Clique e assine por apenas 8,90/mês

Ainda há alguma vantagem técnica nos motores V12?

Correio Técnico: as dúvidas dos leitores respondidas pela QUATRO RODAS

Por José D`Elia - Atualizado em 11 abr 2018, 11h49 - Publicado em 7 fev 2016, 13h06

Ferrari V12

Considerando-se a atual tecnologia dos motores, ainda há alguma vantagem técnica nos motores V12? – Carlos Bonandin, São Paulo (SP)

Teoricamente, o V12 é o motor mais bem balanceado, porque é a duplicação do seis-cilindros em linha, famoso por sua suavidade.

Tal equilíbrio incentivou seu uso em carros de luxo de grandes proporções, mas ele se tornou reconhecido mesmo por permitir grandes cilindradas (e, por consequência, muita potência e torque) ocupando um espaço relativamente pequeno, já que um motor de 12 cilindros em linha seria praticamente inviável de se colocar sob qualquer capô.

Continua após a publicidade

Os motores com 12 cilindros em V também fizeram história em barcos e aviões, principalmente durante a Segunda Guerra Mundial, antes do advento das turbinas e turbojatos – na época, havia também enormes motores aeronáuticos com cilindros em linha e radiais.

Nos automóveis, algumas das marcas mais exclusivas continuam mantendo tal configuração, como a Aston Martin, Ferrari, Lamborghini e Rolls-Royce. Na Fórmula 1, os V12 foram descartados durante a década de 1990 em favor dos V10, V8 e posteriormente V6.

Entretanto, o que vai determinar a sobrevivência do V12 será seu carisma. Hoje há recursos técnicos suficientes para transformar um V8 de 4,0 litros num equivalente em potência a um antigo V12 de 6,0 litros. É por isso que Antony Sheriff, antigo presidente da McLaren, disse: “O V12 é uma coisa do passado. O lugar desse motor é o museu”.

Publicidade