informações dos veículos.

Continua após a publicidade

2º passo: descrever o veículo e código RENAVAM

Selecione o código “21- veículo automotor terrestre”. Em “Discriminação” informe marca, modelo, ano de fabricação, placa, data e forma de aquisição do carro.

Tenha o documento do veículo em mãos, já que desde 2019 também é necessário informar o código Renavam do veículo.

3º passo: preenchimento conforme situação do veículo

Caso o carro a ser declarado tenha sido quitado antes de 2019, o campo “Situação em 31/12/2018” deve ser preenchido com o valor pago até esta data. Já o campo “Situação em 31/12/2019” deve ser deixado em branco. 

Se, ao contrário, o veículo tiver sido adquirido em 2019, é o campo “Situação em 31/12/2018” que deve ser deixado em branco, para o campo “Situação em 31/12/2019” ser preenchido com o valor pago. 

Continua após a publicidade

Veículo financiado

Para carros nesta situação, o declarante não deve preencher o campo “Dívidas e ônus Reais” com o valor do empréstimo. É necessário apenas preencher o quadro “Discriminação” com todas as informações do financiamento. 

Devem ser informados nome da concessionária e detalhes do financiamento. Veja o exemplo: veículo X, adquirido da concessionária X, CNPJ: xxx.xxx.xxx-xx, no valor de R$ 50.000, com entrada de R$ 30.000, mais 40 parcelas de R$ 500. Restam x parcelas, no valor total de R$ X.

Veículo vendido 

Para declarar um carro que foi vendido durante o exercício de 2019, é necessário deixar o campo “Situação em 31/12/2019” em branco e preencher o quadro “Discriminação” com as informações da venda, incluindo CPF ou CNPJ do comprador. 

Caso o valor da venda tenha somado mais de R$ 35.000, será necessário realizar uma declaração à parte, chamada “Ganho de Capital” que deve ser incluída na Declaração do Imposto de Renda.

Continua após a publicidade

Mas se a venda tiver sido realizada por um valor menor que R$ 35.000, o declarante deverá apenas discriminá-la na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”.

Carros roubados e sinistrados com perda total

Tanto em caso de roubos e furtos, quanto em caso de acidentes em que houve perda total do veículo, o declarante deve deixar a ficha “Situação em 31/12/2019” em branco e preencher o campo “Discriminação” com as informações do incidente.

Deve-se informar, se for o caso, o valor recebido da seguradora.

Publicidade