Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Jeep Compass usado parte dos R$ 90.000; veja qualidades e defeitos

O SUV é bonito, bem equipado e está prestes a receber uma nova geração

Por Felipe Bitu
Atualizado em 20 mar 2024, 09h32 - Publicado em 20 mar 2024, 07h00
Jeep Compass Trailhawk
Jeep Compass Trailhawk (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Motivos não faltam para explicar o sucesso do Jeep Compass, que foi apresentado em 2016 já como modelo 2017. A própria Jeep deve ter se surpreendido com o sucesso do SUV, que logo se tornou o modelo mais vendido da marca (à frente do irmão menor Renegade).

Os alvos dele, à época, eram muitos: além dos coreanos Hyundai ix35 e Kia Sportage, o Compass batia de frente com Mitsubishi ASX e as versões de entrada dos alemães Audi Q3, BMW X1 e Mercedes-Benz GLA.

Jeep Compass Trailhawk
Atrás, o visual remete ao Dodge Durango (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Lançado em 2016, sua nova geração está prestes a chegar.O SUV tem 4,41 metros de comprimento, 1,64 metro de altura, 1,82 metro de largura e 2,63 metros de distância entre-eixos, medidas um pouco maiores que as do Renegade e menores que as do Cherokee.

Versões do Jeep Compass

O Compass Longitude com motor 2.0 Flex com 166/159 cv e 20,5/19,9 kgfm tem câmbio automático de seis marchas, ESP, sensores e câmera de ré, banco do motorista elétrico, piloto automático, ar-condicionado digital bizona, chave presencial, faróis com luzes diurnas de led, rodas aro 18 e central multimídia com tela de 8,4”.

Traseira lembra muito o Grand Crerokee
Traseira lembra muito o Grand Cherokee (Pedro Bicudo)

Foi a versão de maior sucesso do Compass, que cativou seu público com linhas sedutoras, acabamento premium, espaço para quatro adultos e um porta-malas de 410 litros. Quem roda por caminhos difíceis deve escolher o motor 2.0 diesel de 170 cv e 35,7 kgfm, sempre associado ao câmbio automático de nove marchas e à desejada tração 4×4 com quatro ajustes de condução.

A Longitude serviu de base para a série Night Eagle, caracterizada pela pintura preta nas rodas, grade dianteira, friso das janelas, apliques do console central e saídas de ar-condicionado.

Continua após a publicidade
Jeep Compas Longitude Night Eagle 2.0 flex 2021
Jeep Compas Longitude Night Eagle 2.0 flex (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Como o nome sugere, foi vendido em duas variações da cor preta (uma sólida e outra metálica) e traz ainda faróis de xenônio, bancos de couro, sistema de som Beats.

A Limited acrescenta airbags laterais, de cortina e de joelho para o motorista, além de bancos de couro, sensores crepuscular e de chuva e painel de instrumentos configurável.

Jeep Compass Limited 2.0 Turbodiesel
Jeep Compass Limited 2.0 Turbodiesel (Divulgação/Jeep)

No extremo oposto está a versão Sport, facilmente identificada pelo ar-condicionado de comandos manuais, pela central multimídia com tela de 5”e rodas aro 17. Para ser a opção mais em conta da linha, a vistosa central multimídia UConnect foi trocada pela mesma que equipava o Renegade – uma tela de 5 polegadas, menor que qualquer tela de smartphone.

Jeep Compass Sport 2.0 flex
Jeep Compass Sport 2.0 flex (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Algumas peças externas (como capas dos espelhos retrovisores e maçanetas) não vêm pintadas na cor da carroceria e o revestimento interno dispensa o couro.

O modelo 2018 apresentou a versão Sport 4×4 a gasolina, que aliava o motor 2.0 a gasolina ao câmbio automático de nove marchas e à tração 4×4. Durou um ano e hoje é mico: vale menos que os 4×2 do mesmo ano.

Continua após a publicidade
Jeep Compass Sport flex
Bancos do Compass Sport são de tecido (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Quem aprecia trilhas leves deve ir direto no Jeep Compass Trailhawk, disponível apenas com a motorização diesel. Seu nível de equipamentos é o mesmo da versão Limited, mas tem suspensão mais alta, protetores por baixo do cárter, câmbio e tanque de combustível, e ganchos para fixação da bagagem no porta-malas.

Compass usados 741
(Acervo/Quatro Rodas)

A Trailhawk serviu de base para a requintada versão S, que chegou no modelo 2019 incorporando o Pack High Tech, com piloto automático adaptativo, aviso de colisão frontal com frenagem automática e monitoramento de mudança de faixa com correção ativa.

O Compass Longitude diesel se saiu bem no teste de Longa Duração: sofreu apagões elétricos, ruídos nas suspensões e infiltração de poeira, mas se redimiu graças ao conforto e acabamento acima da média, além do conjunto mecânico confiável e bem acertado.

Compass
Interior do Compass é espaçoso e completo (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A primeira fase do Jeep Compass seguiu à venda até o finalzinho de 2020, quando quando o SUV médio ganhou novos para-choques, faróis e lanternas, novo painel com quadro de instrumentos digital e central multimídia maiores. Além disso, o motor 2.0 a gasolina foi trocado pelo 1.3 GSE turbo flex bem mais potente: são 185 cv e 28,5 kgfm. Isso mudou o desempenho do SUV, mas trouxe complicações que o antigo motor não tinha. E o motor 2.0 turbodiesel sairá de linha em 2024.

compass
Atrás há espaço suficiente para três adultos (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Principais defeitos do Jeep Compass

Suspensão: As buchas da barra estabilizadora apresentam folgas prematuras que resultam em barulhos muito acima da média para um projeto atual. Verifique também os amortecedores e seus respectivos batentes.

Continua após a publicidade

Pneus: Preste atenção no desgaste da banda: os pneus Pirelli Scorpion Verde All Season são extremamente sensíveis a problemas de alinhamento nos sistemas de suspensão e direção.

Motor 2.0 Tigershark garante um desempenho melhor que o do Renegade 1.8
Motor 2.0 Tigershark garante um desempenho mediano (divulgação/Jeep)

Cabine: Odor constante de mofo é uma queixa comum entre os proprietários: o problema pode estar relacionado com a saturação do filtro de cabine (e falta de higienização do ar-condicionado) ou infiltração de água nas versões equipadas com teto solar.

Câmbio automático: O câmbio ZF 9HP das versões com tração 4×4 pode apresentar trancos e irregularidades no funcionamento. Para sanar o problema, é preciso recorrer à rede autorizada e solicitar a atualização do software que gerencia a transmissão.

Recalls: Foram cinco ao todo, envolvendo gerenciamento do motor diesel, relés dos sistemas de ignição e injeção de combustível, falha na injeção eletrônica/piloto automático, sistema de freios e sensor de pressão de combustível do motor.

compass
Ponto criticado no Renegade, o porta-malas, de 410 litros, do Compass é espaçoso (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Desempenho e consumo do Jeep Compass 2.0 flex:

  • Aceleração de 0 a 100 km/h: 12,3 s
  • Aceleração de 0 a 1.000 m: 33,5 s – 158,4 km/h
  • Retomada de 40 a 80 km/h: 5,3 s (em D)
  • Retomada de 60 a 100 km/h: 6,8 s (em D)
  • Retomada de 80 a 120 km/h: 8,7 s (em D)
  • Frenagens de 60/80/120 km/h a 0: 17/28,7/67,5 m
  • Consumo urbano: 8 km/l
  • Consumo rodoviário: 11 km/l
    *gasolina

Desempenho e consumo do Jeep Compass 2.0 turbodiesel:

  • Aceleração de 0 a 100 km/h: 11,4 s
  • Aceleração de 0 a 1.000 m: 33 s – 155 km/h
  • Retomada de 40 a 80 km/h: 5,1 s (em D)
  • Retomada de 60 a 100 km/h: 6,8 s (em D)
  • Retomada de 80 a 120 km/h: 8,9 s (em D)
  • Frenagens de 60/80/120 km/h a 0: 17,4/30/69 m
  • Consumo urbano: 11,7 km/l
  • Consumo rodoviário: 15,1 km/l

A voz do dono

Nome: Marcello Consolini
Idade: 54 anos
Profissão: empresário
Cidade: Piracicaba (SP)

Continua após a publicidade

O que eu adoro: “Confortável para quatro adultos. O conjunto de motor e câmbio tem bom rendimento, aliando desempenho e baixo consumo. O painel de instrumentos é completo e a manobrabilidade para entrar em vagas é excelente.”

O que eu odeio: “O porta-malas é insuficiente para uma família. A câmera de ré é um item indispensável. E, apesar do visual aventureiro, ele não gosta de vias acidentadas: o spoiler dianteiro raspa em qualquer ondulação.”

Longa Duração do Jeep CompassRea

Preços dos Jeep Compass usados (KBB)

Modelo 2017 2018 2019 2020
Compass Sport 2.0 flex 4×2
R$ 89.943
R$ 96.548
R$ 100.658
R$ 103.251
Compass Sport 2.0 flex 4×4
R$ 95.702
Compass Longitude 2.0 flex 4×2
R$ 97.601
R$ 100.845
R$ 99.120
R$ 108.730
Compass Night Eagle 2.0 flex 4×2
R$ 102.597
Compass Limited 2.0 flex 4×2
R$ 99.818
R$ 107.166
R$ 113.420
R$ 126.056
Compass S 2.0 diesel 4×4
R$ 133.249
R$ 143.873
Compass Longitude 2.0 diesel 4×4
R$ 111.735
R$ 117.452
R$ 123.745
R$ 126.640
Compass Night Eagle 2.0 diesel 4×4
R$ 120.055
Compass Limited 2.0 diesel 4×4
R$ 123.472
R$ 137.044
R$ 145.700
Compass Trailhawk 2.0 diesel 4×4
R$ 118.289
R$ 127.245
R$ 137.771
R$ 144.599

Nós Dissemos

Nós Dissemos Compass 741
(Acervo/Quatro Rodas)

Outubro de 2016:  “Grande como um Hyundai ix35 e mais bem equipado que um Audi Q3, o Compass aposta no design sedutor (…). O Compass a diesel se comporta com desenvoltura na cidade, graças ao bom desempenho do motor 2.0 de 170 cv e 35,7 kgfm, associado ao câmbio automático de nove marchas – mesmos do Renegade.”

Pense também em um…

Audi Q3 pense também em um...
(Acervo/Quatro Rodas)

Audi Q3: O SUV premium não conta com motorização diesel, mas combina luxo, desempenho e boa capacidade para percorrer caminhos difíceis. Destaque para a versão Ambiente, com motor 2.0 TFSI de 170 cv (180 a partir do modelo 2016) com teto solar panorâmico, câmbio S Tronic de dupla embreagem e tração integral.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.