Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

A arte do martelinho de ouro

Expert no assunto, Herivelto Malosti explica os diferenciais e potenciais da técnica de reparação automotiva

Por Abril Branded Content Atualizado em 16 dez 2020, 12h15 - Publicado em 16 dez 2020, 11h00

Engana-se quem acredita que o trabalho prestado por um profissional martelinho de ouro seja o mesmo que o oferecido por uma funilaria. “O trabalho do primeiro consiste em remover amassados de veículos sem danificar nem alterar sua pintura original.” É uma técnica artesanal, conhecida nos Estados Unidos como PDR (Paintless Dent Repair/Removal), que, além de preservar a originalidade do carro, é mais rápida e mais econômica. Já na funilaria tradicional, a reparação passa por várias etapas, primeiro o alinhamento ou troca da peça, preparação, pintura e por fim o polimento, como explica Herivelto Malosti, proprietário da Aral Latam, empresa com sede em Curitiba (PR), especializada na recuperação de carros atingidos por chuva de granizo, único empreendimento da América do Sul no segmento com Certificação de Qualidade ISO 9001. Voltada para a parte industrial, a companhia atende fábricas, montadoras, portos, concessionárias e locadoras e prioriza a transparência em todas as etapas do serviço. “Os clientes envolvidos em nossos processos de reparação, como diretores de logística e qualidade, têm acesso online ao nosso sistema de dados para acompanhar toda a execução e evolução do processo”, salienta Malosti.

O empresário conta que trabalhou em montadoras/fábricas de automóveis em diversos países, como técnico martelinho e como gestor de grupos cujos veículos foram danificados pela chuva de granizo, sendo que estes “foram totalmente recuperados artesanalmente sem que houvesse nenhuma alteração na sua originalidade”. Malosti costuma dizer que conhece o bom profissional pela “batida do martelo”. O Martelinho de Ouro, no entanto, envolve a reparação de vários tipos de danos, por exemplo: amassados de batida de porta, um problema muito comum em todo o mundo, de acordo com o especialista.

EXPERTISE COMPARTILHADA

Herivelto Malosti
Foto: Elder Lino/Divulgação

A trajetória de Malosti começou nos anos 1990, quando fez o treinamento na The Dent Wizard, empresa americana voltada para reparação automotiva. A partir daí, se especializou no segmento e em poucos anos já estava viajando pelo mundo, desamassando carros danificados pelo granizo. Na sua jornada adquiriu muita experiência, passando por mais de 20 países na Europa, América do Sul, Estados Unidos, Austrália, África do Sul.

Com a experiência, acabou se tornando autoridade no assunto e, devido à grande procura pelo aprendizado, ele decidiu profissionalizar seu método de ensino. Assim, passou a compartilhar sua expertise de master técnico martelinho por meio de um treinamento digital. “No curso, uso uma metodologia e uma linguagem simples para facilitar a compreensão dos conceitos, técnicas e processos. Dependendo da dedicação do aluno, em dois meses ele já está apto a realizar o serviço profissionalmente”, explica Malosti, que ainda conta com um canal do YouTube em que ensina gratuitamente técnicas e dicas para aperfeiçoamento de profissionais da área ou admiradores da arte. Para Malosti, “ser artista martelinho é mais que uma possibilidade, é viver se desafiando e ir cada vez mais longe”.

Saiba mais em:  heriveltomalosti.com / @heriveltomartelinho / fb.com/martelinhoacademy/Youtube

Continua após a publicidade

Publicidade