Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Toyota Hilux Challenge agrada pelo visual, mas não corrige falhas

Grande novidade da linha 2018, série especial com motor diesel custa R$ 161.990 e traz acessórios cobiçados pelos picapeiros

Por Vitor Matsubara Atualizado em 7 nov 2017, 16h44 - Publicado em 7 nov 2017, 16h41
Versão Challenge é a grande novidade da linha 2018 da Hilux
Versão Challenge é a grande novidade da linha 2018 da Hilux Toyota/Divulgação

Faz apenas dois anos que a oitava geração da Toyota Hilux foi lançada no Brasil. Porém, a presença maciça nas ruas fez a picape deixar de ser notada.

A exceção tende a ser a versão for a Challenge, principal novidade da linha 2018 da picape feita na Argentina.

O pacote de acessórios da série especial (vendida por R$ 161.990) inclui vários detalhes externos na cor preta, como grade frontal, molduras dos para-lamas, capas dos espelhos retrovisores e maçanetas externas.

A Hilux Challenge é baseada na versão SR diesel
A Hilux Challenge é baseada na versão SR diesel Toyota/Divulgação

Além destes itens, o carro já sai de fábrica com santantonio e estribos laterais, dois dos itens mais cobiçados pelos picapeiros. Rodas de liga leve e adesivos nas laterais e na tampa da caçamba (todos devidamente pintados de preto) completam o visual.

Grade e aplique do para-choque simulando um quebra-mato são pintados de preto
Grade e aplique do para-choque simulando um quebra-mato são pintados de preto Toyota/Divulgação

Discreto, o interior tem uma régua horizontal vermelha percorrendo todo o painel – substituindo a cor prata das demais versões. Os bancos dispensam o revestimento em couro, mas o tecido preto com costuras vermelhas combina com a proposta esportiva da Challenge – e não é tão difícil assim de limpar.

Interior da versão Challenge tem detalhes pintados em vermelho
Interior da versão Challenge tem detalhes pintados em vermelho Toyota/Divulgação

O estilo esportivo fez bem à Hilux. É impossível não notá-la por aí, seja na cor Branco Polar ou Vermelho Metálico – as únicas opções disponíveis.

Central multimídia tem tela de 7" e GPS
Central multimídia tem tela de 7″ e GPS, mas navegação é confusa Toyota/Divulgação

A dirigibilidade ainda é uma das principais virtudes da picape. Apesar de grandalhona (são 5,33 metros de comprimento, 1,81 metro de altura e 1,85 metro de largura), a Hilux é relativamente ágil devido à boa calibragem da direção hidráulica (que seria ainda melhor se tivesse assistência elétrica), leve nas manobras e firme em velocidades mais altas. Difícil mesmo é achar vagas em estacionamentos cada vez mais apertados.

Bancos não têm acabamento em couro, mas o revestimento escolhido combina com o estilo da Challenge
Bancos não têm acabamento em couro, mas o revestimento escolhido combina com o estilo da Challenge Toyota/Divulgação

O desempenho do motor 2.8 16V turbodiesel merece elogios. Os 177 cv são suficientes para embalar a picape e a entrega de força é bastante linear.

Mesmo assim, a Hilux é mais fraca do que suas rivais Nissan Frontier (190 cv), Chevrolet S10 e Ford Ranger – as duas últimas com 200 cv.

Motor 2.8 turbodiesel entrega 177 cv a 3.400 rpm
Motor 2.8 turbodiesel entrega 177 cv a 3.400 rpm Toyota/Divulgação

A transmissão automática de seis marchas oferece opção de trocas sequenciais e os modos de condução Eco e Power. O primeiro deixa a Hilux mais comedida nas acelerações para poupar combustível, enquanto o segundo faz o acelerador ficar mais sensível aos comandos do motorista.

Continua após a publicidade

Câmbio automático de seis marchas tem opção de trocas sequenciais
Câmbio automático de seis marchas tem opção de trocas sequenciais Toyota/Divulgação

É fácil acionar a tração nas quatro rodas: basta girar um botão localizado ao lado dos controles de climatização – lembrando que o modo 4×4 pode ser acionado a até 100 km/h e a reduzida só deve ser selecionada com o veículo totalmente parado e em neutro. Há ainda a opção de bloquear o diferencial traseiro para se livrar dos atoleiros mais críticos.

Grande, a Hilux tem 5,33 metros de comprimento
Grande, a Hilux cabine dupla tem 5,33 metros de comprimento Toyota/Divulgação

Alguns detalhes, porém, incomodam mesmo quem está acostumado a picapes. A suspensão não esconde sua calibragem voltada para o conforto dos passageiros, e consegue cumprir seu objetivo com louvor.

Além de bonitos, os estribos facilitam o acesso à cabine Toyota/Divulgação

A consequência é que o veículo sacoleja demais ao transpor qualquer tipo de obstáculo ou desnível no asfalto. Outra deficiência da Hilux é o isolamento acústico, permitindo que o barulho do motor turbodiesel seja mais invasivo do que o desejado, especialmente nas acelerações.

Santantonio é um dos acessórios mais procurados pelos donos de picapes
Santantonio é um dos acessórios mais procurados pelos donos de picapes Toyota/Divulgação

Já a central multimídia oferece vários recursos, mas peca pela usabilidade (com navegação confusa pelos menus) e também pela sensibilidade da tela tátil, exigindo força nos dedos – e paciência.

Até os logotipos trocaram o acabamento cromado pela cor preta
Até os logotipos trocaram o acabamento cromado pela cor preta Toyota/Divulgação

A lista de itens de série da Hilux Challenge inclui controles de estabilidade e de tração, airbag para os joelhos do motorista, câmera de ré, sensor de luminosidade, vidros elétricos nas quatro portas, travamento central das portas, controle elétrico dos espelhos retrovisores, rodas de 17 polegadas, volante com comandos de som e telefone, piloto automático e central multimídia com tela de 7 polegadas com GPS, DVD e TV digital.

Rodas de liga leve, espelhos retrovisores e maçanetas também são pretas
Rodas de liga leve, espelhos retrovisores e maçanetas também têm pintura preta Toyota/Divulgação

Falta protetor de caçamba e capota marítima, oferecidos apenas como acessórios na rede de concessionárias.

Seu preço sugerido é de R$ 161.990, mas se a cor escolhida for vermelha a conta sobe para R$ 163.640.

É quase o mesmo valor pedido pela Ford Ranger Sportrac 2.2 Diesel (cujo preço é de R$ 162.990), mas menos do que a versão intermediária da Chevrolet S10, a LTZ 4×4, oferecida a partir de R$ 172.790.

Adesivos pretos decoram laterais e tampa da caçamba
Adesivos pretos decoram laterais e tampa da caçamba Toyota/Divulgação
A nova versão será oferecida apenas nas cores branca e vermelha Toyota/Divulgação

Se a escolhida for a versão topo de linha da S10, a High Country (equipada com o mesmo motor 2.8 turbodiesel da LTZ (que tem 200 cv, 23 cv a mais do que a Hilux), o cliente precisará desembolsar R$ 182.390.

Continua após a publicidade

Publicidade