Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

O que acontece ao engatar a ré com o carro em movimento?

Daquelas dúvidas que você sempre teve, mas nunca teve coragem de saber o que acontece

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 3 Maio 2021, 16h28 - Publicado em 25 jan 2017, 11h28

Temos a certeza que você já quis saber o que aconteceria se engatasse a marcha à ré com o carro em movimento. Mas certamente não teve coragem de fazer o teste prático com medo das consequências.

Para sua alegria, os caras do AutoVlog fizeram o teste em um Ford Fusion com câmbio automático a aproximadamente 110 km/h. Se estiver ansioso para saber o que acontece, vale pular o vídeo para 1:40. 

[youtube=https://www.youtube.com/watch?v=fj-lYwh9twA&w=680&h=383]

Os momentos de tensão do motorista ao passar o câmbio de “Drive” para “Neutro” são seguidos de um grande e aterrorizante nada ao passar a alavanca para “Ré”. Na verdade, o que acontece é que a câmera de ré passa a funcionar. E mais nada.

Claro que é um tanto assustador ver o teste sendo feito em via pública e em alta velocidade mas, por sorte, há algumas décadas os câmbios automáticos possuem sistema de salvaguarda, seja mecânico ou elétrico, que evita que a ré seja acionada com o carro em movimento – isso ocorre apenas em velocidades muito baixas.

Vale lembrar também que a grande maioria dos carros com câmbio automático têm trava que evita que a alavanca corra para “R” ou “P” inadvertidamente, em um esbarrão por exemplo.

Continua após a publicidade

E em um câmbio manual? 

Câmbio manual do Toyota Corolla GLI
Câmbio manual do Toyota Corolla GLI Marco de Bari/Quatro Rodas

Para carros com câmbio manual não chega a ser impossível engatar a ré com o carro em movimento, mas você precisa estar realmente disposto a moer anéis e engrenagens da transmissão do seu carro.

Dentro do câmbio, há uma árvore que recebe o movimento do motor com a engrenagem para a ré e uma outra árvore que envia o movimento para as todas. Ao engatar a ré, uma engrenagem conecta as duas árvores e o carro inverte seu sentido.

A questão é que com o carro em movimento a engrenagem tentará acoplar uma das árvores ainda em movimento. Você ouvirá e sentirá na alavanca as engrenagens arranhando – e acreditamos que isso será suficiente para que desista de fazer isso. Mas, dependendo do câmbio, pode ser possível que haja acoplamento ao forçar a alavanca. E aí as engrenagens do câmbio serão reduzidas a limalha de aço.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

Impressa + Digital

Plano completo de QUATRO RODAS. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.


a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)