Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Há problema em abastecer um carro a diesel moderno com S-500?

Excesso de enxofre na composição do combustível pode afetar o funcionamento do catalisador

Por Vitor Matsubara Atualizado em 11 Maio 2021, 11h31 - Publicado em 13 dez 2017, 13h48
Motor 2.0 turbodiesel tem 170 cv e 35,7 mkgf de torque máximo
Motor 2.0 turbodiesel tem 170 cv e 35,7 mkgf de torque máximo Christian Castanho/Quatro Rodas

O que acontece se eu abastecer um veículo a diesel moderno com S-500? E se colocar um S-10 num motor antigo? – Bruno Caputo, Londrina (PR)

Colocar o diesel S-10 (sigla que indica 10 partes de enxofre por milhão) em um motor antigo não tem problemas – e nem vantagens. “Um propulsor de concepção mais velha não consegue aproveitar as vantagens do combustível mais moderno”, explica Eduardo Oliveira, supervisor de engenharia da Cummins.

Antigamente, o combustível tinha 1.800 partes de enxofre por milhão, quantidade que posteriormente caiu para 50 p.p.m com a chegada do diesel S-50. O enxofre, aliás, aumenta a lubricidade do combustível e protege partes móveis do motor.

No entanto, caso haja contaminação com água, a substância forma ácidos sulforoso (H2SO3) e sulfúrico (H2SO4), que podem corroer as partes metálicas.

Só as versões a diesel têm tração 4x4
Motor diesel da Jeep é empregado nos modelos Compass e Renegade Pedro Bicudo/Quatro Rodas

Quanto maior o teor de enxofre maior será o número de emissões de particulados (responsável pela fumaça preta. Crescem também as chances de carbonização do motor e de entupimento do filtro de partículas e do catalisador.

Continua após a publicidade

O óleo diesel de baixo teor de enxofre estreou no Brasil em janeiro de 2014, substituindo o diesel S-50. Segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo), a medida “faz parte da implantação das fases P7 e L6 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve)”, que abrange veículos pesados e utilitários a diesel produzidos a partir de 2012.

Na ocasião, a ANP nomeou 3.775 estabelecimentos para vender o diesel S-10. Todos os motores movidos a diesel fabricados a partir de janeiro de 2012 podem (e devem) rodar com este tipo de combustível, sob pena de apresentar falhas prematuras nos sistemas de pós-tratamento de gases de escape e emissões acima do tolerado.

Se o diesel S-10 não é nocivo aos motores antigos, usar o combustível mais barato em um motor feito para rodar com S-10 (como o 2.0 do Jeep Compass) terá caras consequências a longo prazo.

Jeep Compass Trailhawk
Jeep não recomenda abastecimento com diesel S-500 Acervo/Quatro Rodas

“Por ter muito mais enxofre em sua composição, o S-500 fará com que o catalisador do veículo fique entupido, provocando sua troca prematura”, conclui Oliveira.

Além do dano ao catalisador, o veículo também irá gastar mais combustível e emitir mais gases poluentes. Neste caso, só se deve usar o S-500 em emergências e trajetos curtos.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.


a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo de QUATRO RODAS. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês