Clique e assine com até 75% de desconto

Cinco motores e mais potente que F1: novidades do Mercedes-AMG Project One

Hipercarro alemão será impulsionado por motores semelhantes aos da Mercedes na F1 — mas com 200 cavalos extras

Por Eduardo Passos 26 out 2020, 18h06
Mercedes-AMG Project One durante testes em Affalterbach, na Alemanha Divulgação/Mercedes-Benz

Cada vez mais próximo do lançamento e com os testes em pista acontecendo, novos detalhes do Mercedes-AMG Project One foram revelados. As informações dizem respeito ao motor do hipercarro e dão conta de um desempenho capaz de deixar Lewis Hamilton em segundo lugar.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine por apenas R$ 5,90

A supermáquina contará com um motor V6 1.6 turbo híbrido, muito semelhante à unidade que equipa o F1 W11 guiado pelo piloto inglês e Valtteri Bottas na atual temporada da Fórmula 1. 

Ao contrário dos monopostos, porém, o One deverá contar com insanos 1.200 cavalos de potência que colocam-no próximo a modelos como o SSC Tuatara e o Bugatti Chiron. Os detalhes foram divulgados pelo site The Supercar Blog via uma fonte anônima.

O trem de força do Project One foi diretamente baseado na propulsão dos F1 e, não à toa, tem participação de engenheiros da equipe Mercedes no processo. 

Ao todo, a máquina contará com quatro motores elétricos — um alimentando o turbocompressor, o principal integrado ao cárter do motor 1.6 V6 e dois em transmissão direta a cada uma das rodas dianteiras. Toda essa energia será distribuída em cerca de 320 cv para o eixo dianteiro e o restante para o eixo traseiro. 

O sistema 4MATIC+ tratará de distribuir vetorialmente o torque entre as rodas, mediante condições externas. O carro terá um sistema híbrido do tipo plug-in, no qual, além de recuperar energia cinética e térmica, também pode ser recarregado na rede elétrica.

Continua após a publicidade
Gatinho ou leão? Project One vai de um silencioso elétrico a hiperesportivo por meio de comandos internos Divulgação/Mercedes-Benz

Os desafios em converter um conjunto de competição e aperfeiçoá-lo para as ruas foram umas das principais causas na demora do projeto, em desenvolvimento desde 2017. A ideia é que o Project One possa transitar facilmente entre um moderno e silencioso elétrico para um esportivo com ronco de Fórmula 1 mediante um simples comando do condutor. 

A Mercedes afirma que seu hiperesportivo será capaz de superar com folga os 350 km/h e acelerar de 0 a 200 km/h em menos de 6 segundos. Em regime exclusivamente elétrico, entretanto, o carro terá uma autonomia irrisória de apenas 25 km.

Preços e prazos

Limitado a 275 exemplares, o Project One está a venda por módicos US$ 2,7 milhões (R$ 15,201 milhões na cotação atual, sem considerar taxas e impostos). Pelo menos três unidades já foram vendidas a brasileiros

Após testes em Affalterbach o Project One encarará o “inferno verde” de Nürburgring Divulgação/Mercedes-Benz

Apesar do processo de aquisição ser restrito e a montadora alemã impor diversas condições ao compradores, já há alguns revendendo o hipercarro antes mesmo de receberem a encomenda. A concessionária austríaca Auto Salon, por exemplo, anunciou uma unidade do modelo por R$ 23,2 milhões.

O Project One deverá ser apresentado por completo no início de 2021, com as entregas ocorrendo no segundo trimestre do ano. Antes disso, a marca promete testá-lo, em grande estilo, no icônico “inferno verde” de Nürburgring e seu traçado clássico de Nordschleife.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade
Publicidade