Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Leasing operacional: vale a pena alugar um carro por um ano?

Novo modelo de locação de automóveis aposta na mudança de comportamento do "ter" para o "usar"

Por Isadora Carvalho Atualizado em 16 jun 2017, 18h22 - Publicado em 2 fev 2017, 16h42

Alugar um carro por um ano ou mais era impensável pouco tempo atrás, pelo alto custo. Mas esse serviço começa a ganhar adeptos no Brasil. Esse modelo de negócio é conhecido como leasing operacional nos EUA, onde ele corresponde a mais de 50% das aquisições de um automóvel novo.

“Acredito que é uma questão de tempo para que o brasileiro acredite que é mais viável pagar para usar do que pagar para ter”, diz Osmar Pinho, presidente da Associação Brasileira das Empresas de Leasing (Abel).

A pioneira em oferecer essa modalidade foi a Rodobens há oito anos. A maioria dos clientes é de empresas e ela já conta com 4.000 veículos locados por 24 ou 36 meses.

Agora o serviço está chegando às pessoas físicas, por meio de um programa de carro por assinatura recém-lançado pela Porto Seguro. “Há tempos que a aquisição de um veículo deixou de ser um investimento, sobretudo se calcularmos os juros de financiamento e a desvalorização. Tudo isso chega apoiado por uma nova consciência da sociedade sobre mobilidade urbana”, explica Marcelo Rosal, gerente da seguradora.

Nesse programa, o cliente escolhe contratar por 12 ou 24 meses. Na mensalidade, já estão inclusos IPVA, licenciamento, seguro e as revisões programadas – ou seja, não há custos de manutenção.

Deve-se levar em conta também que, ao quitar um carro, há o valor residual do automóvel mesmo após a depreciação. Por outro lado, considere que a diferença entre os gastos poderia ser utilizada como investimento para render dividendos rentáveis (diferente de um automóvel, que só desvaloriza com o tempo), ou para outras necessidades.

Baseado nesse argumento, muita gente que entende de finanças já virou adepto do leasing. “Fiz as contas dos meus gastos para comprar e manter um carro e vi que aderir a esse serviço é 20% mais barato no meu caso. Por isso, decidi vender o carro e entrar no leasing”, afirma o economista Eduardo Aquiles, 58 anos.

“Pago R$ 1.350 por mês para usar um HB20. Só preciso me preocupar em abastecê-lo”, diz Aquiles. Inicialmente, o serviço, que conta com 1.000 clientes, está disponível nas cidades do Rio e de São Paulo.

Continua após a publicidade

Nas tabelas abaixo, comparamos os custos de compra e posse de quatro modelos com os valores da assinatura anual do serviço, considerando uma compra à vista – em caso de financiamento, o custo é diluído, mas o valor final aumenta bastante.

 

Chevrolet Onix 1.0 LT

121021_onix_05.jpg

  • 1 ano até 25.000 km = R$ 1.390 mensais
  • 2 anos até 50.000 km = não há opção de 24 meses para o modelo
COMPRA ASSINATURA
Compra do carro R$ 44.890 sem custo
IPVA R$ 1.820 sem custo
Seguro R$ 2.275 sem custo
Depreciação R$ 9.538 sem custo
Total R$ 58.523 R$ 16.680 ( 12 X R$ 1.390)

 

Hyundai HB20S 1.0 Comfort

Hyundai HB20S

  • 1 ano até 25.000 km = R$ 1.790 mensais
  • 2 anos até 50.000 km = R$ 1.680 mensais
COMPRA ASSINATURA
Compra do carro R$ 50.065 sem custo
IPVA R$ 1.802 sem custo
Seguro R$ 2.252 sem custo
Depreciação R$ 6.308 sem custo
Total
R$ 60.427 R$ 21.480 ( 12 X R$ 1.790)

 

Toyota Etios 1.3 X

Saias laterais já existiam no Platinum e agora chegam ao Etios XLS

  • 1 ano até 25.000 km = R$ 1.550 mensais
  • 2 anos até 50.000 km = R$ 1.370 mensais
COMPRA ASSINATURA
Compra do carro R$ 45.990 sem custo
IPVA R$ 1.780 sem custo
Seguro R$ 2.225 sem custo
Depreciação R$ 9.015 sem custo
Total R$ 59.010 R$ 18.600 ( 12 X R$ 1.550)

 

Ford EcoSport 1.6 Freestyle

Ford EcoSport
  • 1 ano até 25.000 km = R$ 2.390 mensais
  • 2 anos até 50.000 km = R$ 2.290 mensais
COMPRA ASSINATURA
Compra do carro R$ 77.900 sem custo
IPVA R$ 3.116 sem custo
Seguro R$ 3.895 sem custo
Depreciação R$ 11.916 sem custo
Total R$ 96.827 R$ 28.680 ( 12 X R$ 2.390)
  • Continua após a publicidade
    Publicidade