Clique e assine com até 75% de desconto

Longa Duração: o que foi corrigido – e esquecido – no Tiggo 5X 2021

Na linha 2021, o Tiggo 5X ficou mais atraente e teve vários problemas corrigidos, mas faltou a tão aguardada melhoria na transmissão

Por Péricles Malheiros Atualizado em 19 jun 2020, 15h17 - Publicado em 22 jun 2020, 07h00
Tiggo 5X recebeu mudanças no visual e na lista de equipamentos Divulgação/Chery

Antes mesmo do Caoa Chery Tiggo 5X entrar na frota de Longa Duração, em julho de 2019, já havíamos notado alguns pequenos deslizes no SUV compacto chinês, durante os testes e comparativos que realizávamos.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de quatro rodas? clique aqui e assine com 64% de desconto.

Com o carro na frota, lógico, foram surgindo novas críticas – muitas delas, comuns entre vários usuários –, sendo a principal queixa a trepidação exagerada do sistema de dupla embreagem, notadamente em segunda marcha.

Traseira exibe novas lanternas. Na China, o para-choque é outro Divulgação/Chery

Quando a fábrica apresentou a linha 2021 do carro, nosso desejo era de que todos os problemas fossem solucionados, o que não aconteceu. O Tiggo 5X evoluiu, sem dúvida. Mas o câmbio não mudou.

“Por se tratar de um sistema complexo, era de se esperar que um simples facelift não traria a solução”, diz o editor de Longa Duração, Péricles Malheiros, fazendo uma análise mais realista.

“Ao mesmo tempo, porém, acho altamente provável que a Chery resolva a questão com a chegada da próxima geração”, afirma otimista.

Nova central exibe imagens das quatro câmeras Divulgação/Chery

Comparando o modelo da linha 2021 com o nosso, esteticamente, a única – mas relevante – alteração são os faróis, que trocaram a linha curva inferior por um traço reto.

Com eles, a parte inferior do para-choque também mudou já que os faróis incorporaram leds, que cumprem a função de luz de uso diurno (DRL).

Continua após a publicidade

Na traseira, uma modificação ainda mais discreta. Agora, a moldura cromada invade as porções da lanterna que ficam na tampa do porta-malas.

Câmbio é o mesmo Getrag, derivado do Powershift usado pela Ford no passado Divulgação/Chery

O melhor da nova versão está no conteúdo. Na cabine, a principal novidade põe fim a um problema comum a outros carros chineses: a central multimídia com Apple CarPlay, mas sem Android Auto.

“Este é um problema originado no mercado chinês, onde não há Google e muita gente usa iPhone. Aqui, no entanto, ouvimos várias reclamações de donos de smartphones Android. Aprendemos e, em breve, todos os produtos Chery passarão a ter os dois sistemas incorporados”, diz uma fonte ligada à marca.

  • A outra alteração não teve nada a ver com as reclamações. As manobras passam a ser auxiliadas por um sistema de visão em 360 graus, muito parecido com o do Nissan Kicks.

    A partir de câmeras instaladas nas duas laterais, na dianteira e na traseira, a tela da central multimídia exibe uma imagem única, dando a impressão de uma vista aérea.

    Como se vê, ficou faltando só mesmo um novo câmbio. Mas a próxima geração do Tiggo 5X é esperada somente para 2025.

    Caoa Chery Tiggo 5X – 36.171 km

    Ficha técnica:
    Versão: TXS 1.5 16V Turbo
    Motor: 4 cilindros, dianteiro, transversal, 16V, turbo, 150/147 cv a 5.500 rpm, 21,4 mkgf a 1.750 rpm
    Câmbio: Automatizado, dupla embreagem, 6 marchas
    Seguro: R$ 2.073 (Perfil Quatro Rodas)
    Revisões:
    Até 60.000 km – R$ 3.799
    Gastos no mês: Combustível: R$ 929,79
    Consumo: No mês: 9,7 km/l com 41,7% de rodagem na cidade
    Desde jul/2019: 8,8 km/l com 28,8% de rodagem na cidade
    Combustível: flex (gasolina)

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da nova edição de quatro rodas? clique aqui e tenha o acesso digital.

    Continua após a publicidade
    Publicidade