Por que clientes da pré-venda estão desistindo do Renault Kwid?

Muita gente desistiu de comprar o Kwid após vê-lo na loja. Entenda os motivos

Pode não parecer olhando de alguns ângulos, mas o Kwid é bastante compacto (Divulgação/Renault)

Anunciado como o “SUV dos compactos”, o Renault Kwid conseguiu milhares de pedidos em pré-venda. Mas nem todos os interessados mantiveram o negócio após ver o carro ao vivo nas lojas ou fazer o test-drive.

São pessoas que, apesar do preço convidativo, esperavam mais do que um compacto de entrada com suspensão elevada.

Em grupos do Facebook criados pelos interessados no Kwid os comentários mudaram de tom há uma semana, quando o carro começou ser entregue nas concessionárias.

Pré-venda do Kwid consistia no pagamento de R$ 1 mil (Divulgação/Renault)

Antes, a grande maioria das postagens eram sobre pré-venda e características do modelo. Agora, são sobre as impressões de cada um. E nem todos aprovaram. 

O comerciante Igo Amaral Caldas, de Fortaleza, foi um dos primeiros a manifestar o cancelamento da pré-venda. Ele havia escolhido um Kwid Intense branco.

“Sabia que o carro era bem compacto, mas o espaço no banco de trás é muito reduzido. Não sei se é o costume, mas achei que o motor é barulhento e vibra muito”, conta. Agora Igo procura outro compacto para substituir seu Ford Fiesta Sedan 1.0 2009.

De Porto Alegre, Deise Silveira queria um carro quatro portas para trocar em seu Fiat Uno Vivace 2p 2015. Mas esperava que o compacto da Renault fosse maior. “O Uno pode até não ser maior nas medidas, mas passa a impressão de ser mais espaçoso por dentro. Agora, vou pesquisar outros modelos e marcas.”

Espaço do banco traseiro é a principal fonte de reclamações (Divulgação/Renault)

A impressão é semelhante a de Marcio Yoshio, analista de suporte de São Paulo, que conta que as propagandas lhe deram uma ideia errada sobre o porte e o espaço do Kwid. 

“Quando bati o olho no carro da loja, achei bem pequeno. Internamente é bem ajeitado mas o banco de trás é apertado, a ponto do terceiro encosto parecer mais um enfeite. Quando fiz o test-drive, gostei muito da direção elétrica e do motor. Estávamos em três e ele respondeu bem para um 1.0. Não sei se era um problema da unidade, mas o freio estava horrível, baixo. Parecia o freio de um Fusca.”

Marcio havia encomendado um Kwid Intense e diz que se o Kwid fosse seu primeiro carro teria fechado negócio. Mas afirma que ficou mal acostumado com seu Honda Civic 1999 e por isso cancelou o pedido. Agora está em dúvida entre três carros de uma categoria acima: Hyundai HB20, Chevrolet Onix e Toyota Etios.

Há o relato de um cliente que chegou na concessionária para ver o Kwid, mas levou um Duster usado por pouco a mais. O mais recorrente, porém, é o potencial consumidor acabar escolhendo um Sandero 1.0.

O Kwid tem suspensão elevada: a altura livre do solo é maior que a de um Honda HR-V (Divulgação/Renault)

É o caso de Diogo Godoy, desenhista de São José dos Campos. “Tenho 1,80 m e minha esposa 1,70 m. Fomos conhecer o carro e fazer o test-drive, mas não gostamos do interior, pequeno e sem conforto para dirigir devido a nossa estatura. Temos uma filha pequena e sempre usamos o carro para viajar e levar parentes. Acabamos optando por um Sandero devido a isso também.”

“Se o Kwid Intense com pintura metálica sairia por R$ 41.300, o Sandero saiu por R$ 41.900” conta Godoy, que vai trocar um Chevrolet Classic 2013.

Outros motivos para algumas desistências são a fila de espera pelo modelo (quem efetuar a compra hoje teria de esperar pelo menos 60 dias).

Quem está cancelando a reserva não encontra problemas para reaver o dinheiro. Se o sinal de mil reais foi pago com cartão, o valor é estornado na fatura seguinte. Se foi pago na concessionária, é feito um depósito na conta do cliente em até sete dias.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Michel Farias

    É por conta de matérias tendenciosas como essa que a Quatro Rodas vem perdendo cada vez mais seus leitores e assinantes (eu incluído).

  2. Luigi Zamarilis

    Cuméquié? Como pequeno? Todos esses compradores não sabiam do tamanho do Kwid? A Renault informou previamente as dimensões e características do carro e todos…todos sabiam que era um carro bem pequeno. E queriam o que?! Comprar um Kwid com espaço de Fluence?!? E ainda há aqueles que desistiram do Kwid, com as principais características de ser pequeno e econômico, para comprar um Duster, grandão e gastão como um Landau? Essa matéria está estranha…

  3. Nossa. Que carrinho furreca. Não troco pelo meu fusca 74 nem com troco de 38.000 mil. É só analisar e dar uma volta, pura decepção.

  4. Andre Gessner

    Alguém sabe quantos desistentes?

  5. Estão desistindo pq ele só usa três parafusos para fixar a roda. Ninguém em sã consciência compra um carro com três parafusos na roda.

  6. Wendell Farias

    Quantas pessoas ja desistiram? Porque não são mais precisos ao divulgar uma matéria como essa? Pagaram por essa matéria? O dono do Civic porque não compra outro Civic novo? A Adaptação vai ser bem melhor… é como ter uma moto usada e decidir comprar uma bike nova… vai ter que pedalar ué? Na duvida quanto ao tamanho fosse ver um UP ou um Moby ambos de dimensões parecidas….. Não haveria esse “susto”

  7. Stélio Taveira

    Só faltou falar que desistiu do kwid, pegou o dinheiro, juntou mais 10 mil e comprou um UP!