Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Com eletrificação a toda, Jeep vai abandonar motores V8 até 2030

Seguindo a tendência do mercado, a marca vai rumo à eletrificação e deve descontinuar motores a combustão até o começo da próxima década

Por Pedro Henrique Oliveira Atualizado em 20 jul 2021, 18h49 - Publicado em 21 jul 2021, 03h35
Jeep Renegade branco visto de frente
A marca com sede nos Estados Unidos pode descontinuar motores V8 antes mesmo de 2030 Divulgação/Jeep

Não é novidade que a Jeep está em busca de aumentar o catálogo de modelos eletrificados ao longo dos próximos anos, mas a notícia mais recente indica que as motorizações V8 podem chegar ao fim antes do previsto. 

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90.

A marca já anunciou que seu objetivo é ter 70% de suas vendas em 2025 compostas por eletrificados, fato que deixou os amantes dos motores a combustão com receio. 

Jeep Compass Trailhawk vermelho visto de frente
Compass Trailhawk híbrido lançado na Europa gerou especulações de que seria esse o primeiro Jeep elétrico lançado no Brasil, conforme promessa da montadora Divulgação/Jeep

O CEO da Jeep, Christian Meunier, afirmou nesta semana que, com o avanço das motorizações híbridas e elétricas, os modelos V8 a diesel e a gasolina podem morrer até o final da década. 

Em relação ao diesel, Meunier foi ainda mais enfático e disse que “o diesel irá desaparecer na Europa, fazendo com que as vendas caiam significativamente”. 

Jeep Commander

Continua após a publicidade

Mesmo sem dar uma data de validade para o fim dos clássicos V8, esses motores devem desaparecer até o começo da próxima década por conta das agências reguladoras. As nações mundiais estão assumindo compromissos cada vez mais agressivos rumo a diminuição da emissão de poluentes e os V8 são vistos como grande responsáveis pela poluição. Portanto, eles estão na mira dos governos. 

Jeep Compass 2022 80 anos (9)
As regulamentações cada vez mais restritas em relação a emissão de gases poluentes obrigará as marcas a reduzirem os modelos a combustão Divulgação/Jeep

Antes que os fãs dos V8 clássicos fiquem emotivos, isso não significa que a empresa irá retirar essa opção de motor do dia para a noite. “Eu acho que haverá uma transição entre o momento atual e 2030, e dependerá de cada mercado”, explicou Meunier. 

Uma coisa é clara. O fim dos motores “sedentos”, como o de oito e seis cilindros, está próximo, já que as motorizações híbridas e elétricas já são vistas como realidade, principalmente no mercado europeu e norte-americano.

Grand Cherokee L
O Grand Cherokee é um dos modelos que será mais afetado, principalmente no mercado australiano Divulgação/Jeep

Apesar de deixar claro que quer proteger os V8, Christian Meunier afirmou que os híbridos e elétricos vão, em última instância, substituir os modelos a combustão. Ao mesmo tempo, ele tranquilizou aqueles que buscam o maior e melhor desempenho. “Eu amo eletrificação porque pode me dar mais aceleração, mais potência, mais torque em um patamar superior e tudo isso sem fazer mal ao planeta”, disse. 

  • Um dos mercados que será mais afetado, além do norte-americano, é o australiano. Atualmente, a Jeep oferece as versões S-Limited, SRT e Trackhawk do Grand Cherokee, todas com o motor V8. 

    A Jeep não é a única marca de SUVs que declara sua entrada para valer no setor dos eletrificados. A Land Rover também confirmou que, a partir de 2026, descontinuará a produção de motores a combustão para ter um catálogo 100% de eletrificados em 2036.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Edição de julho
    A edição 747 de QUATRO RODAS já está nas bancas! Quatro Rodas/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade