Chevrolet descarta nova Montana e outra picape entre ela e S10

A picape compacta é tratada como ferramenta de trabalho e qualquer atualização a deixaria mais cara; GM segue só com duas opções

Chevrolet Montana Picape não passa por mudanças visuais desde 201o, quando a atual geração foi lançada

Picape não passa por mudanças visuais desde 201o, quando a atual geração foi lançada (Divulgação/Chevrolet)

O futuro da Chevrolet Montana já está traçado: ela vai continuar como é hoje.

Prestes a completar oito anos sem alterações significativas, a picapinha não tem perspectivas para passar por grandes mudanças.

Também não vai receber uma nova geração.

“A Montana tem uma situação específica. Encontrou um nicho claro: ser uma ferramenta de trabalho e ela está ótima assim. Se você faz grandes modificações, também faz mudanças nos custos e nos preços”, disse o vice-presidente da GM Mercosul, Marcos Munhoz, durante o anúncio de investimento de 1,2 bilhão na fábrica da GM em São Caetano do Sul (SP).

A picape é fabricada nesta unidade desde seu lançamento, em 2003. 

Em média, cada geração de um carro dura oito anos, mas sofre reestilização de meia-vida aos quatro.

Durante todo esse ciclo, a única novidade recebida pela Montana foi o motor 1.4 SPE/4, introduzido em 2016 por ser mais eficiente.

Nem a reestilização sofrida pelo Agile – que serviu de base para a segunda geração da Montana – em 2014 foi estendida à picape.

Picape ainda usa interior do Agile, que deixou de ser importado em 2014 e não é produzido na Argentina desde 2016

Picape ainda usa interior do Agile, que deixou de ser importado em 2014 e não é produzido na Argentina desde 2016 (divulgação/Chevrolet)

Mas vale um comentário: a Montana ainda é baseada na plataforma GM 4200, que estreou no Brasil com o Corsa em 1994.

E a Chevrolet Montana, que parte dos R$ 49.090, nem é a picape compacta mais barata do mercado. A Fiat Strada, lançada em 1998 e reestilizada em 2013, parte dos R$ 48.790, enquanto os preços da Volkswagen Saveiro, datada de 2009 e atualizada em 2016, começam em R$ 48.390. 

Chevrolet Montana Produzida em São Caetano, Montana não passou por qualquer atualização na atual geração

Produzida em São Caetano, Montana não passou por qualquer atualização na atual geração (Divulgação/Chevrolet)

A possível criação de uma picape intermediária da Chevrolet, que ocuparia a lacuna entre Montana e S10 também foi descartada. “Nós criamos uma gama para a S10 que vai desde uma cabine simples, de trabalho, até a High Country, de luxo, e funciona muito bem”, disse Munhoz.

Montana tem a mesma plataforma da picape Corsa, de 1995

Montana tem a mesma plataforma da picape Corsa, de 1995 (Reprodução/Quatro Rodas)

 
“Na nossa visão não cabe mais uma. Tem concorrente que tem picape ainda maior do que a nossa [S10], mas o volume não é tão grande por enquanto”, completou.

Um carro de entrada abaixo do Onix Joy também não está nos planos. “Já fizemos vários estudos e quando a gente olha no mercado o segmento abaixo do Onix… parece que está difícil ter sucesso.” De fato, Fiat Mobi e Renault Kwid estão bem longe de vender as 18 mil unidades mensais do Onix. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

  1. Monstrana Ferramenta de trabalho? Ninguém quer esse lixo!