Guia de Usados: Chevrolet Sonic

Esquecido pelo mercado, o hatch coreano é barato e bem equipado

Chevrolet Sonic LTZ hatch

O Sonic é um raro caso de bom automóvel que foi abandonado pelo fabricante e esquecido pelo mercado: ele chegou em 2012 com pouca divulgação, para encerrar a carreira do Agile e bater de frente com Honda Fit e Ford New Fiesta.

Importado da Coreia do Sul (e posteriormente do México), ele não se beneficiou da isenção do imposto de importação, o que acabou afetando seu custo-benefício.

O estilo controverso é típico dos coreanos, mas ele bebe na mesma fonte do Cruze, ou seja, reúne atributos técnicos que o tornam confiável e fácil de manter.

Derivado da mesma plataforma Gamma II do Cobalt, ele é impulsionado pelo moderno Ecotec 1.6 16V flex de 120/116 cv, com variação nos comandos de válvulas e no coletor de admissão. Seu ronco encorpado e respostas rápidas não contribuem para o consumo, mas instigam uma tocada esportiva.

Chevrolet Sonic LTZ hatch

Sua dirigibilidade é favorecida pelo acerto equilibrado da suspensão, que transmite segurança sem comprometer o conforto. A direção leve e precisa tem assistência hidráulica (menos eficiente que a elétrica) e por trás dela figura um painel inspirado em motos, com conta-giros analógico e demais instrumentos digitais.

Espaçoso e bem-acabado, o Sonic deixa a desejar no porta-malas: seus 265 litros são apenas suficientes. Outra deficiência é a ausência de encosto de cabeça e cinto de três pontos para o terceiro passageiro no banco de trás nos primeiros modelos importados.

Chevrolet Sonic LTZ hatch

Ele se destacou por oferecer airbag duplo e ABS desde a versão de entrada LT, que trazia também ar, direção, trio elétrico e rodas de liga aro 15.

A LTZ adicionava sensor de ré, faróis de neblina, comando do som no volante, aro 16 e bancos de couro. O câmbio automático sequencial de seis marchas foi oferecido como opcional.

No comparativo com seu principal rival, o Ford Fiesta, ele oferecia mais equipamentos, mas ficou para trás em consumo e dirigibilidade.

Chevrolet Sonic LTZ

Como o Cruze, o Sonic é um carro bem resolvido, sem problemas crônicos. A desconfiança do mercado fez com que os preços do usado despencassem, fazendo dele uma excelente opção para quem procura um hatch premium pelo valor de um popular zero-quilômetro.

A VOZ DO DONO

Nome: João Pedro Py

Idade: 35 anos

Profissão: gerente de operações

Cidade: São Paulo (SP)

O QUE EU ADORO – “Pequeno por fora e grande por dentro, com visual agressivo e ótimo acabamento. O conforto é garantido pelo farto nível de itens de série, equipamentos e pela boa dirigibilidade do motor Ecotec.”

O QUE EU ODEIO – “A frente baixa raspa em qualquer desnível e o ar-condicionado não é digital. O consumo urbano é elevado (eu faço 6 km/l na gasolina e menos de 5 km/l com etanol) e o câmbio automático não é dos melhores.”

Chevrolet Sonic LTZ hatch

ONDE O BICHO PEGA

Câmbio – Robusta e confiável, a transmissão automática de seis marchas não está livre de problemas envolvendo o correto engate das marchas após a seleção na alavanca. O reparo não sai por menos de R$ 5.000.

Ar-condicionado – O problema mais comum envolve falha no sensor de temperatura do ar externo, que deve ser substituído. Compressor e condensador também estão sujeitos a falhas, provocadas por acúmulo de detritos ou danos causados por pedras.

Suspensão –  É bom verificar o estado dos batentes dos amortecedores: a calibragem firme causa batidas secas em buracos maiores, podendo causar vazamento dos amortecedores.

Sonda Lambda – Oscilação na marcha lenta e ruídos anormais no escapamento são sintomas de que a sonda original foi trocada por uma mais simples. Em alguns casos, o gerenciamento da injeção eletrônica pode até impedir o funcionamento do motor.

Recall – Uma falha no anel de vedação da bomba de combustível pode provocar vazamento de combustível e princípio de incêndio, em casos extremos. O problema afetou os modelos fabricados entre janeiro de 2012 a março de 2014.

NÓS DISSEMOS…

Maio de 2013 – “O painel de instrumentos é pequeno, mas completo. (…) No acabamento, o Sonic é superior ao HB20. Seu painel tem boa aparência, é agradável ao toque e conta com apliques metálicos no console. Os bancos são de couro. E, entre os equipamentos, o Sonic traz câmbio automático de seis marchas.”

Preço médio dos usados (FIPE)
2012 2013 2014
LT 1.6 16V manual R$ 30.816 R$ 32.395 R$ 33.731
LT 1.6 16V automático R$ 33.882 R$ 35.108
LTZ 1.6 16V manual R$ 31.707 R$ 33.894
LTZ 1.6 16V automático R$ 32.632 R$ 35.647 R$ 37.007
Preço das peças
Original Paralelo
Para-choque (dianteiro) R$ 1.974 R$ 2.800
Farol (cada um) R$ 1.381 R$ 650
Retrovisor (cada um) R$ 960 R$ 330
Discos de freio (par) R$ 630 R$ 260
Pastilhas de freio (jogo) R$ 330 R$ 300
Kit de embreagem R$ 1.604 R$ 650
Amortecedores (os quatro) R$ 4.346 R$ 1.100

PENSE TAMBÉM EM UM…

Honda Fit – Sua versatilidade e praticidade conquistam quem busca um hatch: apesar de medidas similares, oferece maior espaço interno e porta-malas de 363 litros, quase 100 a mais que o Sonic. É mais caro, traz menos itens de série e não oferece o mesmo prazer de dirigir, mas compensa pela maior confiabilidade.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s