Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Hyundai Santa Cruz é picape com tudo para causar pesadelos à Fiat Toro

Hyundai estreia na categoria das picapes médias-compactas com tecnologia e bom desempenho que prometem acirrar briga do setor

Por Eduardo Passos Atualizado em 19 ago 2021, 00h21 - Publicado em 15 abr 2021, 16h05
Nova picape chegará aos EUA no meio do ano, antes de seguir para outros mercados
Nova picape chegará aos EUA no meio do ano, antes de seguir para outros mercados Divulgação/Hyundai

Quando você pensa em Hyundai o que vem à mente? Provavelmente não são picapes, mas a inédita Hyundai Santa Cruz está disposta a mudar esse cenário.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90 

Apresentada hoje, a caminhonete representa mais um passo ousado da coreana, que segue expandindo o seu portfólio. A novidade até pode desembarcar no Brasil futuramente e, se depender do cartão de visitas, chegará tirando o sono da picape média-compacta Fiat Toro.

Tucson picape

Em relação ao Tucson, a nova Santa Cruz ganhou para-choques diferenciado
Em relação ao Tucson, a nova Santa Cruz ganhou para-choques diferenciado Divulgação/Hyundai

A Hyundai parece não se importar com as críticas à sua atual identidade estética. Na nova Santa Cruz, por exemplo, manteve dianteira quase igual ao do SUV Tucson, com faróis em formato idêntico à grade tridimensional à qual se misturam.

Criativa, essa solução permite que, quando apagadas, as peças se camuflem, como se houvesse apenas a grelha sob a tampa do capô, que ganhou vincos exclusivos.

Apagados, faróis se camuflam na grade paramétrica
Apagados, faróis se camuflam na grade paramétrica Divulgação/Hyundai

Os para-choques também mudaram em relação ao Tucson, com linhas geométricas destacadas e maior proteção às luzes de neblina, que ficam recuadas.

Distância entre eixos é de 300,4 cm
Distância entre eixos é de 300,4 cm Divulgação/Hyundai

Em termos de carroceria, os primeiros volumes também se parecem muito, com sutis mudanças na linha das portas e no entre-eixos 25 cm mais longo. As rodas são de aro 20’’ mas com pneus finos, de modo que o conjunto não parece tão grande.

Lanternas transversais quebram a discrição do resto da traseira
Lanternas transversais quebram a discrição do resto da traseira Divulgação/Hyundai

Ponto principal de uma picape, a Santa Cruz tem caçamba que, fechada, mede 122,9 cm — chegando a 132,3 cm com a tampa abaixada. O compartimento também conta com santantônio embutido, suavizando a transição para a coluna C. A picape da Hyundai ainda tem uma espécie de porta-malas sob o assoalho da caçamba.

Caçamba conta com nicho sob seu assoalho
Caçamba conta com nicho sob seu assoalho Divulgação/Hyundai

A peça é semelhante à solução adotada pela Fiat na Toro Ultra, mas as semelhanças não param por aí. Com 4,97 m de comprimento, 1,90 m de largura e 1,69 m de altura, a Hyundai Santa Cruz se aproxima bastante da picape brasileira em termos de dimensões. O segmento vem se aquecendo e promete briga cada vez mais acirrada, com a chegada de modelos como a Ford Maverick.

Interior da Hyundai Santa Cruz

Interior é sóbrio mas promete conforto e comodidade
Interior é sóbrio mas promete conforto e comodidade Divulgação/Hyundai

Sem muita margem para ousadia na cabine dupla, a Hyundai focou em aproveitar da melhor forma possível o espaço limitado. Para tanto, os bancos foram feitos pensados em longas viagens, a fim de tornar o trajeto agradável para quem vai na frente e suportável para os passageiros de trás.

Segunda fileira pode ser configurada a gosto
Segunda fileira pode ser configurada a gosto Divulgação/Hyundai

Na segunda fileira também há nichos sob os assentos, que podem ser recolhidos para armazenar malas de viagem, por exemplo, sem expô-las às condições mais hostis da caçamba.

Painel da nova Hyundai Santa Cruz
Painel da nova Hyundai Santa Cruz Reprodução/Hyundai
Continua após a publicidade

O painel é praticamente igual ao do novo Tucson e segue a moda com central multimídia de 10’’, embutida à placa tátil que abriga comandos de pisca-alerta e ar-condicionado, entre outros. Outra tela, do mesmo tamanho e formato, serve como painel de instrumentos mas não é item de série.

Central multimídia é a mesma do Tucson, com suporte a Android Auto e Apple Carplay
Central multimídia é a mesma do Tucson, com suporte a Android Auto e Apple Carplay Divulgação/Hyundai

A caminhonete também oferece sistemas de segurança como controle de cruzeiro adaptativo, frenagem emergencial com detecção de obstáculos na pista e sensor para medir a atenção do motorista.

Painel de instrumentos em tela flutuante é opcional
Painel de instrumentos em tela flutuante é opcional Divulgação/Hyundai

Completando as mordomias, há sistema de áudio Bose opcional e suporte à assistência da Hyundai, chamada de Blue Link.

Motorzão turbo

Motor é grande destaque da Santa Cruz em relação aos concorrentes
Motor é grande destaque da Santa Cruz em relação aos concorrentes Divulgação/Hyundai

Nas versões de entrada, a Hyundai Santa Cruz oferece motor 2.5 com quatro cilindros e injeção direta, resultando em cerca de 192 cv de potência e 24,8 kgfm de torque. Nesse caso, a transmissão é automática, com oito marchas e conversor de torque.

Não faltam opções para gerenciar força e potência
Não faltam opções para gerenciar força e potência Divulgação/Hyundai

Opção mais potente tem o mesmo motor 2.5 em versão turbo com injeção direta, chegando aos 278 cv e 42,8 kgfm e acoplado ao câmbio automático com embreagem dupla. Para melhorar, essa variante traz borboletas para controle das oito marchas no volante.

Detalhe do volante da nova Hyundai Santa Cruz
Detalhe do volante da nova Hyundai Santa Cruz Divulgação/Hyundai

As duas motorizações contam com tração integral e seletor de modo de condução conforme o terreno. A partir do comando do motorista e de sensores embarcados, o carro distribui e vetoriza seu torque da melhor forma possível e, em consequência, promete resultados como poder de reboque de até 2.267 kg.

Saiba seu lugar

Modelo foi concebido às ordens do freguês
Modelo foi concebido às ordens do freguês Divulgação/Hyundai

De acordo com a Hyundai, o projeto da Santa Cruz partiu do conceito SAV (veículos de aventura esportiva, na tradução livre). Óbvio que a sigla não é seguida à risca e a atenção foi dada mesmo às pesquisas de mercado.

Com base nos anseios do consumidor, a montadora decidiu agradar um nicho de pessoas que vivem em ambientes urbanos mas que gostam de, com frequência, viajar para o campo, praia ou interior.

SUV de segunda a sexta e picape nos fins de semana, parece ser essa a pretensão da Santa Cruz
SUV de segunda a sexta e picape nos fins de semana, parece ser essa a pretensão da Santa Cruz Divulgação/Hyundai

“Muitos desses clientes carregam equipamentos que cabem melhor em uma picape do que em um SUV. Eles querem transporte versátil e igualmente flexível. (…) Ao mesmo tempo, esses clientes valorizam a utilidade de um SUV compacto”, justificou a companhia.

Nesse caso, não é preciso muito esforço para compreender que seu foco é no segmento das caminhonetes sub-médias, que ainda não é explorado nos EUA. Mas em breve terá de conviver com a Ford Maverick

Grade icônica deverá ser vista em breve no Brasil

Fabricada inicialmente no Alabama, a Hyundai Santa Cruz será lançada no meio do ano no mercado americano. Os preços serão revelados adiante e a pré-venda começa ainda em abril.

A Hyundai Santa Cruz até poderá chegar ao Brasil posteriormente. Para isso, porém, precisaria ser fabricada localmente e ter capacidade produtiva para tanto. Como, neste momento, a picape será produzida apenas nos EUA, seria difícil uma importação a preços competitivos no curto prazo.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

CAPA 743

Continua após a publicidade

Publicidade