Clique e assine com até 75% de desconto

UTV do Rali dos Sertões tem 197 cv e é tão leve quanto um Renault Kwid

Can-Am Maverick X3 Turbo, da equipe Varela Can-Am Monster Energy, tem motor 0.9 turbo e câmbio CVT

Por Fabio Black Atualizado em 19 nov 2020, 01h31 - Publicado em 7 nov 2020, 01h53
Haroldo Nogueira JR./Divulgação

UTV (Utility Task Vehicle, ou Unlimited Terrain Vehicle) é fruto de anos de evolução, que o cientista inglês Charles Darwin poderia explicar.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine por apenas R$ 5.90.

Em sua cadeia de antepassados estão as motos, os jipes e os quadriciclos. Sua adaptação ao ambiente das trilhas é notória: resistente, mas, se quebrar, será fácil de consertar.

A sensação de pilotar é muito próxima à de uma moto, porém com a segurança de um carro com cinto quatro pontos e gaiola de proteção. A dinâmica impressiona: se você quiser, ele pode subir uma parede (se exagerar, capota). E, ao mesmo tempo, existe conforto graças à suspensão. Você pode passar o dia praticando off-road em altas velocidades e dormir sem analgésicos.

Haroldo Nogueira JR./Divulgação

Minha experiência com um UTV foi a bordo do modelo Can-Am Maverick X3 Turbo, da equipe Varela Can-Am Monster Energy. Primeiro rodei como passageiro, ao lado do piloto Reinaldo Varela. Em uma volta rápida, ficou claro que o Can-Am é um devorador de trilhas (ou o que tiver pela frente), com seus 197 cv de potência e 851 kg de peso – um Renault Kwid tem 806 kg. 

Já ao volante, percebi que, apesar do motor central e da tração nas quatro rodas, o Maverick tem o que os pilotos chamam de “tocada traseira”.

Continua após a publicidade
Haroldo Nogueira JR./Divulgação

O câmbio CVT, ao contrário dos encontrados em carros de rua, programados para economizar combustível, tem foco no desempenho, o que demanda um certo aprendizado do piloto porque, acelerando demais no momento errado, corre-se o risco de perder o controle do UTV – que é bem mais fácil de capotar que um carro comum. 

A suspensão do tipo duplo A, dianteira, tem cursos longos a ponto de você pensar que está decolando, quando na realidade os pneus ainda estão em contato com o piso. E, quando de fato você decola, quase não há rebote nos saltos.

Haroldo Nogueira JR./Divulgação

Os freios são a disco nas quatro rodas e conseguem parar o UTV rapidamente em qualquer velocidade ou terreno. Mas é preciso confiar e aplicar o pedal com toda força. A velocidade máxima permitida para os UTVs é de 130 km/h, o que, além da segurança, preserva o equipamento. 

  • Saí do treino impressionado com o UTV e com vontade de disputar o Rali dos Sertões do ano que vem. Por que não? Com um pouco de treino e condicionamento físico é possível. Aliás, se ficou entusiasmado, você também pode. Quem sabe? 

    CAN-AM Maverick X3 MAX RS Turbo

    • Motor: gasolina, central, transversal, 3 cilindros, turbo, 900 cm3, 197 cv a 5.500 rpm, 18,64 kgfm a 6.500 rpm
    • Câmbio: automático, CVT 
    • Suspensão: duplo A (diant.), braço de arrasto torcional X de 4 links (tras.)
    • Freios: disco duplo ventilado
    • Direção: elétrica 
    • Rodas e pneus: alumínio, 2.0 30x9x14 
    • Dimensões: comprimento, 184,7 cm; largura, 165 cm; altura, 174 cm; entre-eixos, 342,9 cm; peso, 851 kg; tanque, 40 l 

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Continua após a publicidade
    Publicidade