Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Teste: Chevrolet S10 High Country, diesel com mais conforto

Com mudanças mecânicas, a Chevrolet S10 diesel 2018 está tão suave quanto a versão a gasolina

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 7 fev 2018, 16h55 - Publicado em 30 out 2017, 19h00
Na dianteira, as novidades são encontradas apenas sob o motor Christian Castanho/Quatro Rodas

A Chevrolet S10 faz o tipo de quem não gosta de errar. Saiu campeã de nosso último comparativo de picapes diesel, muito em virtude do bom espaço interno e dos equipamentos da versão topo de linha, High Country.

Se o motor 2.8 turbodiesel ajudou na agilidade, prejudicou no conforto. Passava muita vibração e ruído à cabine em baixas e médias velocidades. E foi justamente isso que a Chevrolet procurou melhorar na linha 2018.

Logotipos do motor foram para o lado direito da caçamba na linha 2018 Christian Castanho/Quatro Rodas

A solução já era usada pela irmã Colorado nos EUA. Chama-se CPA, de Centrifugal Pendulum Absorber, um nome muito pomposo para seis pesos metálicos instalados dentro do conversor de torque do câmbio.

Quando o conversor funciona, esses pesos (que somam 4 kg) movimentam-se como pêndulos e filtram as vibrações torcionais do conjunto. O carro treme menos, os passageiros também.

No interior não há mudanças. Painel segue central multimídia e ar digital Christian Castanho/Quatro Rodas

É uma solução engenhosa e simples que gera bons resultados. Na comparação com o modelo anterior, a picape passou a vibrar menos, quase tão pouco quanto as versões com motor 2.5 flex, além de estar mais ágil e dócil.

Isso tem explicação. Ao mitigar as vibrações do conjunto, melhora-se as respostas do conversor de torque, que patina menos e faz o carro embalar mais rápido. Por isso, a Chevrolet otimizou o funcionamento do motor e a programação de trocas do câmbio. Os 200 cv e 51 mkgf de torque estão mantidos, mas o conjunto passou a explorar melhor rotações mais baixas.

Ainda foram instalados isolante acústico ao redor dos bicos injetores, uma capa metálica sobre a correia dentada e um isolante no cárter para diminuir alguns ruídos.

Motor 2.8 turbodiesel ajudou na agilidade Christian Castanho/Quatro Rodas
Continua após a publicidade

Por fim, introduziram gerenciamento inteligente, para que o alternador entre em funcionamento apenas quando houver necessidade de corrente elétrica extra, aliviando o motor desse esforço no restante do tempo.

Essas mudanças teriam deixado a S10 diesel 0,6 s mais rápida: a Chevrolet divulga aceleração de 0 a 100 km/h em 10,3 s. É o mesmo tempo que obtivemos em nossa pista.

Mas o detalhe é que, no nosso teste anterior, a picape cravou 10 s. A retomada de 40 a 80 km/h passou de 4,3 para 4,4s, mas as demais passagens foram praticamente iguais.

Bancos da S10 topo de linha são de couro Christian Castanho/Quatro Rodas
Espaço interno na traseira da S10 não teve mudanças Christian Castanho/Quatro Rodas

A promessa era uma melhora de 13% no consumo. Contudo, a média urbana foi quase a mesma: passou de 9,2 para 9 km/l. Na estrada, baixou de 12,7 para 12,1 km/l.

O ruído em ponto morto foi reduzido em 1,1 dB, mas o barulho aumentou em outros regimes. Se a 80 km/h era 61,6 dB, agora registramos 63,6 dB.

Ao volante o motorista até percebe as melhorias da S10 2018. Pena que não pudemos confirmar o ganho de desempenho prometido.

Veredicto

A Chevrolet corrigiu um ponto fraco da S10. É uma evolução bem-vinda, mesmo com discreta piora no desempenho.

Teste (com diesel)

Aceleração de 0 a 100 km/h: 10,3 s
Aceleração de 0 a 1.000 m: 31,9 s
Velocidade máxima: n/d
Retomada de 40 a 80 km/h: 4,4 s (em D)
Retomada de 60 a 100 km/h: 5,7 s (em D)
Retomada de 80 a 120 km/h: 7,6 s (em D)
Frenagens de 60/80/120 km/h a 0: 17,5/28,9/65,8 m
Consumo urbano: 9,0 km/l
Consumo rodoviário: 12,1 km/l
Ruído interno ponto morto/ 1ª em max.: 45,6 / 71,4 dB
Ruído interno 0 a 80 km/h / 120/h: 61,6 / 67,6 dB

Ficha técnica

Preço: R$ 185.990
Motor: diesel, diant., longit., 4 cil., 16V, turbo, 2.776 cm³; 94 x 100 mm; 200 cv a 3.600 rpm, 51 mkgf a 2.000 rpm
Câmbio: automático, 6 marchas, tração 4×4.
Suspensão: Duplo A (d), eixo rígido (t)
Freios: discos vent. (diant.)/tambor (tras.)
Direção: elétrica, 10,3 m (diâm. giro)
Rodas e pneus: liga leve, 265/60 R18
Dimensões: comprimento, 540,8 cm; largura, 187,4 cm; altura, 183,9 cm; entre-eixos, 309,1 cm; peso, 2.101 kg; tanque, 76 l; caçamba, 1.061 l

Continua após a publicidade

Publicidade