Clique e assine por apenas 8,90/mês

Custo para se manter um carro é proporcionamente maior entre os populares

Gastos com um hatch 1.0 representam 38% do valor total de aquisição

Por Isadora Carvalho - Atualizado em 26 mar 2018, 13h43 - Publicado em 26 out 2015, 19h11

mercado

À primeira vista parece contraditório, mas um estudo da consultoria Jato Dynamics confirmou: na proporção, os custos para se manter um carro popular são maiores que os de modelos mais sofisticados. No caso dos hatches de entrada com motor 1.0, tais gastos chegam a representar 38% do valor total de aquisição do veículo. No segmento de sedã compacto 1.6 essa proporção foi de 17% do valor de compra, seguido por SUVs com 17% e sedãs médios com o índice de 10% sobre o preço do modelo.

O levantamento considerou como custos de propriedade os gastos com revisões, manutenção corretiva, seguro, pneus, juros e documentação, além de depreciação. Para realizar a análise, a Jato utilizou uma amostra com os cinco modelos mais vendidos de cada segmento no Brasil e reuniu os dados dentro de um prazo de 36 meses e com rodagem de 10 mil quilômetros por ano.

jato-4.jpeg

Continua após a publicidade

Ao comparar os custos de propriedade com os custos médios do financiamento de cada segmento, a conta também fica proporcionalmente maior para os veículos populares. Considerando que o valor médio da parcela mensal para o modelo de entrada seja de R$ 685, o proprietário precisa desembolsar até 80% deste valor para arcar com os custos de propriedade. O sedã compacto 1.6 apresentou proporção de 56%, enquanto o sedã médio ficou em 50% e o SUV com 54%.

jato-2.jpeg

Publicidade