Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Dodge anuncia eletrificação de seus muscle cars: “aproveitem o fim dos V8”

Sem solução para os "beberrões" motores V8, montadora garante que os muscle cars seguirão, reinventados, na era dos carros elétricos

Por João Vitor Ferreira Atualizado em 12 set 2021, 10h25 - Publicado em 25 Maio 2021, 20h21
Challenger SRT Demon: recordes e superlativos abundantes
Muscle cars são famosos pelos seus poderosos motores V8 — totalmente contra as novas medidas contra emissão de poluentes. divulgação/Dodge

Amantes dos muscle cars até sentem calafrios quando ouvem falar sobre eletrificação. É quase impossível imaginar modelos como Dodge Charger e Challenger sem os enormes (e muito poluidores) motores V8. Mas para acompanhar as novas leis ambientais e tendências da indústria, a marca do grupo Stellantis terá que reinventar seus clássicos “na marra”.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Matt McAlear, chefe de Operações de Vendas da marca, é otimista em relação ao futuro dos muscle cars. Em entrevista ao site Muscle Car & Trucks, o executivo não entrega datas para o fim do motores V8 Hemi, mas garante que o futuro é de fazer jus à história dos clássicos esportivos americanos.

Segundo McAlear, é momento de curtir a “despedida de solteiro” dos motores a combustão e aproveitar o que de melhor tem deles, com safra atual marcada por modelos como o Dodge Challenger Hellcat Redeye, por exemplo.

“Não houve uma data desenhada na areia dizendo que você não poderá mais comprar Hemi com bloco de ferro, mas todos sabem que está chegando e querem aproveitar (o agora) enquanto podem”, explicou, prometendo substitutos “muito mais emocionantes”.

Continua após a publicidade

Dodge challenger roxo
A Dodge não revelou como, mas garante que os futuros “Dojões” serão emocionantes Divulgação/Dodge

A reinvenção não deve ser tarefa muito difícil quando se trata de potência, dado que motores elétricos podem facilmente superar os 808 cv do Challenger Hellcat, além de garantirem torque praticamente instantâneo, entre outras vantagens.

Outro fator que também pode ser contornado é o ronco do motor. Para os mais puristas, o barulho de um V8 pode soar como música para os ouvidos, privando as versões elétricas de um dos maiores charmes da categoria. Entretanto, já existem sistemas que podem simular o barulho de motores a combustão, como o opcional do Porsche Taycan. O ronco simulado, entretanto, vem sendo alvo de considerável resistência.

McAlear não especificou como a Dodge manterá os muscle cars vivos, mas afirmou que as pessoas anseiam pela chegada de coisas novas e garante que a Dodge está trabalhando para que seus carros não percam a essência. “Todo mundo sabe que a eletrificação está chegando, vamos reinventar o muscle car no que diz respeito à Dodge. Estou extremamente entusiasmado com o rumo que o futuro está tomando, mas agora todo mundo está curtindo ‘a despedida de solteiro’. Este é o último grito.”

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade

Publicidade