Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Ford terá rede menor na Argentina, mas EcoSport continuará a venda

Medida visa adequar a prestação de serviços à menor demanda de mercado provocado pelo novo modelo de negócios da empresa focado em picapes, SUVs e vans

Por Gabriel Monteiro Atualizado em 10 fev 2021, 12h08 - Publicado em 10 fev 2021, 12h06
Ford EcoSport india
Divulgação/Ford

Como reflexo da reformulação do modelo de negócios da Ford na América do Sul, que levou ao fechamento de suas fábricas no Brasil, a Argentina também pode encarar uma considerável diminuição em sua rede de concessionárias Ford da marca norte-americana.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 7.90

O objetivo da empresa é adequar sua rede de prestação de serviços à nova demanda de seu mercado, sem carros de volume como o Ka. Com seu novo portfólio dedicado majoritariamente composto por picapes, SUVs médios e grandes, vans e esportivos, como o clássico Mustang, a procura por serviços e o volume de vendas deve diminuir.

A atual rede é composta por 59 concessionárias por todo o país e deve sofrer um enxugamento de cerca de 25%: Especula-se o fechamento de 12 a 15 pontos de venda.

A empresa ainda não comentou se há algum prazo para a conclusão dos desligamentos, qual o impacto nos empregos e nem qual o método de avaliação para decidir os fechamentos, mas fontes de dentro da Ford, na Argentina, afirmaram ao Autoblog Argentna que ela buscará manter a cobertura nacional.

Continua após a publicidade
  • O processo já começou com o anúncio do desligamento das atividades da concessionária Ford Serra Lima, Buenos Aires, que vendia carros da marca há mais de 114 anos.

    Como no Brasil, a comercialização do Ford Ka foi descontinuada. Contudo, o EcoSport seguirá à venda: em vez de ser importado das fábricas do brasileiras, será importado Índia ou da Turquia.

    Segundo o Presidente da Ford South America, os progressos alcançados pela equipe sul-americana de mercado na transformação da operação incluiu a descontinuação de produtos não lucrativos e a saída do mercado de caminhões pesados.

    Mesmo que com a produção concentrada no país com a produção de picapes, a Argentina não se safou dos cortes e devemos ver o mesmo movimento ser repetido em outros países da América do Sul.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Quatro Rodas capa 741
    arte/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade