Teste: Audi Q8 é um SUV cupê de R$ 500.000 com personalidade bipolar

Em nossa pista de testes, modelo foi de 0 a 100 km/h em apenas 5,9 segundos, mas ao rodar ele apresenta comportamento suave

Q8 incorpora a nova grade frontal octogonal dos SUVs da Audi

Q8 incorpora a nova grade frontal octogonal dos SUVs da Audi (Divulgação/Audi)

Assim como os homens fazem das tripas coração para entender as mulheres (a recíproca é verdadeira), as fábricas de automóveis não medem esforços para decifrar a cabeça de seus enigmáticos consumidores.

É comum, por exemplo, um motorista declarar que prefere um carro de comportamento esportivo, mas não hora da compra optar por um modelo que privilegia o conforto.

Só essa incoerência explica um projeto como o Audi Q8, um SUV cupê que reúne qualidades aparentemente inconciliáveis, como desempenho de superesportivo com comportamento de sedã de luxo.

Na traseira, lanternas são ligadas por filete de leds

Na traseira, lanternas são ligadas por filete de leds (Divulgação/Audi)

Analisando o visual do Q8, por fora, seu design tem estilo agressivo que lembra até seu primo Lamborghini Urus, com quem divide a plataforma.

Suas linhas são vigorosas, a grade frontal octogonal toma quase toda dianteira e as rodas são enormes (aro 21 de série e 22 opcionais).

Por dentro, o Q8 transpira sofisticação no painel largo, com acabamento em preto piano e alumínio, saídas de ventilação de lado a lado, três telas – uma de 12,3” (instrumentos), outra de 10,1” (central) e uma terceira de 8,6” (console) – e nos bancos de couro.

O cockpit virtual pode ser configurado de forma a exibir as informações clássicas (velocímetro, conta-giros e computador de bordo) ou priorizar o mapa do sistema de navegação, se o motorista assim preferir.

Painel tem três telas: cockpit, central e console

Painel tem três telas: cockpit, central e console (Divulgação/Audi)

A central multimídia reúne as informações de entretenimento e GPS. Ela obedece a comandos de voz e sua tela, sensível ao toque, proporciona interação tátil e sonora.

O visor do console permite os ajustes do ar-condicionado e também serve de interface para os dispositivos da central multimídia – a operação dessa tela é mais confortável porque o motorista pode apoiar a mão na alavanca do câmbio, com forma e revestimento de couro criados para essa função.

Ao volante, o conjunto mecânico comparece na hora de acelerar mas os demais sistemas como suspensão e direção apresentam comportamentos suaves que não estimulam o motorista a dirigir esportivamente.

O ar-condicionado tem com ajustes independentes na traseira

O ar-condicionado tem com ajustes independentes na traseira (Divulgação/Audi)

O Q8 vem equipado com motor V6 3.0 de 340 cv de potência e 51 mkgf de torque, transmissão com câmbio automático tiptronic de oito marchas e tração integral quattro que, em condições normais, distribui a força do motor na razão de 40/60 (dianteira/traseira).

A suspensão é do tipo fivelink nos dois eixos com amortecimento pneumático.

E a direção é elétrica, com a possibilidade de ter opcionalmente a ajuda do eixo traseiro direcional (que auxilia tanto nas manobras de estacionamento, esterçando para o sentido oposto das dianteiras, quanto nas curvas em estradas, girando para o mesmo lado).

Em nossa pista de testes, o Q8 foi surpreendentemente rápido, com o tempo de 5,9 segundos na prova de 0 a 100 km/h. Mas a suspensão e a direção assistidas isolavam com eficiência a interação do motorista com o veículo.

Porta-malas pode ser aberto com movimento do pé sob o para-choque

Porta-malas pode ser aberto com movimento do pé sob o para-choque (Divulgação/Audi)

Para o consumidor que aprecia esportividade mais na teoria do que na prática, esta receita do Q8 é perfeita.

Comparando com rivais como Mercedes GLE 400 (3.0/333 cv) e BMW X3 M40i (3.0/360 cv), o Q8 fica em uma posição intermediária no que diz respeito a desempenho.

Nas provas de 0 a 100 km/h, o GLE fez o tempo de 6,4 segundos, enquanto o X3 conseguiu 4,9 segundos.

Em relação ao consumo, o Q8 se mostrou mais gastão. No ciclo urbano, ficou com a média de 6,3 km/l, ao passo que o Mercedes obteve 7,6 km/l e o BMW, 7,8 km/l.

No rodoviário, as médias foram respectivamente de 10 km/l, 10,2 km/l e 11,2 km/l. Além de andar mais, o BMW foi o que gastou menos. Ou seja: ter um motor elétrico auxiliar não tornou o Q8 mais eficiente que os rivais.

Com cinco metros de comprimento, Q8 é um SUV cupê grande

Com cinco metros de comprimento, Q8 é um SUV cupê grande (Divulgação/Audi)

O Q8 conta com um alternador que pode substituir o V6 em dois momentos: em velocidade de cruzeiro (entre 55 e 160 km/h), e quando o start/stop desliga o V6 (já a partir de 22 km/h), no trânsito urbano.

Esse sistema híbrido parcial fica sob os cuidados de um gerador de 48 volts alimentado por baterias de íons de lítio, enquanto as funções elétricas tradicionais continuam alimentadas pela rede de 12 volts.

O Q8 é um SUV cupê de grande porte. Ele mede 5 metros de comprimento, 2,2 m de lagura e 1,7 m de altura. Sua cabine acomoda cinco pessoas com folga e no porta-malas cabem 605 litros.

Entre os equipamentos de série, além dos dispositivos já mencionados até aqui, o Q8 vem com o sistema Drive Select com sete modos de condução: Off-road, All road, Comfort, Efficiency, Dynamic, Auto e Individual.

Interior: sistema de som da marca B&O é opcional.

Interior: sistema de som da marca B&O é opcional. (Divulgação/Audi)

O Drive Select altera o comportamento do carro ajustando motor, câmbio, tração e suspensão, de acordo com o modo selecionado e as condições de rodagem.

Os dois primeiros modos são indicados para uso na terra, o Off-road para trilhas mais radicais. Os demais se dedicam ao modo de uso em vias pavimentadas.

Comfort, como o nome diz, prioriza o conforto. Efficiency favorece a economia de combustível. Dynamic é para quem prefere uma tocada mais esportiva (não muito). Individual permite optar por ajustes independentes para cada sistema do carro.

Caixas de rodas salientes acomodam as rodas de 22 polegadas.

Caixas de rodas salientes acomodam as rodas de 22 polegadas. (Divulgação/Audi)

O Q8 chega em duas versões: Performance (R$ 494.990) e Performance Black (R$ 531.990).

Até o final do ano ou enquanto durarem os estoques (2019/2019), porém, o SUV será vendido em preços promocionais: R$ 471.990 e R$ 503.990 respectivamente.

O que muda entre as versões são detalhes visuais com pintura preta nos frisos e nas partes inferiores dos para-choques e os equipamentos de série.

A Perfomance vem co faróis full led, ar-condicionado com quatro zonas, assistente de tráfego (com ACC e alerta de mudança de faixa), iluminação ambiente (com opção 30 cores de luz), câmera 360 graus, teto solar panorâmico e volante com ajuste elétrico.

A Performance Black acrescenta sistema de som Bang&Olufsen de 730 watts. Mas, há ainda os itens opcionais.

A cor Laranja Dragão foi escolhida para o lançamento do SUV.

A cor Laranja Dragão foi escolhida para o lançamento do SUV. (Divulgação/Audi)

Disponíveis para as duas versões, a lista de equipamentos extras inclui: head-up display, night vision, suspensão adaptativa (altura e amortecimento), faróis full led matriciais e pacote Side Assist que contempla os recursos Pre Sense (reconhece a iminência de um choque traseiro e prepara o carro para a colisão), Exit Warning (alerta de perigo ao sair do veículo) e assistente de tráfego reverso.

Por via das dúvidas, a Audi oferece 11 opções de cores externas (Azul Galáxia, Azul Navarra, Branco Geleira, Branco Carrara, Cinza Samurai, Cinza Daytona, Laranja Dragão, Marron Argus, Prata Florete, Preto Orca e Preto Noite. E quatro cores internas (preto, cinza, bege e marrom), na tentativa de satisfazer os mais variados gostos. Vai saber.

Ficha Técnica – Audi Q8 V6 3.0

  • Preço:R$ 494.990 (Performance), R$ 531.990 (Performance Black)
  • Motor:dianteiro, longitudinal, V6, 2.995 cm3; 84,5 x 89,0 mm3, 11,2:1, 340 cv a 5.000 rpm, 51 kgfm entre 1.370 e 4.500 rpm
  • Câmbio: automático, 8 marchas, tração integral
  • Suspensão: Five-link nos dois eixos
  • Freios:disco ventilado (dianteiro) / sólido (traseiro)
  • Direção: elétrica, diâmetro de giro 13,3 m
  • Rodas e pneus: liga leve, 285/40 R22
  • Dimensões: comprimento, 498,6 cm; largura, 219 cm; altura, 170,5 cm; entre-eixos, 299,5 cm; peso, 2.270 kg; tanque, 85 l; porta-malas, 605/1755 l

Ficha de Teste

Aceleração
0 a 100 km/h: 5,9 s
0 a 1.000 m: 25,8 s – 206,6 km/h

Velocidade máxima: n/d

Retomada (em D)
40 a 80 km/h: 2,8 s
60 a 100 km/h: 3,4 s
80 a 120 km/h: 4 s

Frenagens
60/80/120 km/h – 0 m: 14,8/26,2/58,2 m

Consumo
Urbano: 6,3 km/l
Rodoviário: 10 km/l

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s