Antes de bancos do Gol GTI, Recaro fabricou Fusca e até primeiros Porsche

Com 113 anos de história, a empresa surgiu como fabricante de automóveis, quase acabou após a guerra, e foi responsável por levar a Porsche à Alemanha

Passat GTS Pointer foi um dos primeiros nacionais a oferecer bancos Recaro

Passat GTS Pointer foi um dos primeiros nacionais a oferecer bancos Recaro (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Se você já tinha suficiente idade para dirigir – ou gostar de carros – nos anos 1980 e 1990, provavelmente desejou os bancos Recaro dos Volkswagen mais esportivos.

O que talvez seja desconhecida é a origem do fabricante de bancos, que produziu os primeiros protótipos do Fusca e foi responsável pela construção do Porsche 356.

Na verdade, a Recaro nasceu com outro nome, em 1906: Stuttgarter Carosserie und Radfabrik. E, três anos depois, se tornou Stuttgarter Karosseriewerk Reutter & Co.

Recaro surgiu como fabricante de carroceria e fornecedora de peças

Recaro surgiu como fabricante de carroceria e fornecedora de peças (Recaro/Reprodução)

Os irmãos Wilhelm e Albert Reutter passaram a fornecer componentes a boa parte das marcas alemãs da época, incluindo a então Daimler-Benz, no início do século XX.

Só que os caminhos da atual Recaro só cruzaram com a Porsche em 1930, quando foi firmada uma parceria com aquele que, até então, era um escritório de engenharia.

Foi assim que a Reutter colaborou com a construção de alguns dos primeiros protótipos do Fusca, projeto de Ferdinand Porsche criado por encomenda ao governo alemão.

Em 1937, após atingir o limite de capacidade produtiva da fábrica principal Augustenstraße, em Stuttgart, foi inaugurada a linha de montagem na cidade vizinha de Zuffenhausen.

Reutter chegou a construir o VW da série 38, o Fusca

Reutter chegou a construir o VW da série 38, o Fusca (Recaro/Reprodução)

Só um ano depois, em 1938, a Reutter era responsável pela produção do VW da série 38, o Fusca. Àquela altura, a empresa tinha 900 funcionários e fazia 33 carros por dia.

Pouco antes do fim da Segunda Guerra Mundial, a fábrica de Augustenstraße, primeira linha de montagem, foi bombardeada e, em 1944, a Reutter foi reduzida em quase 90%, a 94 funcionários.

No ano seguinte, em dezembro de 1945, Ferdinand Porsche foi preso acusado por crimes de guerra e seu filho, Ferry Porsche, foi quem assumiu o comando da empresa.

Enquanto o fundador seguia na cadeia, as unidades iniciais do 356, primeiro modelo a receber marca Porsche, foram construídas em Gmünd, na Áustria, a partir de 1948.

Empresa foi responsável pela produção dos primeiros Porsche da história

Empresa foi responsável pela produção dos primeiros Porsche da história (Recaro/Reprodução)

Poucos anos depois, em 1950, a empresa decidiu transferir a produção do esportivo à Alemanha, onde o modelo passou a ser feito pela Reutter – e trocou alumínio por aço.

Em 1956, ao completar 50 anos, a empresa criada pelos irmãos Wilhelm e Albert já havia fabricado 10.000 unidades para a Porsche e voltou a ter 900 funcionários.

Vale lembrar que, três anos antes, em 1953, a Stuttgarter Karosseriewerk Reutter & Co. já havia registrado um banco com ajustes de inclinação, indicando o futuro da empresa.

Em 1964, a Porsche comprou a Reutter

Em 1964, a Porsche comprou a Reutter (Recaro/Reprodução)

Em 1963, quando a Porsche estava prestes a lançar o 901 (depois rebatizado 911), a Reutter já não tinha mais condições de assumir a produção do sucessor do 356.

Naquele mesmo ano, a marca fundada por Ferdinand comprou a parceira. Após isso, os antigos donos criaram a Recaro, nome formado pelas iniciais de Reutter-Carosserie.

Bancos Recaro, um clássico dos esportivos dos anos 80 Bancos Recaro, um clássico dos esportivos dos anos 80 no Brasil

Bancos Recaro, um clássico dos esportivos dos anos 80 no Brasil (Pedro Bicudo/Quatro Rodas)

No anos seguintes, a nova empresa seguiu fornecendo bancos originais para o fabricante de esportivos e criou uma linha de montagem específica para produtos de aftermarket.

A Recaro apresentou ao público os primeiros bancos durante o Salão de Frankfurt, na Alemanha, em 1965. E, quatro anos depois, a empresa foi vendida pela família Reutter.

Desde então, o fabricante se dividiu em diferentes braços. Hoje, um é dedicado a assentos para aviões e outro a eGaming. Já a divisão automotiva está licenciada para a Adient.

De qualquer forma, a empresa nascida em Stuttgart jamais voltou a produzir carros. E, hoje, o edifício da antiga Reutter segue intocado dentro do complexo que é sede da Porsche.

Edifício da finada Reutter continua de pé na sede da Porsche

Edifício da finada Reutter continua de pé na sede da Porsche (Divulgação/Porsche)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s