Clique e assine por apenas 6,90/mês

Governo prorroga redução do IPI até junho de 2013

Para automóveis, alíquotas subirão em janeiro e abril

Por Rodrigo Furlan - Atualizado em 9 nov 2016, 12h11 - Publicado em 19 dez 2012, 20h49
mercado

O governo federal anunciou a prorrogação do valor reduzido do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) por mais seis meses. A confirmação partiu de Guido Mantega, ministro da Fazenda. O setor automotivo, portanto, continuará a ser beneficiado até junho de 2013.

As alíquotas, porém, serão recompostas gradualmente a partir de janeiro. No caso dos carros, serão dois aumentos, um em janeiro e outro em abril, antes da recomposição integral, ao fim de junho. No caso dos caminhões, a redução do imposto será permanente, por serem considerados bens de capital, isto é, utilizados na produção.

“Se o governo não tivesse reduzido os impostos, as vendas teriam sido 30% a 40% menores do que foram. No caso do setor automobilístico, as vendas se intensificaram a partir de julho e se mantiveram em níveis acima dos registrados no primeiro semestre”, explicou o ministro.

Mantega ainda forneceu dados referentes à arrecadação do governo nesse período. Especificamente em relação ao setor automotivo, a União deixou de captar R$ 2,63 bilhões em impostos desde o início da redução do IPI.

Continua após a publicidade

Em compensação, arrecadou mais com outros tributos, como os R$ 11,1 milhões a mais provenientes do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e os R$ 2,8 milhões diários do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

Relembre a saga do IPI

A redução no IPI foi anunciada em maio de 2012. Originalmente, valeria até o final de agosto de 2012, algo que acabou não ocorrendo. Durante o Salão do Automóvel, em outubro, a presidente Dilma Rousseff anunciou nova prorrogação, até o final deste ano.

Publicidade